PUBLICIDADE

esporte

Mudanças para o Brasileirão

O Atlético-MG propôs em Conselho Técnico da CBF uma importante medida para o Campeonato Brasileiro. A partir deste ano, está proibida a venda de mandos de campo para outros estados. Desse modo, nenhum clube poderá jogar fora de seu estado de origem.

A reunião aconteceu ontem e o Conselho decidiu acatar a proposta. Alguns clubes foram contra, mas a maioria aprovou a nova medida.

No final do ano passado, a CBF já havia mostrado que pretendia fazer essa mudança quando proibiu a venda de mandos nas últimas cinco rodadas do campeonato. O objetivo maior é que ninguém se beneficie por jogar em um local considerado “neutro”.

Nas últimas edições da competição isso acabou se tornando comum. Os times mandavam seus jogos principalmente para estádios construídos para a Copa do Mundo como a Arena Amazônia, a Arena Pantanal, a Arena das Dunas e o Estádio Mané Garrincha, os chamados “Elefantes Brancos”.

Outra mudança importante que foi definida é que, a partir de 2018, estarão proibidos os gramados com grama sintética nos estádios. Essa proposta foi feita pelo Vasco e acatada pelos outros clubes. A justificativa aqui é que esse tipo de estádio estava causando um certo “desnível técnico”.

Esta última medida afeta diretamente o Atlético-PR, que é o único clube da primeira divisão que tem campo artificial em seu estádio, a Arena da Baixada. Mas, o presidente do Atlético-PR, Luiz Sallim Emed, confirmou em entrevista que irá recorrer: “É uma surpresa. O Atlético não vai aceitar isso porque a grama sintética é homologada, autorizada e aprovada pela Fifa. Não pode, no nosso entendimento, ter uma decisão nessa natureza. Não tem nenhuma vantagem técnica de jogar no gramado sintético. Vamos conseguir mudar”, garantiu.

Fotos: Reprodução

 

PUBLICIDADE