PUBLICIDADE

brasil

Alerj publica abertura de impeachment contra Witzel

Foi pub¬≠li¬≠ca¬≠do na edi√ß√£o de hoje (15) do Di√°rio Ofi¬≠cial do Rio de Janeiro o Ato n√ļmero 41/2020 do pres¬≠i¬≠dente da Assem¬≠bleia Leg¬≠isla¬≠ti¬≠va do Esta¬≠do (Alerj), dep¬≠uta¬≠do Andr√© Cecil¬≠iano, que abre o proces¬≠so de impeach¬≠ment con¬≠tra o gov¬≠er¬≠nador Wil¬≠son Witzel, por crime de respon¬≠s¬≠abil¬≠i¬≠dade.

aber¬≠tu¬≠ra do proces¬≠so n√ļmero 5.328/2020 foi aprova¬≠da na quar¬≠ta-feira (10), em sess√£o vir¬≠tu¬≠al dev¬≠i¬≠do √† pan¬≠demia da covid-19, com 69 votos a favor, nen¬≠hum con¬≠tra e uma aus√™n¬≠cia. O gov¬≠er¬≠nador √© sus¬≠peito de envolvi¬≠men¬≠to em com¬≠pras fraud¬≠u¬≠len¬≠tas e super¬≠fat¬≠u¬≠radas de equipa¬≠men¬≠tos e insumos para o com¬≠bate √† pan¬≠demia do novo coro¬≠n¬≠av√≠rus.

O ato abre pra¬≠zo de 48 horas para que os l√≠deres indiquem um mem¬≠bro do par¬≠tido para com¬≠por a Comis¬≠s√£o Espe¬≠cial respon¬≠s√°v¬≠el por elab¬≠o¬≠rar o pare¬≠cer da den√ļn¬≠cia con¬≠tra Witzel. Ap√≥s a indi¬≠ca√ß√£o, os mem¬≠bros t√™m mais 48 horas para eleger o pres¬≠i¬≠dente e o rela¬≠tor da comis¬≠s√£o.

O gov¬≠er¬≠nador ter√° pra¬≠zo de dez sess√Ķes para apre¬≠sen¬≠tar sua defe¬≠sa √† Comis¬≠s√£o Espe¬≠cial. Ap√≥s a apre¬≠sen¬≠ta√ß√£o da defe¬≠sa, o pare¬≠cer pela admis¬≠si¬≠bil¬≠i¬≠dade ou n√£o da den√ļn¬≠cia deve ser apre¬≠sen¬≠ta¬≠do no pra¬≠zo de cin¬≠co sess√Ķes.

Governador

Wil¬≠son Witzel se posi¬≠cio¬≠nou em nota na pr√≥pria quar¬≠ta-feira, dizen¬≠do que rece¬≠beu ‚Äúcom esp√≠ri¬≠to democr√°ti¬≠co e resil¬≠i√™n¬≠cia‚ÄĚ a not√≠¬≠cia do in√≠¬≠cio da trami¬≠ta√ß√£o do proces¬≠so de impeach¬≠ment pela Alerj.

‚ÄúEstou abso¬≠lu¬≠ta¬≠mente tran¬≠qui¬≠lo sobre a min¬≠ha inoc√™n¬≠cia. Fui eleito ten¬≠do como pilar o com¬≠bate √† cor¬≠rup√ß√£o e n√£o aban¬≠donei em nen¬≠hum momen¬≠to essa ban¬≠deira. E √© isso que, humilde¬≠mente, irei demon¬≠strar para as sen¬≠ho¬≠ras dep¬≠utadas e sen¬≠hores dep¬≠uta¬≠dos‚ÄĚ.

Ele infor¬≠mou que vai apre¬≠sen¬≠tar defe¬≠sa e diz ter ‚Äúcerteza abso¬≠lu¬≠ta‚ÄĚ de que ir√° demon¬≠strar que seu gov¬≠er¬≠no ‚Äún√£o teve tol¬≠er√Ęn¬≠cia com as irreg¬≠u¬≠lar¬≠i¬≠dades elen¬≠cadas no proces¬≠so que ser√° jul¬≠ga¬≠do‚ÄĚ.

‚ÄúVou seguir nas min¬≠has fun√ß√Ķes como gov¬≠er¬≠nador e me preparar para a min¬≠ha defe¬≠sa. Ten¬≠ho certeza que os par¬≠la¬≠mentares jul¬≠gar¬≠√£o os fatos como eles ver¬≠dadeira¬≠mente s√£o‚ÄĚ.

A reportagem solic­i­tou nova posição do gov­er­nador e aguar­da respos­ta.

Witzel foi alvo, no dia 26 de maio, da Oper­ação Place­bo, autor­iza­da pelo Supe­ri­or Tri­bunal de Justiça, que inves­ti­ga cor­rupção na com­pra de equipa­men­tos e insumos para o com­bate à pan­demia no esta­do.

Tam¬≠b√©m foram alvos a primeira dama, Hele¬≠na Witzel, a empre¬≠sa Iabas, con¬≠trata¬≠da para mon¬≠tar e gerir hos¬≠pi¬≠tais de cam¬≠pan¬≠ha, entre out¬≠ros. Os poli¬≠ci¬≠ais fed¬≠erais fiz¬≠er¬≠am bus¬≠cas no Pal√°¬≠cio Laran¬≠jeiras, resid√™n¬≠cia ofi¬≠cial do gov¬≠er¬≠nador, e na casa da fam√≠lia Witzel, no bair¬≠ro do Gra¬≠ja√ļ.

Edição: Valéria Aguiar/AB

PUBLICIDADE