PUBLICIDADE

brasil

ANP autoriza Petrobras a movimentar gasolina de aviação

A Petro¬≠bras pas¬≠sou a poder movi¬≠men¬≠tar gasoli¬≠na de avi¬≠a√ß√£o (GAV) nas insta¬≠la√ß√Ķes da Ageo Leste Ter¬≠mi¬≠nais e Armaz√©ns Gerais S.A, em San¬≠tos, S√£o Paulo. A autor¬≠iza¬≠√ß√£o da Ag√™n¬≠cia Nacional do Petr√≥leo, G√°s Nat¬≠ur¬≠al e Bio¬≠com¬≠bust√≠veis (ANP) foi pub¬≠li¬≠ca¬≠da na edi√ß√£o de hoje (17) do Di√°rio Ofi¬≠cial da Uni√£o (DOU).

De acor¬≠do com a ANP, a movi¬≠men¬≠ta√ß√£o, em car√°ter excep¬≠cional deste com¬≠bust√≠v¬≠el, usa¬≠do pref¬≠er¬≠en¬≠cial¬≠mente em aeron¬≠aves de pequeno porte, pode ser fei¬≠ta no per√≠o¬≠do de 16 de jul¬≠ho a 31 de dezem¬≠bro de 2020 pela Petro¬≠bras. ‚ÄúA autor¬≠iza¬≠√ß√£o rep¬≠re¬≠sen¬≠ta mais uma op√ß√£o para armazena¬≠men¬≠to de GAV na regi√£o, que con¬≠cen¬≠tra grande n√ļmero de ter¬≠mi¬≠nais, con¬≠tribuin¬≠do para a garan¬≠tia do abastec¬≠i¬≠men¬≠to do mer¬≠ca¬≠do brasileiro‚ÄĚ, infor¬≠mou a ANP em nota.

Já a Ageo foi autor­iza­da a armazenar GAV e, após o cumpri­men­to de condi­cio­nantes pre­vis­tas nos reg­u­la­men­tos da ANP, efe­t­u­ar a sua expe­dição.

Na autor¬≠iza¬≠√ß√£o, assi¬≠na¬≠da pelo dire¬≠tor-ger¬≠al interi¬≠no da ANP, Jos√© Gut¬≠man, a ag√™n¬≠cia reg¬≠u¬≠lado¬≠ra apon¬≠ta as condi√ß√Ķes que devem ser seguidas para a expe¬≠di√ß√£o do pro¬≠du¬≠to, como o envio de relat√≥rio fotogr√°¬≠fi¬≠co con¬≠tendo evid√™n¬≠cias da ade¬≠qua√ß√£o das insta¬≠la√ß√Ķes ao armazena¬≠men¬≠to de GAV.

A Petro¬≠bras fica obri¬≠ga¬≠da a realizar an√°lise do pro¬≠du¬≠to ap√≥s a drenagem dos tan¬≠ques e emi¬≠tir cer¬≠ti¬≠fi¬≠ca¬≠do da qual¬≠i¬≠dade com¬≠pro¬≠van¬≠do o atendi¬≠men¬≠to inte¬≠gral √† especi¬≠fi¬≠ca√ß√Ķes do com¬≠bust√≠v¬≠el.

Den√ļncias

Na segun¬≠da-feira (13), a ANP recomen¬≠dou aos dis¬≠tribuidores que com¬≠er¬≠cial¬≠izam gasoli¬≠na de avi¬≠a√ß√£o, que em sub¬≠sti¬≠tu¬≠i√ß√£o ao Reg¬≠istro de An√°lise esta¬≠b¬≠ele¬≠ci¬≠do nos ter¬≠mos da Res¬≠olu√ß√£o ANP n¬ļ 5, de 2009, pas¬≠sas¬≠sem a emi¬≠tir Bole¬≠tim de Con¬≠formi¬≠dade em todas as quan¬≠ti¬≠dades do pro¬≠du¬≠to.

A ori­en­tação ocor­reu após a inves­ti­gação sobre pos­sív­el con­t­a­m­i­nação da GAV dis­tribuí­da no ter­ritório nacional. Naque­le dia, a ANP infor­mou, que tin­ha rece­bido no dia 8 de jul­ho, da Agên­cia Nacional de Avi­ação Civ­il (ANAC) a infor­mação sobre uma ocor­rên­cia de pos­sív­el alter­ação do pro­du­to. No dia 11 de jul­ho foi a vez da Asso­ci­ação de Pilo­tos e Pro­pri­etários de Aeron­aves (AOPA) for­malizar uma ocor­rên­cia.

Tam¬≠b√©m em jul¬≠ho, a Petro¬≠bras emi¬≠tiu comu¬≠ni¬≠ca¬≠do com a decis√£o de inter¬≠romper, pre¬≠ven¬≠ti¬≠va¬≠mente, o fornec¬≠i¬≠men¬≠to de um lote de gasoli¬≠na de avi¬≠a√ß√£o impor¬≠ta¬≠da, ap√≥s testes real¬≠iza¬≠dos em seu cen¬≠tro de pesquisas (Cen¬≠pes).

Con­forme a com­pan­hia, ape­sar de estar de acor­do com os req­ui­si­tos de qual­i­dade exigi­dos pela ANP, foi iden­ti­fi­ca­do nesse lote um teor de com­pos­tos aromáti­cos difer­ente dos até então impor­ta­dos. A Petro­bras infor­mou no comu­ni­ca­do que estu­da a hipótese da vari­ação da com­posição quími­ca ter impacta­do os mate­ri­ais de vedação e reves­ti­men­to de tan­ques de com­bustíveis de aeron­aves de pequeno porte, emb­o­ra não tivesse ain­da um diag­nós­ti­co com­ple­to que per­mi­ta asse­gu­rar a relação de causa e efeito, o que requer um ras­trea­men­to em todo o ter­ritório nacional.

Edição: Aline Leal/AB

PUBLICIDADE