PUBLICIDADE

economia

Com compras chinesas de soja e carne, agroneg√≥cio do Brasil tem exporta√ß√£o recorde para abril 

As exporta√ß√Ķes do agroneg√≥cio brasileiro atingiram valor recorde para os meses de abril, superando pela primeira vez a barreira de 10 bilh√Ķes de d√≥lares no per√≠odo, marcado por m√°ximas hist√≥ricas de embarques de soja e firmes vendas de carnes, apontou o Minist√©rio da Agricultura.

Os embar­ques de soja e carne bov­ina do Brasil no quadrimestre tam­bém foram recordes para o perío­do, com a Chi­na deman­dan­do mais pro­du­tos em meio a uma ante­ci­pação de com­pras, desta­cou o min­istério em nota.

O recorde ante¬≠ri¬≠or das ven¬≠das exter¬≠nas para os meses de abril ocor¬≠reu em 2013, quan¬≠do as expor¬≠ta√ß√Ķes foram de 9,65 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares.

O fat¬≠u¬≠ra¬≠men¬≠to com as expor¬≠ta√ß√Ķes do agroneg√≥¬≠cio no m√™s pas¬≠sa¬≠do, de 10,2 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares, foi 25% supe¬≠ri¬≠or ao do mes¬≠mo per√≠o¬≠do de 2019, segun¬≠do a pas¬≠ta.

O gov­er­no pon­tu­ou que a máx­i­ma históri­ca para abril foi obti­da, prin­ci­pal­mente, dev­i­do ao recorde para todos os meses na expor­tação de soja do país, o maior fornece­dor glob­al da oleagi­nosa, que tem nesse grão seu prin­ci­pal pro­du­to da pau­ta expor­ta­do­ra.

As expor¬≠ta√ß√Ķes de soja subi¬≠ram 73,4%, para 16,3 mil¬≠h√Ķes de toneladas, ou quase 7 mil¬≠h√Ķes de toneladas em rela√ß√£o ao do ano ante¬≠ri¬≠or, con¬≠forme infor¬≠mou no in√≠¬≠cio do m√™s a Sec¬≠re¬≠taria de Com√©r¬≠cio Exte¬≠ri¬≠or (Secex).

A Chi¬≠na foi o prin¬≠ci¬≠pal mer¬≠ca¬≠do impor¬≠ta¬≠dor do pro¬≠du¬≠to brasileiro, com a com¬≠pra de 11,79 mil¬≠h√Ķes de toneladas em abril, ou 72,3% da quan¬≠ti¬≠dade total expor¬≠ta¬≠da.

Para maio, con¬≠forme a pro¬≠gra¬≠ma√ß√£o de navios, os embar¬≠ques devem seguir fortes, soman¬≠do 14 mil¬≠h√Ķes de toneladas, segun¬≠do expec¬≠ta¬≠ti¬≠va da Asso¬≠ci¬≠a√ß√£o Nacional dos Expor¬≠ta¬≠dores de Cereais (Anec) divul¬≠ga¬≠da no in√≠¬≠cio da sem¬≠ana.

A recei¬≠ta das ven¬≠das da soja em gr√£o, em abril deste ano, saltou de 3,30 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares no mes¬≠mo m√™s do ano pas¬≠sa¬≠do para 5,46 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares.

No con¬≠tex¬≠to de crise inter¬≠na¬≠cional da Covid-19, men¬≠cio¬≠nou o min¬≠ist√©rio, ‚Äúhou¬≠ve forte cresci¬≠men¬≠to da deman¬≠da por soja brasileira, com ante¬≠ci¬≠pa√ß√£o das expor¬≠ta√ß√Ķes do pro¬≠du¬≠to‚ÄĚ.

Essa ele­vação ali­a­da à redução da deman­da pelos demais pro­du­tos da bal­ança com­er­cial (-27,1%) aju­dou a aumen­tar a par­tic­i­pação dos pro­du­tos do agronegó­cio no total expor­ta­do pelo Brasil.

A par¬≠tic¬≠i¬≠pa√ß√£o do agroneg√≥¬≠cio nas expor¬≠ta√ß√Ķes brasileiras no m√™s atingiu o pata¬≠mar recorde de 55,8%. Em abril de 2019, a par¬≠tic¬≠i¬≠pa√ß√£o do foi de 42,2%.

QUADRIMESTRE

No primeiro quadrimestre deste ano, as expor¬≠ta√ß√Ķes brasileiras do agroneg√≥¬≠cio somaram 31,40 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares, alta de 5,9% em rela√ß√£o ao mes¬≠mo per√≠o¬≠do no ano ante¬≠ri¬≠or.

O cresci¬≠men¬≠to das expor¬≠ta√ß√Ķes do setor resul¬≠tou no maior vol¬≠ume embar¬≠ca¬≠do, com aumen¬≠to de 11,1%, enquan¬≠to o √≠ndice de pre√ßo sofreu redu√ß√£o de 4,7%.

De acor¬≠do com a nota da Sec¬≠re¬≠taria de Com√©r¬≠cio e Rela√ß√Ķes Inter¬≠na¬≠cionais (SCRI) do min¬≠ist√©rio, as ven¬≠das exter¬≠nas rep¬≠re¬≠sen¬≠taram o mel¬≠hor resul¬≠ta¬≠do do acu¬≠mu¬≠la¬≠do entre janeiro e abril na s√©rie hist√≥ri¬≠ca e foram respon¬≠s√°veis por quase metade das expor¬≠ta√ß√Ķes totais brasileiras (46,6%).

As expor¬≠ta√ß√Ķes de soja em gr√£os alcan√ßaram recorde para a s√©rie hist√≥ri¬≠ca no quadrimestre tan¬≠to em val¬≠or (11,50 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares), quan¬≠to em quan¬≠ti¬≠dade (33,66 mil¬≠h√Ķes de toneladas), ape¬≠sar da que¬≠da de 4,2% no pre√ßo m√©dio do pro¬≠du¬≠to.

A Chi¬≠na foi respon¬≠s√°v¬≠el por 73,4% das aquisi√ß√Ķes do gr√£o brasileiro no primeiro quadrimestre de 2020, com aumen¬≠to de 26,6% em rela√ß√£o ao mes¬≠mo per√≠o¬≠do do ano ante¬≠ri¬≠or, disse o min¬≠ist√©rio em nota.

A carne bov­ina foi o prin­ci­pal pro­du­to entre as pro­teí­nas ani­mais no quadrimestre, sendo respon­sáv­el por 45,3% do val­or expor­ta­do.

As ven¬≠das de carne bov¬≠ina in natu¬≠ra reg¬≠is¬≠traram recorde hist√≥ri¬≠co para o quadrimestre em val¬≠or (2,13 bil¬≠h√Ķes de d√≥lares) e quan¬≠ti¬≠dade (469,76 mil toneladas).

A Chi¬≠na respon¬≠deu por quase metade das aquisi√ß√Ķes do pro¬≠du¬≠to brasileiro no per√≠o¬≠do (49,6%), sendo o mer¬≠ca¬≠do que mais con¬≠tribuiu para o cresci¬≠men¬≠to de 26,5% em rela√ß√£o a 2019.

(Por Rober¬≠to Samo¬≠ra) / S√ÉO PAULO (Reuters)

PUBLICIDADE