PUBLICIDADE

brasil

Cracol√Ęndia resiste na Avenida Brasil mesmo com toda repress√£o

 

O vaiv√©m de car¬≠ros na Aveni¬≠da Brasil, uma das vias mais impor¬≠tantes e movi¬≠men¬≠tadas da cidade, n√£o inibe a for¬≠ma√ß√£o de peque¬≠nas cra¬≠col√Ęn¬≠dias √† margem de suas pis¬≠tas. Pelo con¬≠tr√°rio. Com lonas e peda√ßos de madeira, depen¬≠dentes qu√≠mi¬≠cos v√£o se aco¬≠modan¬≠do, dia ap√≥s dia, debaixo de viadu¬≠tos, onde preparam, √† von¬≠tade, seus cachim¬≠bos de crack ou cig¬≠a¬≠r¬≠ros de macon¬≠ha.

À medi­da que o acam­pa­men­to aumen­ta, cresce tam­bém a inse­gu­rança. Nes­ta quar­ta-feira, a Polí­cia Civ­il, com o apoio da PM e da Guar­da Munic­i­pal, fez uma ação na altura da comu­nidade Par­que União, em Ramos. No local, ado­les­centes e adul­tos, além de con­sumirem entor­pe­centes, estari­am, segun­do a polí­cia, rouban­do motoris­tas.

Quan¬≠do as equipes chegaram, os usu√°rios se dis¬≠per¬≠saram, e hou¬≠ve cor¬≠re¬≠ria. Eles chegaram a arremes¬≠sar pedras con¬≠tra os agentes, que rea¬≠gi¬≠ram com tiros. Vinte e tr√™s pes¬≠soas foram deti¬≠das ‚ÄĒ 17 delas eram rein¬≠ci¬≠dentes e duas tin¬≠ham man¬≠da¬≠dos de pris√£o em aber¬≠to. Ape¬≠sar das apreen¬≠s√Ķes, ape¬≠nas um homem ficou pre¬≠so, segun¬≠do a PM. Os out¬≠ros foram lib¬≠er¬≠a¬≠dos e voltaram √†s ruas, sem qual¬≠quer assist√™n¬≠cia.

No iní­cio da ação, a Polí­cia Mil­i­tar mon­tou um cer­co, mas, ain­da assim, muitos depen­dentes quími­cos con­seguiram escapar. Eles deixaram para trás pro­du­tos, provavel­mente obti­dos em rou­bos, de acor­do com os agentes, como dois celu­lares. As equipes tam­bém encon­traram duas facas e um ali­cate.

Ao ‚ÄúRJTV‚ÄĚ, da Rede Globo, o del¬≠e¬≠ga¬≠do Welling¬≠ton Vieira, tit¬≠u¬≠lar da 21¬™ DP (Bon¬≠suces¬≠so), afir¬≠mou que o n√ļmero de rou¬≠bos a motoris¬≠tas e a pas¬≠sageiros de √īnibus √© grande naque¬≠la regi√£o. Ele pediu a aju¬≠da da prefeitu¬≠ra para com¬≠bat¬≠er o prob¬≠le¬≠ma.

- A prefeitu¬≠ra foi con¬≠tata¬≠da e disse que n√£o pode¬≠ria com¬≠pare¬≠cer hoje (ontem), mas afir¬≠mou que numa data futu¬≠ra vai nos apoiar. √Č impor¬≠tante que a prefeitu¬≠ra aja aqui, at√© porque √© uma ocu¬≠pa√ß√£o inde¬≠v¬≠i¬≠da, irreg¬≠u¬≠lar e crim¬≠i¬≠nosa do espa√ßo p√ļbli¬≠co. √Č uma situ¬≠a√ß√£o vex¬≠am¬≠inosa, que traz peri¬≠go, inclu¬≠sive, para essas pes¬≠soas (os usu√°rios de dro¬≠gas) ‚ÄĒ falou o del¬≠e¬≠ga¬≠do √† reportagem, lem¬≠bran¬≠do que os depen¬≠dentes qu√≠mi¬≠cos se tor¬≠nam agres¬≠sivos ap√≥s o uso de entor¬≠pe¬≠centes.

Ape¬≠sar da oper¬≠a√ß√£o n√£o ter tido o apoio da Sec¬≠re¬≠taria munic¬≠i¬≠pal de Assist√™n¬≠cia Social e Dire¬≠itos Humanos, a pas¬≠ta infor¬≠mou que ‚Äúreal¬≠iza um tra¬≠bal¬≠ho di√°rio de abor¬≠dagem para acol¬≠hi¬≠men¬≠to nes¬≠sa regi√£o‚ÄĚ. A prefeitu¬≠ra disse ain¬≠da que esteve pre¬≠sente no local nos tr√™s √ļlti¬≠mos dias, quan¬≠do abor¬≠dou, no total, 55 home¬≠ns, seis mul¬≠heres e um ado¬≠les¬≠cente. Nen¬≠hum deles, por√©m, aceitou ir para abri¬≠gos.

‚ÄúDiari¬≠a¬≠mente, a equipe de abor¬≠dagem do Cen¬≠tro de Refer¬≠√™n¬≠cia Espe¬≠cial¬≠iza¬≠do de Assist√™n¬≠cia Social vai aos mes¬≠mos locais, a fim de con¬≠vencer o indi¬≠v√≠¬≠duo a aceitar o acol¬≠hi¬≠men¬≠to, mas a ida ao abri¬≠go n√£o √© com¬≠pul¬≠s√≥ria‚ÄĚ, disse a sec¬≠re¬≠taria, em nota, ressaltan¬≠do que o tra¬≠bal¬≠ho da pas¬≠ta inde¬≠pende das a√ß√Ķes da PM, como a ocor¬≠ri¬≠da ontem.

Emb¬≠o¬≠ra as a√ß√Ķes na regi√£o sejam di√°rias, a prefeitu¬≠ra afir¬≠ma que a prox¬≠im¬≠i¬≠dade com a comu¬≠nidade Par¬≠que Uni√£o, onde h√° tr√°¬≠fi¬≠co de dro¬≠gas, tor¬≠na o tra¬≠bal¬≠ho das equipes ‚Äúinces¬≠sante‚ÄĚ.

 

Foto: Repro­dução

Fonte: OGlobo

PUBLICIDADE