PUBLICIDADE

s√£o paulo

São Paulo vai produzir vacina contra o novo coronavírus

O gov­er­nador de São Paulo, João Dória, anun­ciou que São Paulo vai pro­duzir uma vaci­na con­tra o novo coro­n­avírus. Isso será pos­sív­el por uma parce­ria que foi fir­ma­da ontem (10) entre o Insti­tu­to Butan­tan e o lab­o­ratório chinês Sino­vac Biotech. A vaci­na é ina­ti­va­da, ou seja, con­tém ape­nas frag­men­tos do vírus mor­tos ou com baixa ativi­dade. Com a apli­cação da dose, o sis­tema imunológi­co pas­saria a pro­duzir anti­cor­pos con­tra o agente cau­sador da Covid-19.

‚ÄúHoje √© um dia hist√≥ri¬≠co para S√£o Paulo e para o Brasil, assim como para a ci√™n¬≠cia mundi¬≠al. O Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan fechou acor¬≠do de tec¬≠nolo¬≠gia com a gigante far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠ca Sino¬≠vac Biotech para a pro¬≠du√ß√£o de vaci¬≠na con¬≠tra o coro¬≠n¬≠av√≠rus‚ÄĚ, falou Jo√£o Doria, gov¬≠er¬≠nador de S√£o Paulo. ‚ÄúEssa vaci¬≠na do Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan √© das mais avan√ßadas con¬≠tra o coro¬≠n¬≠av√≠rus. E estu¬≠dos indicam que ela estar√° dispon√≠v¬≠el no primeiro semes¬≠tre do pr√≥x¬≠i¬≠mo ano, ou seja, at√© jun¬≠ho do pr√≥x¬≠i¬≠mo ano. Com essa vaci¬≠na poder¬≠e¬≠mos imu¬≠nizar mil¬≠h√Ķes de brasileiros‚ÄĚ, acres¬≠cen¬≠tou.

A vaci¬≠na, chama¬≠da de Coro¬≠n¬≠aVac, est√° em fase adi¬≠anta¬≠da de testes. Ela j√° est√° na ter¬≠ceira eta¬≠pa, chama¬≠da cl√≠ni¬≠ca, de testagem em humanos. ‚ÄúUm coro¬≠n¬≠av√≠rus √© intro¬≠duzi¬≠do em uma c√©lu¬≠la do tipo Vero. Essa c√©lu¬≠la √© cul¬≠ti¬≠va¬≠da em lab¬≠o¬≠rat√≥rio. O v√≠rus se mul¬≠ti¬≠pli¬≠ca. No final, o v√≠rus √© ina¬≠ti¬≠va¬≠do e incor¬≠po¬≠ra¬≠do na vaci¬≠na, que ser√° apli¬≠ca¬≠do na pop¬≠u¬≠la√ß√£o‚ÄĚ, expli¬≠cou Dimas Covas, dire¬≠tor do Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan. O inves¬≠ti¬≠men¬≠to do Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan para os estu¬≠dos nes¬≠sa fase cl√≠ni¬≠ca √© de R$ 85 mil¬≠h√Ķes.

Segun­do Dimas, há no mun­do hoje 136 vaci­nas con­tra o novo coro­n­avírus em desen­volvi­men­to, mas ape­nas dez delas atin­gi­ram a eta­pa de estu­dos clíni­cos. Três estão em fas­es ain­da mais adi­antadas de testes e a Coro­n­aVac é uma delas.

Fase clínica

O desen­volvi­men­to de uma vaci­na é feito em eta­pas. A primeira delas é a fase lab­o­ra­to­r­i­al, onde é feito a avali­ação de qual a mel­hor com­posição para a vaci­na. A segun­da eta­pa, chama­da de pré-clíni­ca, é a de testes em ani­mais. A ter­ceira eta­pa é a chama­da fase clíni­ca, de testes em humanos.

Essa ter¬≠ceira eta¬≠pa √© divi¬≠di¬≠da em tr√™s fas¬≠es. As fas¬≠es 1 (ini¬≠cial, que avalia se a vaci¬≠na √© segu¬≠ra) e 2 (que con¬≠ta com uma maior quan¬≠ti¬≠dade de vol¬≠un¬≠t√°rios e avalia a efic√°¬≠cia do pro¬≠du¬≠to) j√° foram real¬≠izadas na Chi¬≠na, com suces¬≠so. Ago¬≠ra a vaci¬≠na est√° entran¬≠do na fase 3, que ser√° real¬≠iza¬≠da no Brasil, com 9 mil vol¬≠un¬≠t√°rios, de todo o pa√≠s, ini¬≠cian¬≠do por S√£o Paulo. Essa fase, que √© um estu¬≠do pop¬≠u¬≠la¬≠cional, deve ser come√ßar j√° no m√™s de jul¬≠ho. ‚ÄúDen¬≠tro de aprox¬≠i¬≠mada¬≠mente tr√™s sem¬≠anas, 9 mil vol¬≠un¬≠t√°rios estar√£o sendo tes¬≠ta¬≠dos aqui no Brasil‚ÄĚ, disse Doria.

