brasileconomia

Sudeste teve a maior variação para o etanol em 2019

Os motoristas do Sudeste pagaram 18% mais caro para abastecer com etanol em 2019, revela o mais novo levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). O estudo analisou o comportamento dos preços dos combustíveis de janeiro a novembro, e também mostra que, no mês passado, o litro do combustível voltou a avançar 2% nas bombas, vendido a R$ 3,427. Ao longo do ano, a gasolina registrou variação de 8%.

“Quando analisamos o desempenho médio do preço dos combustíveis no Sudeste, identificamos que o valor do etanol na região apresentou a diferença mais expressiva ao longo do ano. O combustível registrou o seu menor valor em fevereiro, com o litro vendido à média de R$ 2,903, ante os R$ 3,427 encontrados nas bombas em novembro. Uma variação que fica acima da média nacional para o etanol, que foi de 9%”, comenta o Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil, Douglas Pina.

O menor valor registrado para a gasolina foi em fevereiro, com o litro comercializado a R$ 4,317. O preço é 8% menor que a média encontrada nos postos em novembro, que foi de R$ 4,666. O avanço de 0,5% para o combustível no mês passado colocou a região no ranking da gasolina mais cara de todo o País.

Sobre o comportamento dos preços em novembro, no recorte por Estado, o IPTL mostra que os postos paulistas seguem com os menores valores de toda a região. Além do diesel comum e do diesel S-10 mais baratos, a gasolina e o etanol também apresentaram o menor valor no Estado, com média de R$ 4,274 e R$ 2,823, respectivamente.

Os motoristas do Rio de Janeiro continuam a pagar pela gasolina e pelo etanol mais caros, média de R$ 4,942 e R$ 3,970, respectivamente. Já o gás veicular natural (GNV) foi mais em conta por lá, R$ 3,153, ante os R$ 3,560 de Minas Gerais. No Espírito Santo, a gasolina manteve-se estável, com o litro a R$ 4,639, enquanto o etanol foi comercializado a R$ 3,771, ante os R$ 3,768 de outubro.

No contexto nacional, em 2019 o preço dos combustíveis apresentou variação média de até 9%, quando analisados os valores médios para todo o País em cada mês. Já no recorte por Estado, quando o estudo compara o menor e o maior valor registrado para cada tipo de combustível, a variação chega a 66%. Foi o caso do etanol, que, em São Paulo, em julho, foi vendido à média de R$ 2,584, ante os R$ 4,299 de maio, encontrados nos postos do Rio Grande do Sul.

Outro dado destacado pelo IPTL é que 89% dos Estados brasileiros têm mais da metade de seus municípios com valores acima da média estadual para a gasolina. Com o etanol, o comportamento não é diferente, pois 78% dos municípios apresentam o preço acima da média para o seu Estado.

O IPTL é um índice mensal de preços de combustíveis levantados com base nos abastecimentos realizados nos 18 mil postos credenciados da Ticket Log, que tem grande confiabilidade, por causa da quantidade de veículos administrados pela marca: 1 milhão ao todo, com uma média de oito transações por segundo. A Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil, conta com mais 25 anos de experiência e se adapta às necessidades dos clientes, oferecendo soluções modernas e inovadoras, a fim de simplificar os processos diários.

 

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista