4.0 // manual4.2 // saúde

Precisamos falar sobre a depressão masculina

Podemos ver muitos suicídios acontecendo nos últimos tempos entre as celebridades, principalmente artistas e músicos homens, e já que a depressão é a doença do século e muitos já entraram no assunto e está mais que normal falar disso, decidimos que temos que falar também sobre.

Em constante crescimento, a depressão atinge cada vez mais pessoas no mundo, o Brasil é o país com maior prevalência da ansiedade. Há estimativas que 6 milhões de homens americanos sofrem de depressão em um ano típico, mas muitos não percebem ou não tratam por medo de julgamentos ou acreditarem ser só estresse diário. Além de que os homens possuem mais facilidade em sentir raiva e frustrações, e não é segredo para ninguém que os homens muitas vezes evitam médicos e falar de seus sintomas, assim a depressão masculina é deixada em segundo plano.

A depressão masculina tende a ser silenciosa tanto por ações dos homens, de não procurarem ajuda e pelo lado dos médicos, que muitas vezes não diagnosticam os homens do mesmo jeito que fazem com as mulheres, evidências científicas indicam que há um viés de gênero quando se trata de problemas de saúde mental. Alguns estudos também apontam que homens tendem a manter silêncio quando possuem pensamentos de se machucar, e que homens de meia-idade são os que mais crescem nas taxas de suicídio nos últimos anos.

“Os homens têm mais dificuldade em reconhecer, descrever ou admitir [doenças mentais] do que as mulheres”, disse John Greden, diretor-executivo do Centro de Depressão da Universidade de Michigan, em ao The Huffington Post. “Os homens precisam reconhecer que isso não é algo que vai se curar de uma hora para a outra e que certamente não é sinal de fraqueza.”

Falar sobre seus sentimentos pode te salvar, e discutir a depressão masculina é fundamental para mudar o cenário triste que vivemos.

 

Foto: Divulgação

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista