PUBLICIDADE

esporte

Mudanças para o Brasileirão

O Atl√©tico-MG prop√īs em Conselho T√©cnico da CBF uma importante medida para o Campeonato Brasileiro. A partir deste ano, est√° proibida a venda de mandos de campo para outros estados. Desse modo, nenhum clube poder√° jogar fora de seu estado de origem.

A reuni√£o aconteceu ontem e o Conselho decidiu acatar a proposta. Alguns clubes foram contra, mas a maioria aprovou a nova medida.

No final do ano passado, a CBF j√° havia mostrado que pretendia fazer essa mudan√ßa quando proibiu a venda de mandos nas √ļltimas cinco rodadas do campeonato. O objetivo maior √© que ningu√©m se beneficie por jogar em um local considerado ‚Äúneutro‚ÄĚ.

Nas √ļltimas edi√ß√Ķes da competi√ß√£o isso acabou se tornando comum. Os times mandavam seus jogos principalmente para est√°dios constru√≠dos para a Copa do Mundo como a Arena Amaz√īnia, a Arena Pantanal, a Arena das Dunas e o Est√°dio Man√© Garrincha, os chamados ‚ÄúElefantes Brancos‚ÄĚ.

Outra mudan√ßa importante que foi definida √© que, a partir de 2018, estar√£o proibidos os gramados com grama sint√©tica nos est√°dios. Essa proposta foi feita pelo Vasco e acatada pelos outros clubes. A justificativa aqui √© que esse tipo de est√°dio estava causando um certo ‚Äúdesn√≠vel t√©cnico‚ÄĚ.

Esta √ļltima medida afeta diretamente o Atl√©tico-PR, que √© o √ļnico clube da primeira divis√£o que tem campo artificial em seu est√°dio, a Arena da Baixada. Mas, o presidente do Atl√©tico-PR, Luiz Sallim Emed, confirmou em entrevista que ir√° recorrer: “√Č uma surpresa. O Atl√©tico n√£o vai aceitar isso porque a grama sint√©tica √© homologada, autorizada e aprovada pela Fifa. N√£o pode, no nosso entendimento, ter uma decis√£o nessa natureza. N√£o tem nenhuma vantagem t√©cnica de jogar no gramado sint√©tico. Vamos conseguir mudar”, garantiu.

Fotos: Reprodução