PUBLICIDADE

mundo

Acusa√ß√Ķes sobre coronav√≠rus s√£o rejeitadas pela diretora de laborat√≥rio de Wuhan

O Insti­tu­to de Virolo­gia de Wuhan, acu­sa­do pelos Esta­dos Unidos de ser respon­sáv­el pela pan­demia que asso­la o mun­do, pos­sui três cepas vivas de coro­n­avírus de morcego, mas nen­hu­ma cor­re­sponde ao do vírus cau­sador da doença COVID-19, garan­tiu sua dire­to­ra.

‚ÄúComo todo mun¬≠do, nem sab√≠amos que o v√≠rus exis¬≠tia‚ÄĚ, disse Wang Yanyi √† tele¬≠vis√£o p√ļbli¬≠ca chi¬≠ne¬≠sa CGTN em entre¬≠vista trans¬≠mi¬≠ti¬≠da neste domin¬≠go, mas real¬≠iza¬≠da em 13 de maio.

‚ÄúEnt√£o, como ele pode¬≠ria ter escapa¬≠do do nos¬≠so lab¬≠o¬≠rat√≥rio?‚ÄĚ, per¬≠gun¬≠tou, dizen¬≠do que as sus¬≠peitas s√£o ‚Äúpura inven√ß√£o‚ÄĚ.

Wang admi¬≠tiu que o Insti¬≠tu¬≠to ‚Äúhavia iso¬≠la¬≠do e obti¬≠do alguns coro¬≠n¬≠av√≠rus de morce¬≠gos‚ÄĚ.

‚ÄúTemos tr√™s cepas‚ÄĚ, afir¬≠mou Wang.

Mas a semel¬≠han√ßa com o v√≠rus da doen√ßa COVID-19 ‚Äú√© de ape¬≠nas 79,8%‚ÄĚ, disse ela.

Para a maio­r­ia dos cien­tis­tas, o novo coro­n­avírus foi trans­mi­ti­do ao homem por um ani­mal.

Isso teria acon­te­ci­do em um mer­ca­do na cidade de Wuhan, onde ani­mais sil­vestres eram ven­di­dos vivos.

Mas a pre¬≠sen√ßa do Insti¬≠tu¬≠to a poucos quil√īmet¬≠ros da cidade ali¬≠men¬≠ta a hip√≥tese de que o novo coro¬≠n¬≠av√≠rus pos¬≠sa ter vin¬≠do de l√°.

O secretário de Esta­do dos Esta­dos Unidos, Mike Pom­peo, solic­i­tou que essa hipótese fos­se inves­ti­ga­da, que no momen­to não é sus­ten­ta­da por nen­hum fato especí­fi­co.
Por: AFP
PUBLICIDADE