2.0 // dossiê2.2 // negócios

Investimentos na moda masculina

Marcas de luxo estão investindo cada vez mais em moda masculina, que está se expandindo mais rápido do que a feminina à medida que os estilos ficam mais descontraídos e peças de streetwear, como moletons, conquistam novos públicos.

Grandes casas de moda como os conglomerados franceses LVMH e Kering estão entre as marcas que estão contratando estilistas famosos e investindo em roupas para homens.

“É mais do que uma moda passageira. É uma tendência mais profunda”, disse Sidney Toledano, chefe do grupo de moda da LVMH, nos bastidores de um desfile.

“Existe uma demanda forte em toda a indústria de moda masculina, em todos seus moldes e formas, e que vem em parte de uma clientela mais jovem. Nós vemos isso muito claramente nas vendas.”

As marcas da LVMH não divulgam detalhes sobre seus lucros, mas analistas estimam que a moda masculina representa entre 5% e 7% da renda da Louis Vuitton, uma das grifes mais lucrativas do conglomerado. A Louis Vuitton não respondeu a pedido de comentário.

Já a Balenciaga, que fez sucesso com uma linha de tênis robustos e hoje é a marca do grupo Kering que cresce mais rápido, diz que atualmente os homens estão entre seus maiores consumidores, assim como os millennials – jovens de 20 a 35 anos de idade.

A moda feminina continuou, entretanto, sendo o carro-chefe do mercado de US$ 1,7 trilhão de vestuário e calçados em 2017, enquanto a masculina ficou com menos de um quarto desse valor, segundo dados do Euromonitor.

Mas, a empresa de pesquisa de mercado prevê que as coleções masculinas superarão as femininas entre 2017 e 2022, com as vendas subindo a uma taxa de crescimento anual composta de 2 por cento.

Fonte: G1

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista