PUBLICIDADE

6.0 - ESTILO DE VIDA

Clubes aprovam uso de árbitro de vídeo, mas sem custos para os seus cofres

 - REVISTA MAISJR

A implementa√ß√£o do √°rbitro de v√≠deo na S√©rie A do Brasileiro em 2018 ter√° mais um cap√≠tulo e, talvez, o √ļltimo nesta segunda (5), quando os representantes dos 20 times e da CBF se re√ļnem no Rio de Janeiro para discutir sobre a competi√ß√£o, que tem in√≠cio previsto para o dia 15 de abril.

A entidade diz estar preparada para operacionalizar o sistema e a maioria dos times aprova o uso. Das 20 equipes que disputarão o torneio, 14 são a favor. Duas se manifestaram contrárias e outras quatro não responderam à reportagem.

O problema maior, porém, está na forma de como colocar a tecnologia em prática.

A CBF deseja que os clubes arquem com o custo de quase R$ 20 milh√Ķes para implementar a tecnologia em todos os jogos do campeonato.

“Os clubes v√£o ter que arcar com os custos. Vamos expor as vantagens e eles v√£o avaliar e decidir. Temos que definir na segunda (5). Caso haja a aprova√ß√£o, estamos completamente preparados”, disse o coronel Marcos Marinho, presidente da comiss√£o de arbitragem da CBF.

A ideia, no entanto, não é bem vista pela maior parte dos clubes. Oito querem que a entidade banque os custos do sistema integralmente. Outros três demonstraram estar dispostos a dividir as despesas, mas com contrapartidas, enquanto cinco preferiram não opinar antes da realização do Conselho Técnico.

GRAMA SINT√ČTICA

A utilização de gramados sintéticos no Brasileiro também estará em discussão na reunião do Conselho Técnico. A princípio, o gramado artificial está vetado para a edição deste ano do torneio.

O veto, que atinge exclusivamente a Arena da Baixada, do Atlético-PR, aconteceu no ano passado e passaria a valer em 2018.

Na época, a sugestão do veto foi dada por Eurico Miranda, então presidente do Vasco, e apoiada por outras 14 equipes.

Fonte: Estad√£o

PUBLICIDADE