PUBLICIDADE

1.0 - RADARbrasil

Após congelamento, Petrobras anuncia aumento de 13% no preço do diesel

Petrobras anunciou nesta sexta-feira (31) reajuste de 13% no preço médio do diesel praticado pela estatal nas refinarias. O preço do litro subirá de R$ 2,0316 para R$ 2,2964.

Os novos preços entram em vigor já nesta sexta-feira e devem acabar impactando no valor pago pelos consumidores nas bombas. O repasse do reajuste para o preço final, entretanto, vai depender dos postos.

O pre√ßo do diesel estava congelado desde 1¬ļ junho e o reajuste acontece ap√≥s a Ag√™ncia Nacional do Petr√≥leo, G√°s Natural e Biocombust√≠veis (ANP) publicar os¬†novos pre√ßos de refer√™ncia para comercializa√ß√£o do diesel, com alta de at√© 14,4% dependendo da regi√£o do pa√≠s.

O congelamento do pre√ßo de refer√™ncia do diesel foi¬†parte decisiva da negocia√ß√£o do governo federal para p√īr fim √† greve dos caminhoneiros. Para n√£o causar preju√≠zos √†s refinarias e distribuidoras, o governo garantiu subsidiar em at√© R$ 0,30 por litro do combust√≠vel at√© o dia 31 de dezembro deste ano.

O novo pre√ßo de refer√™ncia do diesel publicado pela ANP nesta sexta refletem, segundo a ag√™ncia, “os aumentos dos pre√ßos internacionais do diesel e do c√Ęmbio no √ļltimo m√™s”. Os novos pre√ßos j√° levam em conta a subtra√ß√£o de R$ 0,30 por litro (patamar de subs√≠dio estabelecido pelo governo).

Os novos pre√ßos de refer√™ncia da ANP valer√£o por 30 dias. O¬†governo prev√™ gastar R$ 9,58 bilh√Ķes at√© o final do ano com o subs√≠dio ao diesel.

Apesar do reajuste, o novo preço do diesel nas refinarias ainda continuará abaixo do que era praticado antes da greve dos caminhoneiros. A máxima do período de reajustes diários da Petrobras foi registrada no dia 22 de maio, quando o diesel chegou a R$ 2,3716 nas refinarias.

Já os preços da gasolina foram reajustados em 1,40% nas refinarias a partir de sexta-feira, para R$ 2,1375 o litro, nova máxima dentro da era de reajustes diários iniciada há mais de um ano, conforme divulgado já na véspera pela estatal.

Diferença deve ser paga pelo consumidor

O novo preço do diesel leva em conta sobretudo a alta do preço do barril do petróleo e do dólar, e deve voltar a pesar no bolso dos consumidores, segundo especialistas do mercado.

Como o o d√≥lar foi a R$ 4, o pre√ßo do diesel subiu muito no mercado. Ent√£o, aqueles 30 centavos n√£o est√£o sendo suficiente para cobrir os custos das distribuidoras‚ÄĚ, afirma o s√≥cio-diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (Cbie), Adriano Pires.

A mudança na fórmula de cálculo do preço de referência do diesel partiu de uma cobrança das distribuidoras. Porém, a nova metodologia não atenderá às expectativas, segundo adiantou o presidente da Plural, Leonardo Gadotti.

Segundo o executivo, o pedido para mudan√ßa do c√°lculo partiu ‚Äúbasicamente daquelas [distribuidoras] que importam o produto‚ÄĚ. O Brasil produz 70% do diesel que consome, e os outros 30% s√£o importados.

‚ÄúAs distribuidoras pediam que a f√≥rmula considerasse os custos de transfer√™ncia do produto dos portos at√© a regi√£o de comercializa√ß√£o. Sob esse aspecto, o pedido foi atendido. O problema que surgiu √© que se estabeleceu na f√≥rmula um custo menor de log√≠stica e excluiu a margem de remunera√ß√£o das importadoras. Assim, voltou √† estaca zero. A f√≥rmula existe, mas n√£o incentiva ningu√©m a buscar o produto l√° fora‚ÄĚ, ressaltou Gadotti.

Fonte: G1

Foto: Pixabay

PUBLICIDADE