PUBLICIDADE

são paulo

São Paulo celebra 150 anos de imigração italiana com fortes influências na cultura

Esta semana foi celebrado o Dia do Imigrante Italiano no Brasil, data que remete à chegada do navio “La Sofia”, em 1874, com quase 400 italianos. O estado de São Paulo tem uma rica herança ítala e a Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas celebra as influências na cultura paulista, como festas, língua, culinária e tradições. Nos Museus da Imigração e do Café, a programação se estenderá por todo o ano.

Além da programação, o Museu da Imigração, localizado na capital, conta com um rico acervo, com mais de 800 mil registros, entre passaportes, jornais, cartas de chamada e fotografias de imigrantes de todas as 20 regiões da Itália; além de 12 mil objetos, registros textuais e iconográficos, publicações e relatos orais que documentam e ajudam na compreensão da história da imigração no país. Por conta deste rico patrimônio, o Museu já realizou mais de 20 mil atendimentos que ajudaram milhares de pessoas a encontrar informações sobre seus antepassados, gratuitamente. Por fim, o site do Museu – museudaimigracao.org.br – disponibiliza uma ferramenta que dinamiza e amplia o acesso gratuito a fragmentos da história paulista e brasileira.

E como é impossível contar a história da cafeicultura brasileira sem falar da imigração italiana – uma vez que, entre os anos de 1870 e 1920, cerca de 1,4 milhão de italianos desembarcaram no Brasil, onde trabalhavam, principalmente, nas fazendas de café de São Paulo –, parte da programação também inclui o Museu do Café, em Santos. A casa é um dos principais pontos turísticos da cidade e tem como objetivo a preservação e divulgação da história do café no Brasil e no mundo. Por meio de objetos, documentos e recursos audiovisuais, a instituição mostra ao público a conexão entre a evolução da cafeicultura e o desenvolvimento político, econômico e cultural do país, desde meados do século XVIII até os dias de hoje, interligando a paixão comum dos dois povos pelo café.

“Não dá pra falar da construção, desenvolvimento e industrialização da nossa nação, sem falar da vinda dos italianos para o Brasil. Por exemplo, nossas ferrovias foram construídas para atender as demandas de produção e comercialização do café, a grande base econômica do nosso país até os anos 1930. A partir disso, São Paulo ganhou um novo status e passou a ser essa grande potência que somos hoje”, pontuou a secretária Marília Marton.

Segundo dados da Embaixada da Itália no Brasil, cerca de 32,5% da população paulista é descendente desta nacionalidade, o que totaliza 13 milhões de pessoas. O Brasil é uma das maiores comunidades de descendentes de italianos no mundo.

Confira a programação a seguir:

  • VIVA! Itália – Celebre e Vivencie

Local: Museu da Imigração

Data: abril de 2024

O Viva! Itália já está em sua 3ª edição, sempre realizado em parceria com o Consulado Geral da Itália em São Paulo, com apresentações artísticas, oficinas, gastronomia, palestras, contações de histórias, entre outras. O evento pretende mostrar tradições e até mesmo desmistificar alguns costumes, criando mais um momento de representação para as comunidades e fomentando o reconhecimento do patrimônio preservado no complexo da antiga Hospedaria de Imigrantes do Brás.

  • Seminário Il Design italiano per il patrimonio culturale

Local: Museu da Imigração

Data: abril de 2024

Seminário no auditório do Museu da Imigração com os professores do Istituto Superiore per le Industrie Artistiche Roma – ISIA Roma Design e convidados de museus, equipamentos culturais e universidades.

  • Passione Italiana – L’ Arte dell’Espresso

Locais: Museus do Café e da Imigração

Data: 2º semestre de 2024

Com o apoio do Consulado da Itália em São Paulo, o Museu do Café irá receber a exposição Passione Italiana – L’ Arte dell’Espresso, que apresenta máquinas de café expresso usadas na Itália durante meados do século XX – ao lado de conjuntos de café e louças exclusivas – destacando a influência que designers como Aldo Rossi, Toyo Ito, Richard Sapper e Massimiliano Fuksas com modelos clássicos e contemporâneos. Despertando a curiosidade tanto aos amantes do design quanto aos entusiastas do café, a exposição analisa o impacto social e histórico que o café e as cafeterias tiveram em todo o mundo. Na sequência, a mostra irá itinerar para o Museu da Imigração, sendo inaugurada no dia 21 de fevereiro de 2025, encerrando o ano comemorativo.