PUBLICIDADE

mundo

Reino Unido se prepara para segunda onda do coronavírus

O primeiro-min­istro do Reino Unido, Boris John­son, disse esper­ar que o país pos­sa voltar à nor­mal­i­dade antes do fim do ano e apre­sen­tou um plano de flex­i­bi­liza­ção grad­ual das medi­das de iso­la­men­to. No entan­to, ele aler­tou que, emb­o­ra torça pelo mel­hor, a nação tam­bém deve se preparar para o pior.

O n√ļmero de 45 mil mor¬≠tos por casos con¬≠fir¬≠ma¬≠dos de Covid-19 no Reino Unido √© o mais alto da Europa, mas o pa√≠s come√ßou a aban¬≠donar medi¬≠das de iso¬≠la¬≠men¬≠to √† medi¬≠da em que a quan¬≠ti¬≠dade de casos e os √≠ndices de infec√ß√£o dimin¬≠u√≠ram.

John¬≠son esta¬≠b¬≠ele¬≠ceu o crono¬≠gra¬≠ma de relax¬≠am¬≠en¬≠to mais recente esta sem¬≠ana, dizen¬≠do que os empre¬≠gadores ter√£o mais liber¬≠dade para deter¬≠mi¬≠nar as regras para o tra¬≠bal¬≠ho em casa, que a segu¬≠ran√ßa de grandes aglom¬≠er¬≠a√ß√Ķes ser√° avali¬≠a¬≠da e que as regras de dis¬≠tan¬≠ci¬≠a¬≠men¬≠to social podem ser anu¬≠ladas a tem¬≠po para as fes¬≠tas de fim de ano.

‚Äú√Č min¬≠ha esper¬≠an√ßa forte e sin¬≠cera que poder¬≠e¬≠mos revis¬≠ar as restri√ß√Ķes remanes¬≠centes e per¬≠mi¬≠tir uma vol¬≠ta mais sig¬≠ni¬≠fica¬≠ti¬≠va √† nor¬≠mal¬≠i¬≠dade n√£o antes de novem¬≠bro ‚Äď pos¬≠sivel¬≠mente a tem¬≠po para o Natal‚ÄĚ, disse.

Ele enfa¬≠ti¬≠zou que o plano depende do suces¬≠so em man¬≠ter os √≠ndices de infec√ß√£o baixos, delin¬≠ear um finan¬≠cia¬≠men¬≠to adi¬≠cional para o sis¬≠tema de sa√ļde e deter¬≠mi¬≠nar novos poderes para gov¬≠er¬≠nos munic¬≠i¬≠pais iso¬≠larem focos do novo coro¬≠n¬≠av√≠rus.

‚ÄúAssim ter¬≠e¬≠mos certeza de que esta¬≠mos pron¬≠tos para o inver¬≠no e nos preparan¬≠do para o pior. Mas mes¬≠mo que nos pre¬≠pare¬≠mos para o pior, acred¬≠i¬≠to forte¬≠mente que tam¬≠b√©m dev¬≠er√≠amos torcer pelo mel¬≠hor‚ÄĚ, disse.

Críticas por lentidão

O gov¬≠er¬≠no brit√Ęni¬≠co foi crit¬≠i¬≠ca¬≠do por causa de v√°rios aspec¬≠tos de sua rea√ß√£o √† pan¬≠demia, inclu¬≠sive ter sido lento demais para impor um iso¬≠la¬≠men¬≠to e n√£o ter acel¬≠er¬≠a¬≠do a capaci¬≠dade de realizar exam¬≠es com rapi¬≠dez sufi¬≠ciente.

O l√≠der opos¬≠i¬≠tor Keir Starmer disse que √© vital que o plano do pre¬≠mier seja endos¬≠sa¬≠do por espe¬≠cial¬≠is¬≠tas para con¬≠quis¬≠tar a con¬≠fi¬≠an√ßa do p√ļbli¬≠co: ‚ÄúIsto n√£o pode ser feito cruzan¬≠do os dedos. Exige um plano cr√≠v¬≠el e uma lid¬≠er¬≠an√ßa nacional‚ÄĚ, garan¬≠tiu.

John¬≠son afir¬≠mou que, a par¬≠tir de 1¬ļ de agos¬≠to, descar¬≠tar√° a dire¬≠triz ofi¬≠cial que incen¬≠ti¬≠va as pes¬≠soas a tra¬≠bal¬≠harem em casa para dar aos empre¬≠gadores o poder de decidir se √© seguro ou n√£o os fun¬≠cion√°rios voltarem a seus pos¬≠tos.

Ele tam¬≠b√©m alter¬≠ou seu con¬≠sel¬≠ho a respeito do trans¬≠porte p√ļbli¬≠co, dizen¬≠do √†s pes¬≠soas que ago¬≠ra todos podem us√°-lo, emb¬≠o¬≠ra sejam incen¬≠ti¬≠vadas a estu¬≠dar meios alter¬≠na¬≠tivos onde estiverem dispon√≠veis.

O gov¬≠er¬≠no esta¬≠b¬≠ele¬≠ceu um refor√ßo de caixa equiv¬≠a¬≠lente a 3,76 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares para o sis¬≠tema de sa√ļde estatal que ser√° disponi¬≠bi¬≠liza¬≠do de ime¬≠di¬≠a¬≠to, e per¬≠mi¬≠tiu o uso de hos¬≠pi¬≠tais par¬≠tic¬≠u¬≠lares e hos¬≠pi¬≠tais de cam¬≠pan¬≠ha tem¬≠por√°rios para amenizar a sobre¬≠car¬≠ga do inver¬≠no.

Fonte: Agên­cia Brasil

PUBLICIDADE