PUBLICIDADE

economia

Se pandemia persistir, economia da China n√£o crescer√° 

O retorno ao cresci¬≠men¬≠to econ√īmi¬≠co na Chi¬≠na s√≥ ser√° pos¬≠s√≠v¬≠el se a pan¬≠demia do novo coro¬≠n¬≠av√≠rus for con¬≠tro¬≠la¬≠da a n√≠v¬≠el mundi¬≠al, aler¬≠tou o gov¬≠er¬≠no de Pequim, enquan¬≠to o pa√≠s se esfor√ßa para retomar sua ativi¬≠dade.

A econo­mia chi­ne­sa exper­i­men­tou um retro­ces­so pela primeira vez em sua história no primeiro trimestre, com uma que­da de 6,8% ao ano, atribuí­da à epi­demia de COVID-19 que par­al­isou grande parte das empre­sas do país.

Emb­o­ra a Chi­na ten­ha con­tro­la­do a epi­demia em seu ter­ritório e teste­munhe um retorno à nor­mal­i­dade, as empre­sas enfrentam difi­cul­dades dev­i­do a uma baixa nos pedi­dos. E os expor­ta­dores chi­ne­ses estão espe­cial­mente expos­tos, já que a pan­demia par­al­isa ago­ra grande parte da econo­mia mundi­al.

‚ÄúAs empre¬≠sas con¬≠tin¬≠u¬≠am enfrentan¬≠do difi¬≠cul¬≠dades sig¬≠ni¬≠fica¬≠ti¬≠vas em quest√£o de fun¬≠ciona¬≠men¬≠to e pro¬≠du√ß√£o. Ain¬≠da vai levar tem¬≠po‚ÄĚ para voltar √† nor¬≠mal¬≠i¬≠dade, afir¬≠mou √† impren¬≠sa o min¬≠istro de Ind√ļs¬≠tria e Tec¬≠nolo¬≠gias da Infor¬≠ma√ß√£o, Miao Wei.

Miao n√£o descar¬≠ta uma recu¬≠per¬≠a√ß√£o no segun¬≠do trimestre mas, con¬≠forme aler¬≠ta, este cen√°rio ser√° pos¬≠s√≠v¬≠el ape¬≠nas ‚Äúse a pan¬≠demia for pro¬≠gres¬≠si¬≠va¬≠mente con¬≠tro¬≠la¬≠da a n√≠v¬≠el mundi¬≠al‚ÄĚ.

O cresci­men­to do PIB chinês foi de 6,1% no ano pas­sa­do, seu pior resul­ta­do em cer­ca de 30 anos, dev­i­do em parte à guer­ra com­er­cial com os Esta­dos Unidos.

A Chi¬≠na pode esta¬≠b¬≠ele¬≠cer uma meta de cresci¬≠men¬≠to para este ano na aber¬≠tu¬≠ra de sua sess√£o par¬≠la¬≠men¬≠tar na sex¬≠ta-feira, adi¬≠a¬≠da em meio √† epi¬≠demia.

bys/rox/sbr/bar/oaa/me/zm\aa Por: AFP

PUBLICIDADE