PUBLICIDADE

sa√ļde

Cirurgi√Ķes-dentistas podem identificar sinais de viol√™ncia infantil 

A Odon¬≠tolo¬≠gia √© uma profis¬≠s√£o que se exerce em bene¬≠f√≠¬≠cio da sa√ļde do ser humano. Dessa for¬≠ma, a atu¬≠a√ß√£o dos profis¬≠sion¬≠ais envolve, entre out¬≠ros aspec¬≠tos, a pro¬≠mo√ß√£o, pro¬≠te√ß√£o e defe¬≠sa dos dire¬≠itos da cri¬≠an√ßa e do ado¬≠les¬≠cente. Neste con¬≠tex¬≠to, o Con¬≠sel¬≠ho Region¬≠al de Odon¬≠tolo¬≠gia de S√£o Paulo (CROSP) traz ori¬≠en¬≠ta√ß√Ķes sobre como iden¬≠ti¬≠ficar e denun¬≠ciar casos de maus tratos sofri¬≠dos por pacientes menores de idade.

Como a maio¬≠r¬≠ia das agress√Ķes f√≠si¬≠cas acon¬≠te¬≠cem na face, na cabe√ßa e no pesco√ßo, os(as) cirurgi√Ķes(√£s)-dentistas devem estar aten¬≠tos para iden¬≠ti¬≠ficar os sinais de maus tratos em todos os pacientes, espe¬≠cial¬≠mente nos menores de idade. Por¬≠tan¬≠to, o profis¬≠sion¬≠al deve realizar uma boa anam¬≠nese, exame detal¬≠ha¬≠do intra e extra oral, aprox¬≠i¬≠mar-se da cri¬≠an√ßa ou ado¬≠les¬≠cente e, assim, cri¬≠ar um la√ßo de con¬≠fi¬≠an√ßa com o paciente.

Indí­cios de vio­lên­cia

Sinais como con¬≠tus√Ķes e lac¬≠er¬≠a√ß√Ķes de l√°bios, dentes frat¬≠u¬≠ra¬≠dos, lux¬≠a√ß√£o den¬≠t√°ria, queimaduras na gen¬≠gi¬≠va, equimoses em boche¬≠chas, infec√ß√Ķes na boca como s√≠fil¬≠is, gonor¬≠reia, entre out¬≠ros, s√£o recor¬≠rentes em menores que sofrem maus-tratos. Fer¬≠i¬≠men¬≠tos em out¬≠ras partes do cor¬≠po pr√≥x¬≠i¬≠mas a boca, como olhos, nar¬≠iz e orel¬≠has, tam¬≠b√©m podem ser indica¬≠tivos de vio¬≠l√™n¬≠cia. ‚ÄúTam¬≠b√©m deve-se prestar aten√ß√£o ao lado psi¬≠col√≥gi¬≠co, ou seja, cri¬≠an√ßas e/ou ado¬≠les¬≠centes extrema¬≠mente irri¬≠tadas, retra√≠¬≠das ou intro¬≠spec¬≠ti¬≠vas demais podem ser um aler¬≠ta. √Č impor¬≠tante con¬≠hecer a per¬≠son¬≠al¬≠i¬≠dade do seu paciente para entend√™-lo e obser¬≠var qual¬≠quer ind√≠¬≠cio que n√£o seja nor¬≠mal‚ÄĚ, acon¬≠sel¬≠ha a pres¬≠i¬≠dente da C√Ęmara T√©c¬≠ni¬≠ca de Odon¬≠tolo¬≠gia Legal do CROSP, Soraya Mon¬≠teiro.

Nor¬≠mal¬≠mente, o paciente menor que sofreu maus tratos mostra difi¬≠cul¬≠dade em con¬≠fi¬≠ar nos adul¬≠tos. Por isso, durante o atendi¬≠men¬≠to, o profis¬≠sion¬≠al deve mostrar pre¬≠ocu¬≠pa√ß√£o em aju¬≠dar, demon¬≠strar enten¬≠der suas ang√ļs¬≠tias e medos. Ess¬≠es gestos facili¬≠tam esta¬≠b¬≠ele¬≠cer um v√≠n¬≠cu¬≠lo de con¬≠fi¬≠an√ßa. Ao cri¬≠ar esse rela¬≠ciona¬≠men¬≠to com o paciente menor, o(a) cirurgi√£o(√£)-dentista poder√° col¬≠her mais infor¬≠ma√ß√Ķes sobre os pos¬≠s√≠veis maus tratos.

Sai­ba como denun­ciar

Em sus¬≠pei¬≠ta ou con¬≠fir¬≠ma√ß√£o de maus tratos, o(a) cirurgi√£o(√£)-dentista deve comu¬≠nicar ao Disque Den√ļn¬≠cia Nacional, por meio do n√ļmero 100. Na den√ļn¬≠cia, n√£o √© necess√°rio apre¬≠sen¬≠tar provas e o sig¬≠i¬≠lo do profis¬≠sion¬≠al √© garan¬≠ti¬≠do. Infor¬≠mar a sus¬≠pei¬≠ta ao Con¬≠sel¬≠ho Tute¬≠lar da Cri¬≠an√ßa e Ado¬≠les¬≠cente do munic√≠¬≠pio ou √† autori¬≠dade poli¬≠cial tam¬≠b√©m s√£o for¬≠mas de den√ļn¬≠cia. √Č impor¬≠tante ter em mente que √© obri¬≠gat√≥rio denun¬≠ciar casos de vio¬≠l√™n¬≠cia infan¬≠til √†s autori¬≠dades.

Sobre o CROSP‚ÄĮ‚Äď O Con¬≠sel¬≠ho Region¬≠al de Odon¬≠tolo¬≠gia de S√£o Paulo (CROSP) √© uma autar¬≠quia fed¬≠er¬≠al dota¬≠da de per¬≠son¬≠al¬≠i¬≠dade jur√≠di¬≠ca e de dire¬≠ito p√ļbli¬≠co com a final¬≠i¬≠dade de fis¬≠calizar e super¬≠vi¬≠sion¬≠ar a √©ti¬≠ca profis¬≠sion¬≠al em todo o Esta¬≠do de S√£o Paulo, caben¬≠do-lhe zelar pelo per¬≠feito desem¬≠pen¬≠ho √©ti¬≠co da Odon¬≠tolo¬≠gia e pelo prest√≠¬≠gio e bom con¬≠ceito da profis¬≠s√£o e dos que a exercem legal¬≠mente. Hoje, o CROSP con¬≠ta com aprox¬≠i¬≠mada¬≠mente 140 mil profis¬≠sion¬≠ais inscritos. Al√©m dos cirurgi√Ķes-den¬≠tis¬≠tas, o CROSP det√©m com¬≠pet√™n¬≠cia tam¬≠b√©m para fis¬≠calizar o exer¬≠c√≠¬≠cio profis¬≠sion¬≠al e a con¬≠du¬≠ta √©ti¬≠ca dos T√©c¬≠ni¬≠cos em Pr√≥tese Den¬≠t√°ria, T√©c¬≠ni¬≠cos em Sa√ļde Bucal, Aux¬≠il¬≠iares em Sa√ļde Bucal e Aux¬≠il¬≠iares em Pr√≥tese Den¬≠t√°ria. Mais infor¬≠ma√ß√Ķes: www.crosp.org.br

PUBLICIDADE