PUBLICIDADE

arte & cultura

‚ÄėTebas Land‚Äô chega a S√£o Paulo

Depois de tr√™s tem¬≠po¬≠radas de suces¬≠so no Rio de Janeiro, Tebas Land, do autor uruguaio Ser¬≠gio Blan¬≠co, chega a S√£o Paulo, para cur¬≠ta tem¬≠po¬≠ra¬≠da, no Sesc 24 de Maio, de 21 de jun¬≠ho a 21 de jul¬≠ho. Inspi¬≠ra¬≠do no mito do √Čdipo e na vida de S√£o Mar¬≠t¬≠in¬≠ho de Tours, san¬≠to europeu do s√©cu¬≠lo IV, o espet√°cu¬≠lo exp√Ķe, com raz√£o e emo√ß√£o, a insti¬≠gante rela√ß√£o entre um jovem par¬≠ri¬≠ci¬≠da e um dra¬≠matur¬≠go inter¬≠es¬≠sa¬≠do em escr¬≠ev¬≠er a hist√≥ria de seu crime. A pe√ßa venceu os pr√™mios Shell RJ de Mel¬≠hor Ator (Otto Jr.) e Bote¬≠quim Cul¬≠tur¬≠al de Mel¬≠hor Espet√°cu¬≠lo, Mel¬≠hor Dire√ß√£o e Mel¬≠hor Ator (Rob¬≠son Torin¬≠ni). Tam¬≠b√©m foi indi¬≠ca¬≠do ao Bote¬≠quim Cul¬≠tur¬≠al de Mel¬≠hor Ator (Otto Jr.) e Ces¬≠granrio de Mel¬≠hor Dire√ß√£o e Mel¬≠hor Ator (Rob¬≠son Torin¬≠ni).

Dirigi­do por Vic­tor Gar­cia Per­al­ta, o espetácu­lo con­ta com um cenário que repro­duz uma quadra de bas­quete da prisão, onde ocor­rem os encon­tros quase doc­u­men­tais entre ess­es dois per­son­agens, duas pes­soas de mun­dos com­ple­ta­mente dis­tin­tos. Começa, então, uma peça den­tro da peça, com o ator Rob­son Torin­ni na pele do jovem assas­si­no e do ator quer o rep­re­sen­ta. O elen­co tam­bém con­ta com Otto Jr. no papel do dra­matur­go. Com esse jogo de met­alin­guagem, a peça pode ser con­sid­er­a­da uma reflexão sobre con­strução da dra­matur­gia, o uni­ver­so teatral e os lim­ites entre ficção e real­i­dade.

‚ÄúO tex¬≠to nos cativou pelos dois difer¬≠entes planos, raz√£o e emo√ß√£o, e pelo proces¬≠so cria¬≠ti¬≠vo imbu√≠¬≠do neles, em que a dra¬≠matur¬≠gia √© con¬≠stru√≠¬≠da durante a a√ß√£o da pe√ßa, oscilan¬≠do, quase que para¬≠le¬≠la¬≠mente, entre a dis¬≠cuss√£o do fato ocor¬≠ri¬≠do e a con¬≠stru√ß√£o do tex¬≠to da pe√ßa que ser√° basea¬≠da no crime‚ÄĚ, con¬≠ta Vic¬≠tor Gar¬≠cia Per¬≠al¬≠ta, ide¬≠al¬≠izador do pro¬≠je¬≠to jun¬≠to com Rob¬≠son Torin¬≠ni.

Com sen¬≠si¬≠bil¬≠i¬≠dade e intelig√™n¬≠cia, o autor uruguaio Ser¬≠gio Blan¬≠co exp√Ķe temas de grande relev√Ęn¬≠cia: pater¬≠nidade, fal¬≠ta de afe¬≠to, solid√£o, fam√≠lias dis¬≠fun¬≠cionais e fal√™n¬≠cia dos sis¬≠temas pri¬≠sion¬≠ais.  ‚ÄúA pe√ßa abor¬≠da uma quest√£o que muito nos toca: as lig¬≠a√ß√Ķes com os pais. Nem todos podemos ser pais, mas todos somos fil¬≠hos e, por¬≠tan¬≠to, todos temos a exper¬≠i√™n¬≠cia da descend√™n¬≠cia. √Č tam¬≠b√©m um tra¬≠bal¬≠ho sobre a din√Ęmi¬≠ca do que √© a engen¬≠haria da con¬≠stru√ß√£o de uma pe√ßa, como o tex¬≠to pode ser escrito‚ÄĚ, define Ser¬≠gio Blan¬≠co, autor da obra, que rece¬≠beu cin¬≠co indi¬≠ca√ß√Ķes ao Pr√™mio Max, na Espan¬≠ha.

O espet√°cu¬≠lo revisi¬≠ta ain¬≠da tex¬≠tos que abor¬≠dam o tema, como Os Irm√£os Kara¬≠ma¬≠zov, de Dos¬≠toievs¬≠ki; Um Par¬≠ri¬≠ci¬≠da, de Mau¬≠pas¬≠sant; e Dos¬≠toievs¬≠ki e o Par¬≠ric√≠¬≠dio, de Freud.

PUBLICIDADE