PUBLICIDADE

s√£o paulo

Governo Doria diz que n√£o pode dar data precisa para vacina

Após anunciar que uma possível vacinação em massa da população de São Paulo contra o coronavírus, o governador João Doria recuou e adotou um tom mais cauteloso, dizendo que ainda não é possível precisar quando as doses estarão disponíveis.

“As perspectivas s√£o otimistas, mas n√£o podemos dar data precisa de quando isso vai acontecer. Esperamos que at√© o final desse ano”, declarou o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, durante entrevista coletiva no Pal√°cio dos Bandeirantes.

Segundo Doria a vacina contra o coronav√≠rus em desenvolvimento pelo Instituto Butantan √© a mais segura em fase final de testes no Brasil. Estudos cl√≠nicos com 9 mil volunt√°rios com idade entre 18 e 59 anos no pa√≠s mostram que apenas 35% tiveram rea√ß√Ķes adversas leves ap√≥s a aplica√ß√£o, como dor no local da aplica√ß√£o ou dor de cabe√ßa. N√£o houve qualquer registro de efeito colateral grave durante a testagem.

O desenvolvimento da vacina no Brasil foi iniciado em julho, por meio de parceria entre a biofarmacêutica Sinovac Life Science, com sede em Pequim, e o Butantan. A Coronavac é um dos imunizantes mais promissores em fase final de estudo em todo o mundo e produzida com base em tecnologia similar à de outras vacinas produzidas com sucesso pelo Butantan.

As rea√ß√Ķes mais comuns entre os participantes do estudo ap√≥s a primeira dose foram dor no local da aplica√ß√£o (19%) e dor de cabe√ßa (15%). Na segunda dose, as rea√ß√Ķes adversas mais comuns foram dor no local da aplica√ß√£o (19%), dor de cabe√ßa (10%) e fadiga (4%). Febre baixa foi registrada em apenas 0,1% dos participantes e n√£o h√° nenhum relato de rea√ß√£o adversa grave √† vacina at√© o momento.

PUBLICIDADE