PUBLICIDADE

mundo

Agência da UE, diz: vacina contra coronavírus é possível em cerca de um ano

Uma vaci¬≠na con¬≠tra o novo coro¬≠n¬≠av√≠rus pode¬≠ria ser aprova¬≠da em cer¬≠ca de um ano sendo ‚Äúotimista‚ÄĚ, disse uma ag√™n¬≠cia que apro¬≠va rem√©¬≠dios para a Uni√£o Europeia nes¬≠ta quin¬≠ta-feira.

Enquan­to o mun­do corre para desen­volver uma vaci­na, a UE, atingi­da dura­mente pela Covid-19, teme não pos­suir supri­men­tos sufi­cientes, espe­cial­mente se uma vaci­na for desen­volvi­da nos Esta­dos Unidos ou na Chi­na.

A Ag√™n¬≠cia Europeia de Rem√©¬≠dios (EMA), que se comu¬≠ni¬≠ca com 33 desen¬≠volve¬≠dores, est√° fazen¬≠do tudo o que pode para acel¬≠er¬≠ar o proces¬≠so de aprova√ß√£o, disse o chefe de vaci¬≠nas da EMA, Mar¬≠co Cav¬≠a¬≠leri, mas ele duvi¬≠da das afir¬≠ma√ß√Ķes de que uma pode estar pronta em setem¬≠bro.

‚ÄúPara vaci¬≠nas, como o desen¬≠volvi¬≠men¬≠to teve que come√ßar do zero‚Ķ podemos pen¬≠sar, sendo otimis¬≠tas, em um ano a par¬≠tir de ago¬≠ra, ent√£o no in√≠¬≠cio de 2021‚ÄĚ, disse ele aos jor¬≠nal¬≠is¬≠tas.

Ele descar­tou a pos­si­bil­i­dade de saltar a ter­ceira fase de um teste de vaci­na, que disse ser necessário para ter certeza de que ela é segu­ra e efi­ciente.

A EMA tam¬≠b√©m est√° estu¬≠dan¬≠do 115 ter¬≠apias, ou trata¬≠men¬≠tos, difer¬≠entes para o coro¬≠n¬≠av√≠rus, que j√° matou quase 300 mil pes¬≠soas em todo o mun¬≠do, de acor¬≠do com dados da Orga¬≠ni¬≠za¬≠√ß√£o Mundi¬≠al da Sa√ļde (OMS).

Cav­a­leri disse que algu­mas destas ter­apias pode­ri­am ser aprovadas na Europa ain­da no iní­cio do verão no Hem­is­fério Norte, mas não especi­fi­cou quais.

Um par­la­men­tar desta­ca­do do blo­co disse que a UE dev­e­ria con­tornar os dire­itos de pro­priedade int­elec­tu­al de algu­mas empre­sas far­ma­cêu­ti­cas se uma vaci­na fos­se desen­volvi­da fora do blo­co, um novo sinal do temor da UE de ficar para trás na cor­ri­da glob­al.

‚ÄúSe uma vaci¬≠na for desen¬≠volvi¬≠da primeiro fora da Europa, pre¬≠cisamos faz¬≠er todo o pos¬≠s√≠v¬≠el para garan¬≠tir que a vaci¬≠na fique dispon√≠v¬≠el para todos os pa√≠s¬≠es‚ÄĚ, disse Peter Liese, mem¬≠bro proem¬≠i¬≠nente do par¬≠tido Uni√£o Democ¬≠ra¬≠ta-Crist√£ (CDU) da chancel¬≠er alem√£, Angela Merkel.

‚ÄúEsta¬≠mos con¬≠tan¬≠do com o di√°l¬≠o¬≠go e a coop¬≠er¬≠a√ß√£o, mas tam¬≠b√©m pre¬≠cisamos con¬≠tar que out¬≠ros rejeitar√£o o di√°l¬≠o¬≠go e a coop¬≠er¬≠a√ß√£o. √Č por isso que pre¬≠cisamos de um plano B.‚ÄĚ

EUA e Chi¬≠na t√™m hes¬≠i¬≠ta¬≠do em apoiar uma cam¬≠pan¬≠ha de finan¬≠cia¬≠men¬≠to glob¬≠al defen¬≠di¬≠da pela UE que arrecadou 8 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares para pesquisa, fab¬≠ri¬≠ca√ß√£o e dis¬≠tribui√ß√£o de uma vaci¬≠na e trata¬≠men¬≠tos pos¬≠s√≠veis para a Covid-19 neste m√™s.

Liese pediu aos gov­er­nos do blo­co e à Comis­são Europeia que cog­item uma isenção con­tem­pla­da nas regras da Orga­ni­za­ção Mundi­al do Comér­cio (OMC) que per­mite que Esta­dos pro­duzam medica­men­tos genéri­cos sem o con­sen­ti­men­to das far­ma­cêu­ti­cas que os desen­volver­am e ain­da detêm os dire­itos int­elec­tu­ais.

(Por Toby Ster¬≠ling e Lud¬≠wig Burg¬≠er; reportagem adi¬≠cional de Francesco Guaras¬≠cio em Brux¬≠e¬≠las) / AMSTERD√É/BRUXELAS (Reuters)

PUBLICIDADE