PUBLICIDADE

1.0 - Radarpolítica

Vice-prefeito declara que haverá aumento de impostos caso reforma da Previdência não passar

Chama¬≠do de ‚Äúprefeito‚ÄĚ e ‚Äúfuturo prefeito‚ÄĚ por Jo√£o Doria (PSDB) e por secret√°rios, o vice-prefeito e secret√°rio da Casa Civ¬≠il, Bruno Covas (PSDB), disse que, se a refor¬≠ma da Pre¬≠v¬≠id√™n¬≠cia n√£o pas¬≠sar, a Prefeitu¬≠ra deixar√° de inve¬≠stir em out¬≠ras √°reas e pre¬≠cis¬≠ar√° aumen¬≠tar impos¬≠tos. Segun¬≠do ele, 90% do IPTU arrecada¬≠do ser√° des¬≠ti¬≠na¬≠do √† pre¬≠v¬≠id√™n¬≠cia p√ļbli¬≠ca em 2018, val¬≠or que dev¬≠er√° ser de 100% no ano que vem. ‚ÄúOu a gente faz a refor¬≠ma da Pre¬≠v¬≠id√™n¬≠cia ou vai ter que aumen¬≠tar os impos¬≠tos na cidade de S√£o Paulo. A Prefeitu¬≠ra acha mais jus¬≠to faz¬≠er a refor¬≠ma da Pre¬≠v¬≠id√™n¬≠cia‚ÄĚ, declar¬≠ou Bruno.

Nes¬≠ta quar¬≠ta-feira, 28, Doria criti¬≠cou a decis√£o da C√Ęmara Munic¬≠i¬≠pal de Vereadores de adi¬≠ar por 120 dias a vota√ß√£o do pro¬≠je¬≠to de refor¬≠ma da Pre¬≠v¬≠id√™n¬≠cia munic¬≠i¬≠pal. ‚ÄúEsta¬≠mos com a con¬≠sci√™n¬≠cia tran¬≠quila de que cump¬≠ri¬≠mos com a nos¬≠sa obri¬≠ga√ß√£o: aler¬≠tar o Leg¬≠isla¬≠ti¬≠vo sobre os riscos da fal√™n¬≠cia da maior cidade brasileira‚ÄĚ, afir¬≠mou √† jor¬≠nal¬≠ista durante agen¬≠da ofi¬≠cial

‚ÄúA gente acha mais jus¬≠to faz¬≠er a refor¬≠ma, se os vereadores enten¬≠derem de out¬≠ra maneira, n√≥s vamos ter f√© em ade¬≠quar as con¬≠tas p√ļbli¬≠cas de uma out¬≠ra for¬≠ma: ou reduzin¬≠do mais o recur¬≠so da edu¬≠ca√ß√£o, da sa√ļde, do meio ambi¬≠ente, da cul¬≠tura, do esporte, da mobil¬≠i¬≠dade, ou amplian¬≠do os impos¬≠tos da cidade de S√£o Paulo. A gente con¬≠tin¬≠ua enten¬≠den¬≠do a refor¬≠ma necess√°ria e espera que a C√Ęmara pos¬≠sa enfrentar esse desafio‚ÄĚ, acres¬≠cen¬≠tou.

Segun¬≠do Doria, se a refor¬≠ma n√£o for aprova¬≠da, o Munic√≠¬≠pio ter√° um ‚Äúrom¬≠bo‚ÄĚ or√ßa¬≠men¬≠t√°rio de R$ 5,8 bil¬≠h√Ķes, o que impactaria servi√ßos munic¬≠i¬≠pais de √°reas diver¬≠sas. ‚ÄúCump¬≠ri¬≠mos com o nos¬≠so dev¬≠er. O Exec¬≠u¬≠ti¬≠vo cumpriu o seu papel, de mostrar a gravi¬≠dade desse tema‚ÄĚ, disse. ‚ÄúDur¬≠mo com a con¬≠sci√™n¬≠cia tran¬≠quila, res¬≠ta saber se out¬≠ros dormir√£o com a con¬≠sci√™n¬≠cia tran¬≠quila tam¬≠b√©m.‚ÄĚ

Históri­co

Doria pre¬≠tendia aprovar a refor¬≠ma na C√Ęmara at√© o dia 6 de abril, quan¬≠do deixar√° a Prefeitu¬≠ra para con¬≠cor¬≠rer ao gov¬≠er¬≠no do Esta¬≠do de S√£o Paulo. Uma comis¬≠s√£o espe¬≠cial de estu¬≠dos den¬≠tro do Leg¬≠isla¬≠ti¬≠vo dev¬≠er√° dis¬≠cu¬≠tir uma nova pro¬≠pos¬≠ta. O pro¬≠je¬≠to pre¬≠via aumen¬≠tar a al√≠quo¬≠ta sobre o sal√°rio dos servi¬≠dores de 11% para 14%. Para ser aprova¬≠do, pre¬≠cisa¬≠va alcan√ßar o m√≠n¬≠i¬≠mo de 28 votos ‚ÄĒ do total de 55 vereadores.

Ap√≥s o an√ļn¬≠cio, os pro¬≠fes¬≠sores munic¬≠i¬≠pais encer¬≠raram uma greve ini¬≠ci¬≠a¬≠da no dia 8. A par¬≠al¬≠isa√ß√£o pode, con¬≠tu¬≠do, ser retoma¬≠da caso o pro¬≠je¬≠to volte para a pau¬≠ta na C√Ęmara.

Fonte: JB

PUBLICIDADE