PUBLICIDADE

economia

Bitcoin dispara 13% em dois dias e supera US$ 11 mil após quase um ano

Depois de pas¬≠sar quase tr√™s meses andan¬≠do de lado, o Bit¬≠coin gan¬≠hou for√ßa repenti¬≠na¬≠mente no √ļlti¬≠mo fim de sem¬≠ana e nes¬≠ta ter√ßa-feira (28) super¬≠ou a mar¬≠ca de US$ 11 mil depois de quase um ano.

Em um movi­men­to que teve iní­cio no domin­go de man­hã, a maior crip­to­moe­da do mun­do saiu do nív­el de US$ 9.780 para cer­ca de US$ 11.050 no iní­cio da tarde de hoje, uma val­oriza­ção de 13% em dois dias.

Segun¬≠do Ricar¬≠do Da Ros, coun¬≠try man¬≠ag¬≠er da Ripio, n√£o h√° como apon¬≠tar uma causa espec√≠¬≠fi¬≠ca para esta forte val¬≠oriza¬≠√ß√£o do Bit¬≠coin em t√£o pouco tem¬≠po, mas alguns fatores aju¬≠dam e enten¬≠der o que acon¬≠te¬≠ceu.

Entre as not√≠¬≠cias pos¬≠i¬≠ti¬≠vas, os investi¬≠dores se ani¬≠maram com a autor¬≠iza¬≠√ß√£o reg¬≠u¬≠lat√≥ria para que os ban¬≠cos amer¬≠i¬≠canos pos¬≠sam cus¬≠to¬≠di¬≠ar crip¬≠to¬≠moedas, al√©m de novi¬≠dades sobre futuras oper¬≠a√ß√Ķes da Visa e Mas¬≠ter¬≠card com Bit¬≠coin.

‚ÄúNos EUA, o Office of the Comp¬≠trol¬≠ler of the Cur¬≠ren¬≠cy (OCC) anun¬≠ciou que os ban¬≠cos tradi¬≠cionais est√£o autor¬≠iza¬≠dos a realizar cust√≥¬≠dia de crip¬≠toa¬≠t¬≠ivos para seus clientes. Al√©m dis¬≠so, tan¬≠to Visa como Mas¬≠ter¬≠card anun¬≠cia¬≠ram seus planos de uti¬≠lizar Bit¬≠coin e out¬≠ros ativos em seu mod¬≠e¬≠lo de neg√≥¬≠cios. √Č o mun¬≠do finan¬≠ceiro tradi¬≠cional entran¬≠do de vez no mun¬≠do do Bit¬≠coin‚ÄĚ, expli¬≠ca Da Ros.

Para os entu­si­as­tas de análise téc­ni­ca, a que­bra de diver­sas resistên­cias tam­bém aju­dam a expli­ca a alta da crip­to­moe­da, como desta­ca relatório da Binance Research.

E al√©m deste cen√°rio mais pos¬≠i¬≠ti¬≠vo na √ļlti¬≠ma sem¬≠ana, espe¬≠cial¬≠is¬≠tas tam¬≠b√©m desta¬≠cam a pio¬≠ra do cen√°rio geopol√≠ti¬≠co, em espe¬≠cial com a quest√£o entre Esta¬≠dos Unidos e Chi¬≠na, com o fechamen¬≠to de con¬≠sula¬≠dos em ambos os pa√≠s¬≠es.

‚ÄúAs per¬≠spec¬≠ti¬≠vas neg¬≠a¬≠ti¬≠vas para os mer¬≠ca¬≠dos finan¬≠ceiros tradi¬≠cionais fiz¬≠er¬≠am os investi¬≠dores recor¬≠rerem a moedas dig¬≠i¬≠tais descen¬≠tral¬≠izadas, n√£o sober¬≠anas e seguras, incluin¬≠do o Bit¬≠coin‚ÄĚ, expli¬≠ca Beibei Liu, CEO da NovaDAX.

Cada vez mais o Bit¬≠coin √© apon¬≠ta¬≠do como um ati¬≠vo de ‚Äúpro¬≠te√ß√£o‚ÄĚ con¬≠tra ten¬≠s√Ķes geopol√≠ti¬≠cas e econ√īmi¬≠cas. Pa√≠s¬≠es como Venezuela e Argenti¬≠na j√° reg¬≠is¬≠tram usos altos de crip¬≠to¬≠moedas como for¬≠ma da pop¬≠u¬≠la√ß√£o fugir dos riscos da infla√ß√£o e da crise pelas quais estes pa√≠s¬≠es pas¬≠sam.

Al√©m dis¬≠so, no ano pas¬≠sa¬≠do, o Bit¬≠coin reg¬≠istrou movi¬≠men¬≠tos fortes de alta enquan¬≠to o mer¬≠ca¬≠do tradi¬≠cional sen¬≠tia a press√£o da guer¬≠ra com¬≠er¬≠cial entre EUA e Chi¬≠na. Por ter essa forte descor¬≠re¬≠la√ß√£o com o cen√°rio econ√īmi¬≠co, investi¬≠dores tem investi¬≠do na crip¬≠to¬≠moe¬≠da como for¬≠ma de pro¬≠te¬≠ger parte da carteira, da mes¬≠ma for¬≠ma que o ouro √© usa¬≠do.

Por fim, Da Ros lem­bra ain­da do halv­ing, que acon­te­ceu em maio e cor­tou pela metade a ofer­ta de novos bit­coins no mer­ca­do, o que tende a ter uma pressão pos­i­ti­va sobre os preços.

Ape¬≠sar dis¬≠so, espe¬≠cial¬≠is¬≠tas ressaltam que este movi¬≠men¬≠to de alta tende a n√£o ser ime¬≠di¬≠a¬≠to e nas √ļlti¬≠mas duas vezes que acon¬≠te¬≠ceu demor¬≠ou pelo menos 12 meses para se refle¬≠tir no pre√ßo. Por con¬≠ta dis¬≠so, investi¬≠dores seguem otimis¬≠tas de que novas altas devem seguir nos pr√≥x¬≠i¬≠mos meses.

PUBLICIDADE