‚ÄúNa fase ini¬≠cial [da vaci¬≠na] foram feitos estu¬≠dos em maca¬≠cos. Os resul¬≠ta¬≠dos foram pub¬≠li¬≠ca¬≠dos na revista cien¬≠t√≠¬≠fi¬≠ca Sci¬≠ence. A fase 1 [de testagem cl√≠ni¬≠ca] con¬≠tou com 144 vol¬≠un¬≠t√°rios [chi¬≠ne¬≠ses] e, a fase 2, com 600 vol¬≠un¬≠t√°rios na Chi¬≠na. E a fase 3 ser√° ago¬≠ra fei¬≠ta no Brasil‚ÄĚ, expli¬≠cou Dimas Covas.

Caso os testes feitos com ess¬≠es 9 mil vol¬≠un¬≠t√°rios, na fase 3, se mostrem pos¬≠i¬≠tivos, a vaci¬≠na entrar√° na eta¬≠pa de reg¬≠istro jun¬≠to √† Ag√™n¬≠cia Nacional de Vig¬≠il√Ęn¬≠cia San¬≠it√°ria (Anvisa) e ent√£o come√ßar√° a ser pro¬≠duzi¬≠da em larga escala. A expec¬≠ta¬≠ti¬≠va do Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan √© de que a vaci¬≠na poder√° estar dispon√≠v¬≠el para a pop¬≠u¬≠la√ß√£o em jun¬≠ho de 2021. ‚ÄúCom¬≠pro¬≠va¬≠da a efic√°¬≠cia e segu¬≠ran√ßa da vaci¬≠na, o Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan ter√° o dom√≠nio da tec¬≠nolo¬≠gia e ela poder√° ser pro¬≠duzi¬≠da em larga escala no Brasil para fornec¬≠i¬≠men¬≠to ao SUS [Sis¬≠tema √öni¬≠co da Sa√ļde] de for¬≠ma gra¬≠tui¬≠ta at√© jun¬≠ho de 2021‚ÄĚ, falou o gov¬≠er¬≠nador. Ent√£o, caso ela seja aprova¬≠da, ser√° pro¬≠duzi¬≠da em larga escala tan¬≠to na Chi¬≠na quan¬≠to no Brasil. O Butan¬≠tan tem capaci¬≠dade de pro¬≠duzir 1 mil¬≠h√£o de vaci¬≠nas por dia em sua f√°bri¬≠ca de gripes‚ÄĚ, disse Covas.

As primeiras pes­soas a serem vaci­nadas no Brasil, segun­do Dimas Covas, serão as dos gru­pos de maior risco, como idosos e/ou com comor­bidades, ou seja, doenças pré-exis­tentes.

Sinovac

Por meio de nota em seu site, a Sino¬≠vac Biotech infor¬≠mou que os resul¬≠ta¬≠dos pr√©-cl√≠ni¬≠cos ‚Äúpromis¬≠sores sobre o Coro¬≠n¬≠aVac foram pub¬≠li¬≠ca¬≠dos recen¬≠te¬≠mente na revista cien¬≠t√≠¬≠fi¬≠ca Sci¬≠ence, em um arti¬≠go afir¬≠man¬≠do que o can¬≠dida¬≠to a vaci¬≠na √© seguro e fornece pro¬≠te√ß√£o a maca¬≠cos rhe¬≠sus por meio de um estu¬≠do de desafio com ani¬≠mais‚ÄĚ.

Segun¬≠do a far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠ca, a Sino¬≠vac est√° con¬≠stru¬≠in¬≠do uma f√°bri¬≠ca com¬≠er¬≠cial de pro¬≠du√ß√£o de vaci¬≠nas na Chi¬≠na, que dev¬≠er√° fab¬≠ricar at√© 100 mil¬≠h√Ķes de dos¬≠es de Coro¬≠n¬≠aVac a cada ano.

‚ÄúEsta¬≠mos orgul¬≠hosos em par¬≠tic¬≠i¬≠par da luta con¬≠tra a covid-19 e esper¬≠amos tra¬≠bal¬≠har com o Insti¬≠tu¬≠to Butan¬≠tan para aju¬≠dar o povo do Brasil. Por meio dessa parce¬≠ria, a Sino¬≠vac poder√° aumen¬≠tar a veloci¬≠dade sem prece¬≠dentes do desen¬≠volvi¬≠men¬≠to da Coro¬≠n¬≠aVac, sem com¬≠pro¬≠m¬≠e¬≠ter nos¬≠sos padr√Ķes e pro¬≠ced¬≠i¬≠men¬≠tos de segu¬≠ran√ßa‚ÄĚ, disse Wei¬≠dong Yin, pres¬≠i¬≠dente da Sino¬≠vac.

Edição: Bruna Saniele/AB

PUBLICIDADE