PUBLICIDADE

1.0 - Radarbrasil

Exército prioriza compra de armas e veículos para recuperação de estrutura no Rio

O Ex√©rci¬≠to definiu que, al√©m de reduzir os √≠ndices de vio¬≠l√™n¬≠cia, a recu¬≠per¬≠a√ß√£o da estru¬≠tu¬≠ra da pol√≠¬≠cia do Rio ser√° uma mis¬≠s√£o no per√≠o¬≠do da inter¬≠ven√ß√£o fed¬≠er¬≠al no Esta¬≠do, com a com¬≠pra de armas e car¬≠ros para aten¬≠der √† anti¬≠ga queixa de fal¬≠ta de estru¬≠tu¬≠ra.

O gen¬≠er¬≠al Wal¬≠ter Souza Bra¬≠ga Net¬≠to, nomea¬≠do pelo pres¬≠i¬≠dente Michel Temer (MDB), pre¬≠tende uti¬≠lizar os quase dez meses no coman¬≠do da segu¬≠ran√ßa para resta¬≠b¬≠ele¬≠cer a capaci¬≠dade oper¬≠a¬≠ti¬≠va da pol√≠¬≠cia e n√£o s√≥ mudar equipes e estrat√©¬≠gias de com¬≠bate √† crim¬≠i¬≠nal¬≠i¬≠dade.

Essa √© uma reivin¬≠di¬≠ca√ß√£o anti¬≠ga da c√ļpu¬≠la da segu¬≠ran√ßa do Rio, que vin¬≠ha esbar¬≠ran¬≠do na redu√ß√£o de ver¬≠bas.

O Orça­men­to que vai ban­car a inter­venção no Rio ain­da não foi definido pelo gov­er­no Temer, mas a expec­ta­ti­va dos mil­itares é que haja recur­sos para que a inter­venção seja bem-suce­di­da. O min­istro da Fazen­da, Hen­rique Meirelles, disse nes­ta quar­ta (21) estar tra­bal­han­do para via­bi­lizar um emprés­ti­mo próx­i­mo de R$ 1 bil­hão ao Esta­do.

O Tri¬≠bunal de Con¬≠tas da Uni√£o abrir√° um proces¬≠so para fis¬≠calizar aspec¬≠tos legais e finan¬≠ceiros da inter¬≠ven√ß√£o.

O CML (Coman­do Mil­i­tar do Leste) pre­vê equipar setores das polí­cias Mil­i­tar e Civ­il e reestru­tu­rar órgãos da segu­rança com reforço, por exem­p­lo, na área de inteligên­cia.

A √ļlti¬≠ma com¬≠pra de car¬≠ros pela PM ocor¬≠reu em 2014, mas os mil¬≠itares j√° esper¬≠am her¬≠dar no cur¬≠to pra¬≠zo, at√© abril, os resul¬≠ta¬≠dos de um preg√£o eletr√īni¬≠co do m√™s pas¬≠sa¬≠do para adquirir 290 ve√≠cu¬≠los (com inves¬≠ti¬≠men¬≠to pre¬≠vis¬≠to de R$ 18,8 mil¬≠h√Ķes), que ser√£o colo¬≠ca¬≠dos no poli¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to pre¬≠ven¬≠ti¬≠vo.

Hoje, mais de metade da fro­ta de veícu­los da PM está fora de cir­cu­lação, e já hou­ve fla­grante de car­ros empurra­dos por mil­itares. Poli­ci­ais recla­mam da fal­ta de manutenção dos arma­men­tos. Vídeos já mostraram a difi­cul­dade de agentes dis­pararem tiros de fuzil durante con­fli­tos.

TROCAS

A gest√£o desen¬≠ha¬≠da pelo CML pas¬≠sa pela nomea√ß√£o de novos coman¬≠dantes para as duas pol√≠¬≠cias que ser√£o definidos at√© a pr√≥x¬≠i¬≠ma sem¬≠ana. J√° a tro¬≠ca de coman¬≠dos de batal¬≠h√Ķes, poli¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to de √°rea e del¬≠e¬≠ga¬≠cias deve ocor¬≠rer num segun¬≠do momen¬≠to.

A per¬≠spec¬≠ti¬≠va √© que mil¬≠itares ocu¬≠pem pos¬≠tos chave na sec¬≠re¬≠taria e na PM. Mas n√£o ser√° pos¬≠s√≠v¬≠el colo¬≠car um mil¬≠i¬≠tar na chefia da Pol√≠¬≠cia Civ¬≠il, por restri√ß√Ķes da Con¬≠sti¬≠tu¬≠i√ß√£o.

O Exérci­to pre­vê inves­ti­gação para afas­tar poli­ci­ais envolvi­dos com cor­rupção e milí­cias, mas ten­ta tratar do tema com máx­i­mo sig­i­lo para aten­uar con­fli­tos inter­nos.

O min¬≠istro da Justi√ßa, Torqua¬≠to Jardim, provo¬≠cou uma crise ap√≥s declarar em 2017 que coman¬≠dantes de batal¬≠h√Ķes da pol√≠¬≠cia no Rio eram s√≥cios do crime orga¬≠ni¬≠za¬≠do.

A neces­si­dade de refor­ma nas polí­cias é cita­da por autori­dades des­de a Oper­ação Rio, ação con­tra a crim­i­nal­i­dade cri­a­da em 1994 pelos gov­er­nos fed­er­al e estad­ual.

Diante da cobrança por resul­ta­dos rápi­dos, os planos do Coman­do Mil­i­tar do Leste a serem divul­ga­dos na sem­ana que vem devem absorv­er boa parte do que havia sido traça­do em jul­ho pas­sa­do, quan­do foi acer­ta­da a atu­ação de forças fed­erais no Esta­do por meio da GLO (Garan­tia da Lei e da Ordem).

Nes­ta quar­ta, equipes das Forças Armadas ficaram no entorno da Pen­i­ten­ciária Mil­ton Dias Mor­eira, na Baix­a­da Flu­mi­nense, durante oper­ação de varredu­ra na unidade que foi alvo de rebe­lião no domin­go (18). Foram apreen­di­dos 48 celu­lares e dro­gas.

OBST√ĀCULOS

A inten√ß√£o de inve¬≠stir na estru¬≠tu¬≠ra das pol√≠¬≠cias esbar¬≠ra na fal¬≠ta de per¬≠spec¬≠ti¬≠vas de con¬≠trata√ß√Ķes e indefini√ß√Ķes sobre paga¬≠men¬≠tos atrasa¬≠dos.

O 13¬ļ sal√°rio de 2017 ain¬≠da √© pend√™n¬≠cia para parte das equipes, e n√£o h√° sinal de refor√ßo com os 4.000 PMs j√° aprova¬≠dos em con¬≠cur¬≠so.

Des­de 2015, a PM teve uma diminuição de 7% do seu efe­ti­vo, que é próx­i­mo de 45 mil mil­itares a maio­r­ia se aposen­ta e não existe reposição.

O n√ļmero de poli¬≠ci¬≠ais civis tam¬≠b√©m caiu 8% a cor¬≠po¬≠ra√ß√£o tem 9.500 agentes.

O Or√ßa¬≠men¬≠to da Sec¬≠re¬≠taria de Segu¬≠ran√ßa P√ļbli¬≠ca do Rio encol¬≠heu nos √ļlti¬≠mos dois anos. Em 2017, a pas¬≠ta empen¬≠hou R$ 5,9 bil¬≠h√Ķes. O val¬≠or √© 10% infe¬≠ri¬≠or ao de 2015 cor¬≠rigi¬≠do pela infla√ß√£o.

Fonte: Ter­ra

PUBLICIDADE