PUBLICIDADE

economia

Empreendedores têm até 12 de setembro para se inscreverem no programa Lab Habitação: Inovação e Moradia

Empreendedores têm até 12 de setembro para se inscreverem no programa Lab Habitação: Inovação e Moradia

 

Para fortalecer solu√ß√Ķes de impacto social que ajudem a tornar as moradias de milhares de brasileiros mais salubres, dignas e confort√°veis, Artemisia e Gerdau ‚Äď em parceria com o Instituto Vedacit, Tigre e Votorantim Cimentos; e apoio da CAIXA e CAU/BR ‚Äď anunciam as inscri√ß√Ķes para a segunda edi√ß√£o do¬†Lab Habita√ß√£o: Inova√ß√£o e Moradia. O programa de acelera√ß√£o de curto prazo ir√° potencializar solu√ß√Ķes inovadoras no setor de habita√ß√£o. Ser√£o selecionados at√© 15 neg√≥cios para uma jornada de cinco semanas, que conta com uma programa√ß√£o composta por workshops presenciais e online com foco no refinamento do modelo de neg√≥cio e do impacto social das solu√ß√Ķes. As inscri√ß√Ķes s√£o gratuitas e est√£o abertas at√© 12 de setembro; os empreendedores podem fazer a inscri√ß√£o pelo site¬†www.artemisia.org.br/labhabitacao/

Para o¬†Lab Habita√ß√£o: Inova√ß√£o e Moradia, as organiza√ß√Ķes est√£o em busca de empreendedores de todo o Brasil, que tenham neg√≥cios inovadores, com potencial de gerar impacto positivo e que estejam alinhados aos temas: acesso √† moradia de qualidade; solu√ß√Ķes financeiras para habita√ß√£o; reformas habitacionais; gest√£o de condom√≠nios de habita√ß√£o popular; √°gua e saneamento; energia; empregabilidade na constru√ß√£o civil; regulariza√ß√£o fundi√°ria; infraestrutura e melhoria do espa√ßo p√ļblico; e inova√ß√£o na constru√ß√£o civil.

Segundo Maure Pessanha, diretora-executiva da Artemisia, o sonho de contribuir para que 100% dos brasileiros e brasileiras possam viver com dignidade e poder de escolha passa pelo apoio de novas iniciativas empreendedoras no setor de habita√ß√£o. ‚ÄúQuando analisamos os componentes que formam uma vida digna e segura, a quest√£o habitacional se mostra intrinsecamente ligada √† qualidade de vida e √† sa√ļde da popula√ß√£o. √Č urgente lan√ßarmos o olhar para o contingente de pessoas vivendo em condi√ß√Ķes inadequadas. Transformar a habita√ß√£o insalubre ou irregular em um ambiente seguro, digno, confort√°vel e saud√°vel representa uma fa√≠sca de transforma√ß√£o, que impacta positivamente pessoas, fam√≠lias e a cidade como um todo‚ÄĚ. E complementa: ‚ÄúEmpreendedores e empreendedoras de todo o pa√≠s t√™m desenvolvido solu√ß√Ķes inovadoras e acess√≠veis, relacionadas diretamente √†s dores de moradia que afligem a popula√ß√£o mais vulner√°vel economicamente. Nosso programa quer apoiar essas iniciativas para que possam se fortalecer e impactar positivamente a vida de milhares de pessoas‚ÄĚ.

De acordo com Marcos Faraco, diretor-executivo da Gerdau A√ßos Brasil, os resultados da primeira edi√ß√£o do programa refor√ßam a convic√ß√£o de que neg√≥cios de impacto social podem oferecer solu√ß√Ķes que colaborem com os temas de habita√ß√£o para popula√ß√£o de baixa renda no pa√≠s. ‚ÄúFicamos muito satisfeitos com os empreendedores que passaram pela primeira edi√ß√£o do Lab Habita√ß√£o,em 2018. Quatro das cinco regi√Ķes do Brasil estiveram representadas no programa, o que demonstra o alcance nacional da iniciativa, que busca empoderar pessoas e neg√≥cios interessados em transformar o dia a dia da popula√ß√£o brasileira‚ÄĚ, afirma.

CRIT√ČRIOS DE SELE√á√ÉO E SETORES |¬†O¬†Lab Habita√ß√£o: Inova√ß√£o e Moradia¬†busca empreendedores de todo o Brasil que tenham neg√≥cios inovadores focados no setor da habita√ß√£o. A metodologia ‚Äď desenvolvida pela Artemisia, organiza√ß√£o pioneira no apoio a neg√≥cios de impacto social no Brasil ‚Äď foi planejada para potencializar solu√ß√Ķes que j√° tenham prot√≥tipo desenvolvido, em fase de valida√ß√£o da proposta de valor e modelo de neg√≥cios, e que tenham potencial e intencionalidade para gerar impacto social positivo.

