PUBLICIDADE

1.0 - RADARbrasil

Megaoperarção mobiliza 1.700 agentes no Centro do Rio

A Secretaria de Segurança do Estado do Rio de Janeiro realiza desde a madrugada desta sexta-feira (27) uma operação em conjunto com as polícias Civil e Militar e com o apoio das Forças Armadas, da Força Nacional de Segurança e da Polícia Federal nos morros de São Carlos, Zinco, Querosene e Mineira, no Centro do Rio. Cerca de 1.700 homens chegaram na região por volta das 3h30 e foram recebidos a tiros por traficantes. Não há registro de feridos até o momento.

Os agentes buscam por criminosos que há cerca de 40 dias invadiram a favela da Rocinha, em São Conrado, Zona Sul do Rio. Os policiais também procuram por esconderijos de armas e munição.

Até as 8h50, quatro pessoas tinham sido presas. Com um dos detidos a polícia encontrou munição e drogas. Entre os outros suspeitos levado para a Cidade da Polícia nesta manhã está Walmir dos Santos, de 54 anos, apontado como motorista do tráfico de drogas.

Os veículos das forças armadas estão em pontos do Estácio, Catumbi e Centro contando com apoio de 10 blindados que servem para auxiliar o transporte das tropas nos acessos às comunidades.

Algumas ruas estão interditadas e o espaço aéreo está controlado. A previsão é de que estas restrições não afetem a movimentação nos aeroportos.

Segundo o coronel Roberto Itamar, do Comando Militar do Leste, os homens do Exército, Marinha e Aeronáutica dão apoio nos acessos para que as polícias Civil e Militar possam cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão. “Os acessos a essas comunidades estão cercados de forma a permitir que os órgãos de segurança pública, as polícias civil e militar, possam cumprir os mandados de busca e apreensão e de prisão previstos para essas áreas”, afirmou o coronel Itamar.

As primeiras equipes que entraram nas comunidades foram as Forças Armadas, que interditaram ruas e cuidam do cerco na área. As viaturas da Polícia Civil saíram da Cidade da Polícia e entraram na comunidade para cumprir os mandados de prisão. Investigações apontam que traficantes de outras áreas da cidade vieram se esconder nas comunidades que passam pela ação conjunta.

Denúncia

O Disque Denúncia divulgou um cartaz com fotos dos alvos a ação. Entre os procurados está Alex Correia dos Santos, o 2G, responsável por participar do tráfico no Morro do São Carlos, Leonardo Miranda da Silva, o Léo Empada, apontado como gerente geral do tráfico na comunidade, além de Marcelo Bernardino Fonseca, o Limão da 40, chefe do tráfico do São Carlos e Alex Marques de Melo, conhecido como Leo Serrote.

As forças de segurança pedem que os moradores denunciem e liguem para o Disque Denúncia informando o paradeiro de criminosos, denunciando pontos de venda de drogas e local onde estão escondidas cargas roubadas. O telefone é (21) 2253-1177. O anonimato é garantido. As informações que chegarem serão repassadas imediatamente ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), onde as ações estão sendo coordenadas.

 

Foto: Foto: Reprodução/ TV Globo
Fonte: G1

PUBLICIDADE