PUBLICIDADE

viagem

Advogado d√° dicas para quem, por ventura, enfrenta problemas com voos

Quem não está livre de pas­sar por prob­le­mas com algu­ma com­pan­hia aérea, ain­da mais quem está con­stan­te­mente em ponte aérea? E mais… e se isso estiv­er rela­ciona­do às férias, quan­do a expec­ta­ti­va de chegar ao des­ti­no é ain­da maior?

Sobre o assun­to, o advo­ga­do João Fre­itas, do escritório João Fre­itas Advo­ga­dos Asso­ci­a­dos, traz uma situ­ação bas­tante embaraçosa sobre o tema. Leia como isso pode ser solu­ciona­do.

Meu mari­do, eu e nos­sos fil­hos, plane­jamos nos­sas férias no Caribe. As pas­sagens foram com­pradas com conexão no Rio de Janeiro. Ao chegar­mos no referi­do aero­por­to, nos­sa viagem atra­sou mais de 5 horas para prosseguir. Ficamos sem qual­quer auxílio, infor­mação e atenção que merecíamos naque­le momen­to. Achamos um desca­so, ain­da mais porque min­ha fil­ha esta­va grávi­da e não pas­sou bem! Ten­ta­mos recor­rer ao bal­cão da cia aérea rela­tan­do os fatos, mas nada foi feito. Gostaria de saber quais são os nos­sos dire­itos durante uma situ­ação de espera e o que podemos faz­er após todo esse transtorno?

Real­mente sua situ­ação foi lamen­táv­el, e ain­da, cus­ta acred­i­tar que atual­mente uma cia aérea pos­sa tratar seus pas­sageiros e clientes des­ta for­ma. Enquan­to esper­avam algu­ma posição, a cia aérea dev­e­ria prov­i­den­ciar toda a assistên­cia mate­r­i­al a vocês, ten­tan­do reduzir todos os prob­le­mas, naque­le momen­to, cau­sa­dos. A ati­tude cor­re­ta, ini­cial­mente, seria comu­nicar os pas­sageiros sobre o atra­so e o moti­vo, bem como, quais providên­cias seri­am tomadas para solu­cionar o prob­le­ma, além de man­tê-los infor­ma­dos, a cada 30 min­u­tos, sobre a pre­visão de par­ti­da do voo atrasa­do.

Segun¬≠do sua infor¬≠ma√ß√£o, a espera foi de 5 horas, por¬≠tan¬≠to, a cia a√©rea dev¬≠e¬≠ria ter disponi¬≠bi¬≠liza¬≠do Inter¬≠net, lig¬≠a√ß√Ķes por tele¬≠fone, lanche, bebi¬≠da, aco¬≠moda√ß√£o num hotel ou pou¬≠sa¬≠da e trans¬≠porte. Caso o atra¬≠so fos¬≠se de 1 hora, a empre¬≠sa a√©rea dev¬≠e¬≠ria prov¬≠i¬≠den¬≠ciar ao seu pas¬≠sageiro: inter¬≠net e lig¬≠a√ß√Ķes por tele¬≠fone e, se o atra¬≠so fos¬≠se de 2 horas, a empre¬≠sa a√©rea dev¬≠e¬≠ria prov¬≠i¬≠den¬≠ciar ao seu pas¬≠sageiro: Inter¬≠net, lig¬≠a√ß√Ķes por tele¬≠fone, lanche e bebi¬≠da.

Por fim, sugiro que pro­cure um advo­ga­do e requeira no Juiza­do Espe­cial Cív­el da sua cidade, uma ind­eniza­ção por danos morais e mate­ri­ais, prin­ci­pal­mente porque vocês estavam com uma pas­sageira grávi­da que, inclu­sive, não pas­sou bem. Por­tan­to, todo o sofri­men­to ger­a­do dev­erá ser repara­do finan­ceira­mente, para que na próx­i­ma, a empre­sa aérea pense duas vezes antes de come­ter o mes­mo erro e despre­zo.

PUBLICIDADE