PUBLICIDADE

1.0 - RADARbrasil

Gegê do Mangue, chefe de facção de SP, é morto no Ceará

Rog√©rio Jeremias de Simone, o Geg√™ do Mangue, maior lideran√ßa do PCC (Primeiro Comando da Capital) nas ruas, foi assassinado em uma suposta emboscada na reserva ind√≠gena de Aquiraz, a 30 quil√īmetros de Fortaleza, no Cear√°. Com Geg√™, tamb√©m foi encontrado morto Fabiano Alves de Souza, o Paca.

O Minist√©rio P√ļblico do Estado de S√£o Paulo suspeita que o crime tenha sido motivado por disputas internas da fac√ß√£o.

As mortes teriam ocorrido na madrugada de sexta-feira (16) e os corpos foram encontrados na manhã seguinte. Testemunhas relataram à polícia cearense que um helicóptero pousou na região e logo depois foram ouvidos uma sequência de disparos. Investigadores paulistas acreditam que tenha sido montada uma emboscada contra Gegê e Paca.

Os corpos só foram identificados horas depois, mas a mensagem se espalhou rapidamente pelo sistema prisional paulista dando conta da morte de Gegê.

Duas hip√≥teses principais est√£o sendo consideradas para o caso. A primeira, apontada por integrantes do Gaeco (Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado) do MP de Presidente Venceslau, no interior de S√£o Paulo, √© que a morte de Geg√™ tenha ocorrido em repres√°lia ao¬†assassinato de Edilson Borges Nogueira, o Biroska, que aconteceu em 5 dezembro na Penitenci√°ria 2 de Presidente Venceslau. Ele possu√≠a fun√ß√Ķes na Sintonia Final, c√ļpula da fac√ß√£o, e foi morto a golpes de estilete.

Outra possibilidade √© que, na rua, Geg√™ estava ganhando mais poder do que os l√≠deres presos do PCC desejavam. “Acredito que o Geg√™ tenha crescido demais e agiram para cortar essa lideran√ßa. Na rua, era o membro mais forte que o PCC tinha”, disse o procurador de Justi√ßa do MP paulista M√°rcio S√©rgio Christino, que atuou em investiga√ß√Ķes contra o PCC na d√©cada de 1990 e nos anos 2000.

Ele √© autor do livro La√ßos de Sangue, a hist√≥ria secreta do PCC, e diz que a√ß√Ķes como essa permeiam a hist√≥ria da fac√ß√£o. “Quando isso acontece, a parte vencedora j√° tem tudo preparado. A morte n√£o √© o in√≠cio de algum plano, √© o final, a sua concretiza√ß√£o”, disse ao Estado neste domingo (18).

Acreditava-se que Geg√™ estava comandando neg√≥cios do PCC atuando fora do Pa√≠s, principalmente na Bol√≠via e no Paraguai. “Essa √© a hip√≥tese mais prov√°vel. Ele n√£o estava no Cear√°, mas foi levado para l√°”, disse Christino. Em fevereiro do ano passado, a Justi√ßa expediu alvar√° de soltura em favor de Simone em raz√£o da demora no julgamento de um caso de assassinato.

No mês seguinte, ele seria condenado a 47 anos, e desde então era considerado foragido. Ele respondia a pelo menos 11 processos por homicídio, formação de quadrilha e tráfico de drogas, entre outros crimes.

A soltura do acusado havia sido obtida porque em nenhum dos outros processos a que responde houve decreto anterior de prisão provisória. Antes da decisão no processo de Presidente Venceslau, a defesa de Gegê já havia conseguido reverter no STF (Supremo Tribunal Federal) a prisão relativa a outra acusação de homicídio, que foi cometido em 2004 na favela do Sapé, no Rio Pequeno, zona oeste de São Paulo. Ele, em parceria com Abel Pacheco de Andrade, o Vida Loka, são acusados de ordenar, por celular, um duplo homicídio.

Outro lado

A SSPDS-CE (Secretaria de Seguran√ßa P√ļblica e Defesa Social do Cear√°) informou, por meio de nota, que “equipes da Pol√≠cia Militar do Cear√°, da Pol√≠cia Civil do Estado do Cear√° e da Per√≠cia Forense do Estado do Cear√° estiveram realizando os primeiros levantamentos em uma √°rea ind√≠gena, no munic√≠pio de Aquiraz – √Ārea Integrada de Seguran√ßa 13, onde dois corpos do sexo masculino, sem identifica√ß√£o, foram encontrados na tarde dessa sexta-feira (16).”

A pasta afirma que “as v√≠timas permanecem sem identidades comprovadas”. Ainda segundo o texto, a “Pefoce trabalha na identifica√ß√£o formal dos corpos atrav√©s da necropapiloscopia, que consiste na identifica√ß√£o humana de cad√°veres a partir das papilas d√©rmicas ou, caso necess√°rio, por meio de exame de DNA. Todas as circunst√Ęncias do crime est√£o sendo investigadas pela Pol√≠cia Civil”.

Detalhes sobre o caso s√≥ ser√£o repassados, de acordo com a secretaria, “no momento oportuno para n√£o comprometer o andamento das investiga√ß√Ķes. As dilig√™ncias est√£o em andamento para localizar os autores dos homic√≠dios.”

PUBLICIDADE