PUBLICIDADE

mundo

Reino Unido anuncia investimento bilion√°rio em vacinas

O gov¬≠er¬≠no brit√Ęni¬≠co vai inve¬≠stir mais R$1,5 bil¬≠h√£o em pesquisa e pro¬≠du√ß√£o de vaci¬≠nas para o com¬≠bate ao novo coro¬≠n¬≠av√≠rus. O inves¬≠ti¬≠men¬≠to em pesquisas ser√° dire¬≠ciona¬≠do aos dois cen¬≠tros que s√£o os can¬≠didatos mais avan√ßa¬≠dos √† descober¬≠ta da vaci¬≠na no Reino Unido.

Os recur¬≠sos est√£o divi¬≠di¬≠dos em R$ 588 mil¬≠h√Ķes em apoio √† pesquisa para a Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford e o Impe¬≠r¬≠i¬≠al Col¬≠lege of Lon¬≠don, que j√° t√™m vaci¬≠nas can¬≠di¬≠datas em est√°¬≠gio de testes em seres humanos.

Out¬≠ros R$ 651 mil¬≠h√Ķes ser√£o des¬≠ti¬≠na¬≠dos para a imple¬≠men¬≠ta√ß√£o do Cen¬≠tro de Ino¬≠va√ß√£o e Pro¬≠du√ß√£o de Vaci¬≠nas (VMIC, na sigla em ingl√™s), que pode come√ßar a pro¬≠duzir vaci¬≠nas em mas¬≠sa no segun¬≠do semes¬≠tre de 2021. Al√©m dis¬≠so, out¬≠ros R$ 266 mil¬≠h√Ķes ser√£o des¬≠ti¬≠na¬≠dos para uma f√°bri¬≠ca de imple¬≠men¬≠ta√ß√£o r√°p¬≠i¬≠da, capaz de pro¬≠du√ß√£o mas¬≠si¬≠va de vaci¬≠nas j√° no segun¬≠do semes¬≠tre de 2020, at√© a inau¬≠gu¬≠ra√ß√£o do Cen¬≠tro.

A Uni¬≠ver¬≠si¬≠dade de Oxford, que dev¬≠er√° rece¬≠ber 65,5 mil¬≠h√Ķes de libras, con¬≠cluiu recen¬≠te¬≠mente um acor¬≠do de licen¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to glob¬≠al com a far¬≠ma¬≠c√™u¬≠ti¬≠ca brit√Ęni¬≠ca AstraZeneca, para com¬≠er¬≠cial¬≠iza¬≠√ß√£o e pro¬≠du√ß√£o de uma pos¬≠s√≠v¬≠el vaci¬≠na. Isso sig¬≠nifi¬≠ca que, caso a vaci¬≠na de Oxford seja bem-suce¬≠di¬≠da, a AstraZeneca deve disponi¬≠bi¬≠lizar at√© 30 mil¬≠h√Ķes de dos¬≠es para os brit√Ęni¬≠cos at√© setem¬≠bro de 2020. Al√©m dis¬≠so, o Impe¬≠r¬≠i¬≠al Col¬≠lege of Lon¬≠don rece¬≠ber√° 18,5 mil¬≠h√Ķes de libras para pesquisas, aumen¬≠tan¬≠do as chances de suces¬≠so na bus¬≠ca por uma vaci¬≠na para covid-19.

De acor¬≠do com gov¬≠er¬≠no brit√Ęni¬≠co, o Reino Unido est√° se preparan¬≠do para pro¬≠du√ß√£o em mas¬≠sa da vaci¬≠na, assim que ela estiv¬≠er dispon√≠v¬≠el. Para isso, ser√° inau¬≠gu¬≠ra¬≠do no segun¬≠do semes¬≠tre de 2021 o Cen¬≠tro de Ino¬≠va√ß√£o e Pro¬≠du√ß√£o de Vaci¬≠nas.

O inves¬≠ti¬≠men¬≠to anun¬≠ci¬≠a¬≠do vai ante¬≠ci¬≠par em 12 meses a inau¬≠gu¬≠ra√ß√£o da insta¬≠la√ß√£o, antes pre¬≠vista para 2022. At√© o momen¬≠to, os setores p√ļbli¬≠co e pri¬≠va¬≠do do Reino Unido acu¬≠mu¬≠lam 201 mil¬≠h√Ķes de libras para con¬≠stru¬≠ir este cen¬≠tro, que ficar√° basea¬≠do no Har¬≠well Sci¬≠ence and Inno¬≠va¬≠tion Cam¬≠pus, na cidade de Oxford¬≠shire.

A f√°bri¬≠ca, que j√° est√° em con¬≠stru√ß√£o, √© um com¬≠po¬≠nente fun¬≠da¬≠men¬≠tal no pro¬≠gra¬≠ma brit√Ęni¬≠co para a vaci¬≠na do novo coro¬≠n¬≠av√≠rus e para garan¬≠tir que, assim que estiv¬≠er dispon√≠v¬≠el, ela pos¬≠sa ser pro¬≠duzi¬≠da rap¬≠i¬≠da¬≠mente e em quan¬≠ti¬≠dades mas¬≠si¬≠vas. O VMIC tam¬≠b√©m vai ser usa¬≠do para pro¬≠duzir vaci¬≠nas para out¬≠ras doen√ßas, como o v√≠rus da gripe.

Edição: Lil­iane Farias/Agência Brasil

PUBLICIDADE