Entre os crit√©rios de sele√ß√£o, o¬†impacto social¬†(neg√≥cios que ofere√ßam produtos ou servi√ßos para resolu√ß√£o de quest√Ķes relacionadas aos desafios da moradia com foco na melhoria da qualidade de vida da popula√ß√£o de baixa renda);¬†perfil (empreendedores com inten√ß√£o genu√≠na de mudar o Brasil, com hist√≥rico de realiza√ß√Ķes e capacidade para atrair talentos e desenvolver equipe consistente);¬†potencial de escala¬†(modelos de neg√≥cio lucrativos que ofere√ßam solu√ß√Ķes que possam ser escal√°veis e com potencial de atender milhares de pessoas em situa√ß√£o de vulnerabilidade econ√īmica);¬†est√°gio de maturidade¬†(neg√≥cios com prot√≥tipo ou produto/servi√ßo desenvolvido, que est√£o em fase de valida√ß√£o da proposta de valor e modelo de neg√≥cios); e¬†potencial de inova√ß√£o¬†(capacidade de entregar solu√ß√Ķes inovadoras com potencial de promover qualidade de vida para popula√ß√£o de baixa renda brasileira por meio de solu√ß√Ķes em habita√ß√£o). √Č essencial a disponibilidade de pelo menos um representante do neg√≥cio para participar de todos os dias de workshops presenciais.

A busca recai para neg√≥cios alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustent√°vel: Erradica√ß√£o da Pobreza (ODS 1); √Āgua Pot√°vel e Saneamento (ODS 6); Energia Acess√≠vel e Limpa (ODS 7); Ind√ļstria, Inova√ß√£o e Infraestrutura (ODS 9); e Cidades e Comunidades Sustent√°veis (ODS 11). √Č preciso ter a solu√ß√£o alinhada a uma das tem√°ticas do programa: acesso √† moradia de qualidade; solu√ß√Ķes financeiras para habita√ß√£o; reformas habitacionais; gest√£o de condom√≠nios de habita√ß√£o popular; √°gua e saneamento; energia; Empregabilidade na constru√ß√£o civil; regulariza√ß√£o fundi√°ria; infraestrutura e melhoria do espa√ßo p√ļblico; e inova√ß√£o na constru√ß√£o civil.

BENEF√ćCIOS AOS SELECIONADOS |Os empreendedores selecionados ser√£o potencializados com base na metodologia exclusiva de acelera√ß√£o de curto prazo da Artemisia, tendo acesso √† curadoria de ferramentas e conte√ļdos; conex√£o com outros empreendedores do setor; e mentorias com especialistas em neg√≥cio, impacto social e habita√ß√£o. Entre os mentores, estar√£o algumas das altas lideran√ßas das empresas correalizadoras do programa. O objetivo √© que os participantes saiam do programa com maior clareza sobre os pr√≥ximos passos do seu neg√≥cio para que avancem no desenvolvimento de aspectos fundamentais e estejam mais preparados para crescer e gerar impacto social no setor atuante. Os empreendedores que conclu√≠rem o programa tamb√©m passam a fazer parte da Rede Artemisia. Os neg√≥cios que se destacarem ao longo do processo ‚Äď at√© tr√™s empresas ‚Äď poder√£o receber capital semente e acompanhamento personalizado p√≥s-programa.

SOBRE HABITA√á√ÉO |A moradia √© atualmente um dos maiores desafios globais. Uma parte significativa da popula√ß√£o mais vulner√°vel economicamente vive em situa√ß√Ķes habitacionais prec√°rias. Um ter√ßo da popula√ß√£o mundial urbana vive em favelas e assentamentos informais; um bilh√£o de novas casas s√£o necess√°rias at√© 2025 no mundo, em um custo estimado em valores que v√£o de US$ 9 trilh√Ķes a US$ 11 trilh√Ķes. S√£o 330 milh√Ķes de fam√≠lias que est√£o financeiramente amea√ßadas pelos custos de habita√ß√£o ‚Äď n√ļmero que pode crescer para 440 milh√Ķes em 2025, de acordo com dados da McKinsey.Houve tamb√©m um aumento de28% no n√ļmero de residentes em favelas, indo de 689 milh√Ķes (1990) para 881 milh√Ķes em 2014de acordo com a ONU-Habitat. Grande parte dessa situa√ß√£o √© resultado de diversos fatores interligados que comp√Ķem o cen√°rio das cidades como conhecemos hoje.

O acesso a habita√ß√£o adequada est√° longe de ser a realidade para grande parte dos brasileiros. De acordo com o IBGE, 85% da popula√ß√£o brasileira vive em √°reas urbanas, onde se concentram os grandes desafios habitacionais, principalmente nas regi√Ķes metropolitanas. A popula√ß√£o de baixa renda √© a mais afetada por esses desafios e enfrenta as maiores barreiras para alcan√ßar o direito √† moradia e √† cidade. Muitas dessas regi√Ķes n√£o t√™m acesso √† infraestrutura b√°sica: 45% da popula√ß√£o ainda n√£o possuiesgotamento sanit√°rio adequado (Ag√™ncia Nacional de √Āguas, 2017); 8,3%n√£o possui coleta domiciliar de res√≠duos s√≥lidos; e 16,5%n√£o s√£o atendidos pela rede de abastecimento de √°gua (SNIS – Diagn√≥stico de √Āgua e Esgoto, 2017).