PUBLICIDADE

economia

Pela pandemia, quase 600.000 australianos ficam desempregados 

Pelo menos 600.000 aus¬≠tralianos perder¬≠am seus empre¬≠gos em abril, dev¬≠i¬≠do ao con¬≠fi¬≠na¬≠men¬≠to dec¬≠re¬≠ta¬≠do para com¬≠bat¬≠er o novo coro¬≠n¬≠av√≠rus, o maior n√ļmero em mais de qua¬≠tro d√©cadas ‚ÄĒ con¬≠forme dados divul¬≠ga¬≠dos nes¬≠ta quin¬≠ta-feira (14).

O Aus­tralian Bureau of Sta­tis­tics (ABS) infor­mou que 100.000 pes­soas solic­i­taram seguro-desem­prego e que 500.000 deixaram o setor ati­vo.

O primeiro-min¬≠istro Scott Mor¬≠ri¬≠son disse se tratar de n√ļmeros ‚Äúextrema¬≠mente chocantes‚ÄĚ.

Segun¬≠do o ABS, 2,7 mil¬≠h√Ķes de pes¬≠soas, ou seja, um ati¬≠vo em cada cin¬≠co, tiver¬≠am de deixar o emprego, ou viram sua jor¬≠na¬≠da de tra¬≠bal¬≠ho ser reduzi¬≠da, em um con¬≠tex¬≠to em que o pa√≠s reg¬≠istrou uma ‚Äúque¬≠da sem prece¬≠dentes‚ÄĚ de 63,5% de sua ativi¬≠dade.

Essa que­da na ativi­dade elevou a taxa de desem­prego em um pon­to, que atingiu 6,1%. Esse é o maior declínio men­sal no emprego des­de que o ABS ini­ciou os reg­istros men­sais em 1978.

Mor¬≠ri¬≠son aler¬≠tou a pop¬≠u¬≠la√ß√£o para se preparar para an√ļn¬≠cios econ√īmi¬≠cos ain¬≠da mais dev¬≠as¬≠ta¬≠dores. At√© ago¬≠ra, a Aus¬≠tr√°lia reg¬≠istrou cer¬≠ca de 7.000 casos de con¬≠t√°¬≠gio e 100 mortes, em uma pop¬≠u¬≠la√ß√£o de 25 mil¬≠h√Ķes.

hr/dm/dan/juf/jhd/es/bl/tt Por: AFP

PUBLICIDADE