PUBLICIDADE

mundo

Enterro de George Floyd ocorre em meio a aumento de protestos contra racismo no mundo

George Floyd será enter­ra­do em Hous­ton nes­ta terça-feira, duas sem­anas após mor­rer sob custó­dia da polí­cia em uma rua da cidade norte-amer­i­cana de Mineápo­lis, e mais protestos con­tra o racis­mo inspi­ra­dos por seu caso devem acon­te­cer nos Esta­dos Unidos e na Europa.

Mil­hares de pes­soas enlu­tadas prestaram suas hom­e­na­gens na segun­da-feira, fazen­do fila para ver seu caixão aber­to na igre­ja Foun­tain of Praise, em Hous­ton, Texas, onde Floyd cresceu.

Muitas pes¬≠soas usavam m√°s¬≠caras para evi¬≠tar a dis¬≠sem¬≠i¬≠na√ß√£o do coro¬≠n¬≠av√≠rus durante uma cer¬≠im√ī¬≠nia que durou mais de seis horas. O funer¬≠al ser√° pri¬≠va¬≠do e ele ser√° enter¬≠ra¬≠do ao lado do t√ļmu¬≠lo da m√£e.

‚ÄúEstou feliz de ele ter rece¬≠bido a des¬≠pe¬≠di¬≠da que mere¬≠cia‚ÄĚ, disse Mar¬≠cus Williams, um morador negro de Hous¬≠ton, de 46 anos, do lado de fora. ‚ÄúQuero que os assas¬≠si¬≠natos cometi¬≠dos pela pol√≠¬≠cia acabem. Quero que reformem o proces¬≠so para se obter justi√ßa, e que acabem com os assas¬≠si¬≠natos.‚ÄĚ

Floyd, negro e de 46 anos, mor­reu no dia 25 de maio depois que um poli­cial bran­co se ajoel­hou sobre seu pescoço durante quase nove min­u­tos.

Desar­ma­do e alge­ma­do, ele foi deita­do com o ros­to no chão, gemen­do e pedin­do aju­da até silen­ciar, como mostrou um vídeo grava­do por um obser­vador.

Sua morte des­en­cadeou uma onda de protestos con­tra o racis­mo e os maus tratos sis­temáti­cos de pes­soas negras em cidades dos EUA.

Emb­o­ra os atos ten­ham sido majori­tari­a­mente pací­fi­cos, hou­ve episó­dios de incên­dio crim­i­noso, saques e choques com a polí­cia, cujas táti­cas fre­quente­mente tru­cu­len­tas atiçaram a revol­ta.

O caso tam­bém lançou o pres­i­dente dos EUA, Don­ald Trump, em uma crise políti­ca. Ele ameaçou diver­sas vezes enviar os mil­itares às ruas para restau­rar a ordem e tem tido difi­cul­dade de unir a nação.

As man¬≠i¬≠fes¬≠ta√ß√Ķes revig¬≠o¬≠raram o movi¬≠men¬≠to ‚ÄúVidas Negras Impor¬≠tam‚ÄĚ e colo¬≠caram as exig√™n¬≠cias de justi√ßa racial e refor¬≠mas das pol√≠¬≠cias no topo da pau¬≠ta pol√≠ti¬≠ca antes da elei√ß√£o pres¬≠i¬≠den¬≠cial de 3 de novem¬≠bro.

‚ÄúEstou aqui para protes¬≠tar con¬≠tra os maus tratos de nos¬≠sos cor¬≠pos negros. Isso n√£o ter√° fim a menos que con¬≠tin¬≠ue¬≠mos prote¬≠s¬≠tando‚ÄĚ, disse Eri¬≠ca Cor¬≠ley, de 34 anos, uma de cen¬≠te¬≠nas de pes¬≠soas que se con¬≠gre¬≠garam em Sil¬≠ver Spring, Mary¬≠land, um sub¬≠√ļr¬≠bio de Wash¬≠ing¬≠ton.

(Por Erwin Seba e Gary McWilliams em Hous­ton, David Mor­gan e Susan Heavey em Wash­ing­ton, Andrea Sha­lal em Sil­ver Spring, Rich McK­ay em Atlanta e Brad Brooks em Austin, Guy Faulcon­bridge em Lon­dres e Lucine Lib­ert em Paris)

Foto: ¬© Reuters/CALLAGHAN O‚ÄôHARE 

Por Erwin Seba/Reuters

PUBLICIDADE