PUBLICIDADE

economia

Americanas unifica marcas e encerra as operações do Submarino e Shoptime

A Americanas anunciou que os sites e aplicativos das lojas online Submarino e Shoptime serão integrados ao da varejista, resultando na descontinuação dessas plataformas. A mudança ocorre em um momento em que a empresa tenta se recuperar de sua maior crise financeira.

O Shoptime fazia parte do grupo desde 2005, após uma década de existência no mercado brasileiro. Já o Submarino foi fundada em 1999 e se fundiu com a Americanas em 2006. Juntas, essas marcas representavam gigantes históricos do setor.

Ex-CEO e ex-diretora da Americanas são considerados foragidos e entram na lista da Interpol
Em nota, a varejista informou que a unificação visa oferecer ao cliente uma jornada de compra mais completa. “A integração tem como objetivo fortalecer o digital da companhia a partir da marca Americanas. A decisão contemplou o alinhamento com a nova estratégia de negócios, que foca em uma operação mais ágil, rentável e eficiente para oferecer uma experiência de compra ainda mais completa”, informou a nota.

O rombo de R$ 20 bilhões na Americanas foi revelado em janeiro de 2023 pela recém-nomeada diretoria da empresa. Posteriormente, a companhia , que tem como acionistas de referência o trio de bilionários fundadores da 3G Capital — Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira — acusou ex-CEO Miguel Gutierrez, a ex-diretora Anna Saicali Gutierrez e outros ex-funcionários de cometerem fraude.

O reconhecimento da fraude teve um impacto significativo. O valor de mercado da varejista era de R$ 10 bilhões em 11 de janeiro de 2023. Passado mais de um ano, a empresa vale apenas R$ 361 milhões. A varejista agora dá passos em seu processo de recuperação judicial para reconquistar sua posição no mercado.