PUBLICIDADE

economia

Despesas com juros do cheque especial podem cair R$ 7,2 bi em 12 meses

As despe¬≠sas com juros do cheque espe¬≠cial podem ser reduzi¬≠das em R$ 7,2 bil¬≠h√Ķes, em 12 meses, em raz√£o de mudan√ßas na modal¬≠i¬≠dade de cr√©di¬≠to. Esse val¬≠or rep¬≠re¬≠sen¬≠ta 24% das despe¬≠sas com juros dessa modal¬≠i¬≠dade. A sim¬≠u¬≠la√ß√£o foi fei¬≠ta pelo Ban¬≠co Cen¬≠tral (BC), no Relat√≥rio de Econo¬≠mia Banc√°ria, divul¬≠ga¬≠do hoje (4), em Bras√≠lia.

O BC lem¬≠bra que o Con¬≠sel¬≠ho Mon¬≠et√°rio Nacional (CMN), por meio da Res¬≠olu√ß√£o 4.765, de 27 de novem¬≠bro de 2019, redesen¬≠hou o cheque espe¬≠cial.

A res­olução esta­b­ele­ceu lim­ite para taxa de juros (8% ao mês) e fac­ul­tou a cobrança de tar­i­fa de até 0,25% sobre o val­or disponi­bi­liza­do para crédi­to que ultra­passe R$500,00. As regras começaram a valer neste ano.

De acor­do com o doc­u­men­to, as faixas mais baixas de ren­da serão mais ben­e­fi­ci­adas com as novas medi­das.

A faixa de ren¬≠da at√© R$ 1,5 mil ter√° redu√ß√£o de at√© 116 pon¬≠tos per¬≠centu¬≠ais no Cus¬≠to Efe¬≠ti¬≠vo Total (CET ‚Äď soma de todos os cus¬≠tos dos empr√©s¬≠ti¬≠mos, como juros e tar¬≠i¬≠fas), ‚Äúrefletindo majori¬≠tari¬≠a¬≠mente a diminui√ß√£o na taxa de juros‚ÄĚ.

‚ÄúO con¬≠tr√°rio ocorre na faixa mais alta de ren¬≠da (aci¬≠ma de R$ 10 mil), na qual haver√° ele¬≠va√ß√£o no CET, que pas¬≠sar√° a ser supe¬≠ri¬≠or ao da faixa mais baixa de ren¬≠da em ambos cen√°rios con¬≠trafac¬≠tu¬≠ais‚ÄĚ, disse o BC.

A cobrança de tar­i­fas mais do que com­pen­sa a que­da de juros para indi­ví­du­os de ren­da ele­va­da, e, por isso, o cus­to aumen­ta. Em média, indi­ví­du­os de ren­da mais ele­va­da pagam taxas de juros menores, refletindo menor risco de crédi­to.

‚ÄúEm con¬≠tra¬≠parti¬≠da, tam¬≠b√©m pos¬≠suem lim¬≠ites supe¬≠ri¬≠ores de cheque espe¬≠cial; logo, pagar√£o val¬≠or maior em tar¬≠i¬≠fas sobre ess¬≠es lim¬≠ites‚ÄĚ, expli¬≠cou o Ban¬≠co Cen¬≠tral.

‚ÄúJ√° para indi¬≠v√≠¬≠du¬≠os mais pobres, a redu√ß√£o na taxa de juros supera o val¬≠or que pas¬≠sar√° a ser cobra¬≠do pela tar¬≠i¬≠fa‚ÄĚ, acres¬≠cen¬≠tou.

Simulação

Em dezem­bro de 2019, os juros efe­tivos médios do cheque espe­cial estavam em 275% ao ano para indi­ví­du­os com ren­da abaixo de R$ 1,5 mil e, em 234% ao ano, para pes­soas com ren­da aci­ma de R$ 10 mil.

No mes­mo perío­do, os lim­ites médios de crédi­to para cheque espe­cial foram de R$1.693,00 e R$ 21.422,00 para a menor e a maior faixa de ren­da, respec­ti­va­mente.

Ao sim­u­lar o uso de R$ 1 mil do cheque espe­cial por um mês, sob a regra anti­ga, o cus­to com juros do cheque espe­cial é de R$ 106 (taxa de 10,6% ao mês) para a pes­soa de maior ren­da e de R$ 116 para o indi­ví­duo de menor ren­da (taxa de 11,6% ao mês).

Sob a sim­u­lação fei­ta a par­tir da regra nova, no mês de uti­liza­ção do cheque espe­cial, o cus­to é de R$ 132 para quem tem maior ren­da (cus­to efe­ti­vo de 13,2% ao mês) e de R$ 83,00 para clientes de menor ren­da (cus­to efe­ti­vo de 8,3% ao mês).

PUBLICIDADE