PUBLICIDADE

1.0 - RADAR3.0 - NEG√ďCIOSbrasileconomia

A desigualdade entre sal√°rios e cargos

Dados do √ćndice de Desenvolvimento Humano (IDH)¬†divulgados nesta sexta-feira (14) pelo Programa das Na√ß√Ķes Unidas para o Desenvolvimento (Pnud)¬†indicam que as brasileiras est√£o melhores na maioria dos indicadores no que diz respeito √† sa√ļde e ao estudo. Por√©m, est√£o pior situadas quando sua renda nacional bruta per capita √© comparada √† dos homens.

O √ćndice de Desenvolvimento de G√™nero, que traz os mesmos indicadores do IDH, mas com separa√ß√£o por sexo em 164 pa√≠ses, mostra que, apesar de as mulheres terem mais anos esperados de escolaridade (15,9 frente a 14,9 dos homens) e maior m√©dia de anos de estudo (8 anos contra 7,7 nos homens), a renda nacional bruta per capita da mulher √© 42,7% menor que a do homem. Em d√≥lares, este valor equivale a US$ 10.073 contra US$ 17.566 para os homens.

No √ćndice de Desenvolvimento de G√™nero, os pa√≠ses s√£o divididos em grupos de 1 a 5 – sendo este √ļltimo o de maior desenvolvimento. Como as mulheres t√™m n√ļmeros mais altos em quase todos os indicadores, o Brasil √© avaliado na melhor categoria, a do grupo 1.

Por√©m, o √ćndice de Desigualdade de G√™nero, calculado em 160 pa√≠ses e focado na situa√ß√£o da mulher no pa√≠s, mostra o Brasil na 94¬™ posi√ß√£o. O √≠ndice, neste caso, √© de 0,407 numa escala de 0 a 1 – ao contr√°rio do IDH, por√©m, o pa√≠s est√° melhor posicionado quanto mais pr√≥ximo do zero.

Desigualdade na política

Aqui, o Pnud destaca que as brasileiras ocupam 11,3% das cadeiras do Congresso Nacional. O resultado é o pior da América do Sul. Além disto, este indicador é ainda pior que o do país com o menor IDH do mundo, o Níger (17%).

Outro indicador do Pnud mostra que uma mulher brasileira gasta em média 4,3 vezes mais do seu tempo em trabalhos domésticos e de cuidados do que os homens. Cerca de 13,3% do tempo delas é dedicado a esta atividade não remunerada, enquanto os homens gastam cerca de 3,1% do tempo deles.

Essa comparação é maior do que em países vizinhos, como o Chile (onde as mulheres gastam 2,2 vezes mais do seu tempo nessas tarefas do que os homens), Argentina (2,5), Uruguai (2,4) e Paraguai (3,4).

Fonte: G1

PUBLICIDADE