PUBLICIDADE

mundo

Vitória eleitoral de presidente polonês aponta para novas batalhas com a UE

O pres¬≠i¬≠dente da Pol√ī¬≠nia, Andrzej Duda, con¬≠quis¬≠tou mais cin¬≠co anos no poder com uma platafor¬≠ma pro¬≠fun¬≠da¬≠mente con¬≠ser¬≠vado¬≠ra depois de uma elei√ß√£o muito dis¬≠puta¬≠da que provavel¬≠mente apro¬≠fun¬≠dar√° o iso¬≠la¬≠men¬≠to do pa√≠s na Uni√£o Europeia.

Resul­ta­dos quase defin­i­tivos da eleição pres­i­den­cial o mostram com mais de 51% dos votos, o que lhe dá uma van­tagem inat­acáv­el sobre o prefeito de Varsóvia, Rafal Trza­skows­ki, que obteve quase 49% das urnas, disse a Comis­são Nacional Eleitoral.

Duda é ali­a­do do par­tido nacional­ista gov­ernista Lei e Justiça (PiS), e sua vitória autor­izará o gov­er­no a bus­car refor­mas do Judi­ciário e da mídia que a Comis­são Europeia, o Exec­u­ti­vo do blo­co, diz sub­vert­erem val­ores democráti­cos.

‚ÄúN√£o quero falar em nome da equipe de cam¬≠pan¬≠ha, mas acho que esta difer¬≠en√ßa √© grande o sufi¬≠ciente para ter¬≠mos que aceitar o resul¬≠ta¬≠do‚ÄĚ, disse Grze¬≠gorz Schety¬≠na, ex-l√≠der do grupo de oposi√ß√£o Platafor¬≠ma C√≠vi¬≠ca, que apoiou Trza¬≠skows¬≠ki.

Apoia¬≠do pelo PiS, Duda real¬≠i¬≠zou uma cam¬≠pan¬≠ha agres¬≠si¬≠va, com toques de lin¬≠guagem homof√≥bi¬≠ca, ataques con¬≠tra a m√≠dia pri¬≠va¬≠da e acusa√ß√Ķes segun¬≠do as quais Trza¬≠skows¬≠ki serve a inter¬≠ess¬≠es estrangeiros ao inv√©s da Pol√ī¬≠nia. Trza¬≠skows¬≠ki refutou as acusa√ß√Ķes.

O tri¬≠un¬≠fo de Duda abre cam¬≠in¬≠ho para novos embat¬≠es entre o pa√≠s e a Comis¬≠s√£o Europeia enquan¬≠to a UE ten¬≠ta lidar com o golpe econ√īmi¬≠co da pan¬≠demia de Covid-19 e a ascen¬≠s√£o do nacional¬≠is¬≠mo no blo¬≠co de 27 mem¬≠bros.

Antes do PiS e de Duda chegarem ao poder, em 2015, a Pol√ī¬≠nia tin¬≠ha um dos gov¬≠er¬≠nos mais pr√≥-Europa do anti¬≠go leste comu¬≠nista do blo¬≠co, mas vem se tor¬≠nan¬≠do cada vez mais hos¬≠til, crian¬≠do divis√Ķes sobre¬≠tu¬≠do em rela√ß√£o √† mudan√ßa clim√°ti¬≠ca e √† imi¬≠gra√ß√£o, al√©m das nor¬≠mas democr√°ti¬≠cas.

Prefeito de Vars√≥via des¬≠de 2018, Trza¬≠skows¬≠ki disse que bus¬≠caria uma Pol√ī¬≠nia mais tol¬≠er¬≠ante se fos¬≠se eleito. Ele criti¬≠cou a ret√≥ri¬≠ca do PiS, prom¬≠e¬≠tendo abolir o canal de not√≠¬≠cias estatal TVP Info, que cr√≠ti¬≠cos dizem dar aten√ß√£o exces¬≠si¬≠va a Duda em sua pro¬≠gra¬≠ma√ß√£o.

Mas para muitos con­ser­vadores reli­giosos da nação pre­dom­i­nan­te­mente católi­ca, ele pas­sou a rep­re­sen­tar ameaças aos val­ores tradi­cionais ao prom­e­ter ado­tar a edu­cação a respeito dos dire­itos LGBT nas esco­las da cidade.

‚Äú√Č o que pop¬≠ulis¬≠tas fazem com mui¬≠ta efi¬≠ci√™n¬≠cia. Voc√™ iden¬≠ti¬≠fi¬≠ca o inimi¬≠go e se con¬≠cen¬≠tra em com¬≠bat√™-lo. Isto √© o que foi usa¬≠do nes¬≠ta cam¬≠pan¬≠ha, o medo dos out¬≠ros‚ÄĚ, opinou Anna Mater¬≠s¬≠ka-Sos¬≠nows¬≠ka, cien¬≠tista pol√≠ti¬≠ca da Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Vars√≥via.

Fonte: Reuters

PUBLICIDADE