PUBLICIDADE

7.0 - MANUALcabelo & barba

Mitos e verdades sobre a calvície

Segundo a Academia Americana de Dermatologia (AAD), mais de dois bilhões de pessoas são apresenta algum nível de calvície. Só no Brasil, de acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), 42 milhões de pessoas sofrem com o problema. Os homens são mais atingidos, pois a testosterona, hormônio sexual masculino, é a maior responsável pela queda de cabelo. Ainda assim, as mulheres entram para as estatísticas – estima-se que até 30 a 40% da população feminina apresentam algum grau de calvície.

A dermatologista especialista em tricologia Luiza Ottoni pontua que a testosterona não está sozinha entre as causas da calvície. “Em grande parte dos casos, os níveis de testosterona se encontram dentro da normalidade. Mas alguns pacientes tem a predisposição genética de terem os fios alterados por um derivado da Testosterona, o DHT. Além dessa, outras alterações hormonais também podem contribuir na evolução da calvície e devem ser investigadas pelo dermatologista”, afirma. A especialista pondera, ainda, que entre os motivos que levam ou acentuam a alopecia, alguns são apenas parte do imaginário e que é preciso conhecer o que realmente interfere. Por isso, ela esclarece abaixo alguns mitos e verdades relacionados à queda capilar.

Mito ou verdade?

  • Lavar os cabelos todos os dias aumenta a queda. MITO!

A lavagem dos cabelos apenas permite que os fios, que já estão pré-dispostos a queda, se desprendam mais facilmente.

  • Cortar os cabelos regularmente evita a queda. MITO!

O que acontece, é que na raiz do cabelo os fios são levemente mais espessos, o que dá a impressão de um volume maior, apenas disfarçando a queda.

  • Tomar remédio para tratar calvície causa disfunção erétil. PARCIALMENTE VERDADE.

Existe sim esse risco, bem como o de diminuição da libido, mas esses efeitos ocorrem em menos de 2% dos pacientes. A finasterida continua a ser o remédio oral mais eficaz para o tratamento da calvície.

  • Pentear os cabelos ou lavar todos os dias faz cair os fios? MITO!

Ficam no pente ou na escova apenas os fios que já encerraram seu ciclo de vida. O que pode acontecer ao lavar todos os dias é a retirada da oleosidade natural do couro cabeludo.

  • Usar bonés ou capacetes pode acentuar a calvície? MITO!

O uso de bonés não aumenta a queda dos fios, pois o processo que os torna mais finos e, posteriormente, leva à queda, é geralmente decorrente de ação hormonal.

  • O estresse aumenta a queda? VERDADE!

Alterações hormonais decorrentes do estresse podem sim levar ao aumento da queda dos fios.

  • Shampoo anti-queda é, realmente, eficiente? PARCIALMENTE VERDADE.

Esse tipo de produto tem seu efeito limitado e custo elevado. Outros remédios indicados podem ser mais eficientes, melhores e com menor custo.

  • Finasterida causa impotência sexual. MITO!

Ainda não foi comprovado que o uso desse remédio causa impotência. Ele pode provocar disfunção erétil e redução da libido em cerca de 2% dos pacientes. Tais efeitos se revertem com a interrupção do medicamento.

  • O transplante capilar deixa um aspecto de cabelo de boneca. MITO!

Atualmente, os melhores médicos, especialistas nesse tipo de tratamento, conseguem resultados perfeitamente naturais.

  • O transplante capilar sempre deixa grandes cicatrizes na cabeça. MITO!

Hoje em dia, através da técnica FUE, as cicatrizes são puntiformes, praticamente microscópicas.

Soluções

A notícia boa é que esse problema tem solução. “É importante conversar com um especialista, que vai ajudar o paciente a resolver ou minimizar bastante todos os inconvenientes do problema”, conta Otávio Boaventura, cirurgião plástico e especialista no tratamento da calvície. São orientações importantes, que podem envolver melhora dos hábitos de vida, uso regular da medicação para calvície, tratamentos como o microagulhamento e infusão de medicamentos na pele do couro cabeludo ou mesmo a cirurgia de transplante capilar. “Todos os nossos esforços são para que o paciente tenha um resultado perfeitamente natural, sem absolutamente nenhum estigma que indique que ele tenha sido operado”, afirma.

Foto: Reprodução

PUBLICIDADE