PUBLICIDADE

brasil

Carne brasileira pode ampliar espaço no mercado chinês, diz ministra

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse hoje (22) que a peste suína na China pode oferecer uma oportunidade para o Brasil ampliar seu mercado de carnes. A China é hoje a maior produtora de carne suína do mundo.

‚ÄúHoje, com o problema que vem se agravando l√°, vemos grande oportunidade de o Brasil ocupar parte desse espa√ßo‚ÄĚ, disse a ministra, que esteve¬†hoje¬†na Associa√ß√£o Brasileira de Prote√≠na Animal (ABPA).

Quanto √† soja, a ministra disse que a expectativa √© que as exporta√ß√Ķes para a China sejam menores, por causa dos problemas com a peste su√≠na no pa√≠s. “Com certeza diminuir√£o as nossas exporta√ß√Ķes de soja, mas n√≥s vamos agregar valor. Em vez de vender soja a US$ 500 a tonelada, vamos vender a prote√≠na a US$ 2 mil a tonelada, seja frango, bovino ou su√≠no.”

Tereza Cristina lembrou, no entanto, que o Brasil precisa se manter alerta ao risco de contaminação de seus animais com a peste suína.

No Brasil, a PSA (peste su√≠na africana) foi erradicada em dezembro de 1984, e o pa√≠s foi declarado √°rea livre da doen√ßa. Mesmo assim, no ano passado, o minist√©rio ampliou as medidas de vigil√Ęncia sanit√°ria para evitar o ingresso do v√≠rus no pa√≠s. ‚ÄúHoje¬†a doen√ßa est√° espalhada s√≥ na √Āsia, mas √© muito preocupante.” A ministra destacou que √© preciso tomar todas as medidas porque o Brasil √© grande exportador e precisa estar seguro de que essa peste “n√£o chegue aqui”.

Segundo o Minist√©rio da Agricultura, a peste su√≠na africana √© uma doen√ßa viral e n√£o oferece risco √† sa√ļde humana, mas pode dizimar plant√©is de su√≠nos, sendo altamente infecciosa, o que exige o sacrif√≠cio dos animais, conforme determina a Organiza√ß√£o Mundial de Sa√ļde Animal (OIE).

 Inspeção

Tereza Cristina informou que a China deve enviar mais uma missão ao Brasil para inspecionar as unidades produtoras de carnes. No ano passado, chineses já haviam visitado 10 plantas no país.

“Eles pediram para levar os relat√≥rios com as novas perguntas, os novos questionamentos. Ent√£o, j√° estamos mandando para discutir l√° com eles a abertura das plantas. Estamos levando as informa√ß√Ķes de outras plantas. Acreditamos que ser√° marcada uma nova visita ao pa√≠s para fazer vistoria em outras plantas”, acrescentrou a ministra.

Viagem √† √Āsia

No dia¬†6 de maio, a ministra da Agricultura viaja para a √Āsia. A primeira etapa da viagem ser√° o Jap√£o, onde ela participar√° da reuni√£o de ministros da Agricultura dos pa√≠ses que integram o G20. Depois, ela ir√° √† China, onde visitar√° uma feira em Xangai e ter√° encontro com autoridades chinesas para¬† discutir a abertura de novas plantas de carne. Na China, a ministra pretende falar tamb√©m sobre as exporta√ß√Ķes de soja.

“N√≥s vamos falar sobre nossos mercados principais, e a soja √© um deles, dado que os Estados Unidos est√£o fechando um acordo no setor agropecu√°rio‚ÄĚ, explicou Tereza Cristina. ‚ÄúO Brasil tem de ir l√° e dizer: ‘Estamos aqui, sempre fomos bons parceiros, entregamos o que nos comprometemos, somos confi√°veis’. N√£o podemos deixar o lugar vazio que algu√©m vem aqui e senta”, afirmou.

Também estão no roteiro da ministra o Vietnã e a Indonésia.

Caminhoneiros

Em São Paulo, a ministra informou ainda que deve se reunir com representantes dos caminhoneiros nesta semana para avaliar a possibilidade de que eles façam fretes para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Segundo Tereza Cristina, os caminhoneiros têm reclamado da falta de cargas e de trabalho porque muitas empresas contrataram frotas próprias.

Foto/fonte: Agência Brasil