brasileconomia

Inadimplência faz brasileiros priorizarem quitar dívidas em 2020

Segundo o levantando TOP 20 Objetivos para 2020, feito pelo 7waves, o brasileiro estará focado em quitar dívidas, viajar nas férias e aprender inglês, em 2020. No ano passado, esses objetivos estavam em sexto, terceiro e quinto lugares, respectivamente.

Dados recentes da Serasa Experian apontam que existem 63,4 milhões de inadimplentes no país. O alto endividamento tem como principais causas a perda do emprego (30%), a redução de renda (29%), o empréstimo do nome para terceiros (14%) e a falta de controle financeiro (13%), revela pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

“O brasileiro está mais consciente quanto à forma como consome e preocupado em deixar o nome limpo, para ter mais poder de negociação quando pensar, por exemplo, em um financiamento”, analisa Rodolfo Ribeiro, CEO do 7waves. “Com as contas em dia, ele também pode planejar uma viagem para conhecer o lugar dos sonhos, ou ainda fazer um curso ou intercâmbio para aprender um segundo idioma, que no caso dos usuários 7waves, têm o inglês como prioridade”, acrescenta o executivo.

Na outra ponta do levantamento, temos os objetivos que não estarão no foco dos brasileiros em 2020, como fazer festa de aniversário (18ª posição), trocar de emprego (19ª) e fazer trabalho voluntário (20º lugar).

“A crise econômica do país e o alto índice de desemprego fará o brasileiro querer crescer e buscar oportunidades dentro da empresa em que trabalha, por meio do aperfeiçoamento profissional, ao invés de se aventurar no mercado, trocando o certo pelo duvidoso”, diz Ribeiro. “As pessoas também vão preferir investir seu dinheiro em bens duráveis como comprar um celular, carro, casa, empreender, fazer previdência privada, viajar, ao invés de gastar, por exemplo, com uma elaborada festa de aniversário”, completa.

Confira o ranking TOP 20 Objetivos dos Brasileiros para 2020, do 7waves:

 - REVISTA MAISJR

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista