PUBLICIDADE

3.0 - NEGÓCIOS

Quem devo demitir? Veja o perfil do profissional que deve ser despedido

Não é mais novidade a crescente onda de desemprego em nosso país, pois com uma economia instável as empresas buscam reestruturação para produzir mais e melhor com um quadro de funcionários menor.

Segundo o IBGE, a  taxa de desemprego subiu para 11,6% no trimestre encerrado em julho e atingiu o maior nível já registrado. Com isso, o desemprego no Brasil é o 7º maior do mundo em termos percentuais.

Diante desse cenário, o setor de Recursos Humanos tem o desafio de analisar a influência que a situação de desemprego causa no clima organizacional, tendo em vista que a ameaça da perda de renda assusta muito em qualquer ambiente, causando impactos emocionais e psicológicos, que afetam o rendimento de todos na organização, como insegurança, frustração, estresse e ansiedade. Um ambiente como esse reflete diretamente nas ações da empresa, podendo dificultar ainda mais o andamento dos negócios.

É imprescindível para as empresas saber o papel que cada colaborador desempenha, pois a demissão de uma pessoa errada pode acarretar inúmeros problemas para a instituição.

A demissão em massa gera muitos impactos na organização, podendo ocorrer:

  • Perda de liderança
  • Queda na produção
  • Perda de familiaridade entre as unidades
  • Redução do trabalho em equipe
  • Aumento de conflitos
  • Estresse organizacional

É preciso implantar na organização ações preventivas, corretivas e de manutenção para diminuir o impacto das demissões:

  1. Processo de Feedback Individual – É importante que a empresa possua um processo de feedback e registro do mesmo, implantado para que os colaboradores saibam como anda seus rendimentos e também para saber quem demitir quando a decisão for tomada pela empresa.
  2. Processo de Feedback Organizacional – Comunicar a empresa como anda o mercado, sua atuação e seus clientes é importante para transparência e para evitar fofocas dentro da organização.
  3. Participação dos funcionários na gestão da crise – Após compartilhar a situação e havendo nela a necessidade de redução de custos, incentive os colaboradores a participar de reuniões de brainstorm (onde os funcionários dão ideias inovadoras para o negócio), visando otimizar os recursos da empresa, buscar novas linhas de negócio, enfim, criar o sentimento de todos juntos no mesmo barco.
  4. Tenha critérios bem definidos – Saber o porque está demitindo é fundamental para compartilhar com a empresa a decisão.
  5. Decisão Compartilhada com a Liderança – Todos os lideres da empresa devem saber o porquê a empresa está demitindo para que se possa replicar a verdade aos demais e evitar rádio peão.
  6. Respeito e Elegância durante o desligamento – Não importa o motivo do desligamento o profissional deve ser tratado com respeito, nunca desligar por email, telegrama, ou restrição de acesso à empresa. É fundamental nunca criar o clima de que o funcionário está sendo expulso da empresa, isso evita que os demais projetem o que pode ser feito com os que ficaram.

 

 

 

Texto de Carlos André – Formado em Administração de Recursos Humanos e Pós Graduado em Desenvolvimento Gerencial pela Fundação Getúlio Vargas (SP). Diretor de Operações da DP EXPERT Consultoria e Terceirização de Serviços RH.

PUBLICIDADE