4.0 // manual4.2 // saúde

Cardiologista explica como prevenir o colesterol

O Dia Nacional de Controle do Colesterol é lembrado em 8 de agosto e tem como objetivo promover a conscientização sobre a importância da prevenção e do tratamento do colesterol alto. O colesterol é um tipo de gordura presente em alimentos de origem animal e também é gerado pelo corpo humano. Além disso, desempenha funções essenciais no organismo, como produzir hormônio e vitamina D.

Existem dois tipos de colesterol:

– LDL, considerado o “colesterol ruim”, que facilita a entrada de gordura nas células, fazendo com que o excesso seja acumulado nas artérias sob a forma de placas de gordura, causando o “entupimento”.

– HDL, considerado o “colesterol bom”, que retira a gordura das células e facilita a sua eliminação do organismo.

Em excesso, o colesterol LDL é prejudicial por aumentar o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), os níveis ideais de colesterol no sangue são de 70mg/dL, não ultrapassando 100mg/dL. De 160 a 189mg/dL, já é considerado alto, e acima de 190mg/dL, muito alto.

Segundo o cardiologista e diretor clínico do Hospital Santa Paula, Otavio Gebara, os problemas cardiovasculares causados pelo colesterol começam a ser construídos na primeira infância, até os 5 anos de idade. “O processo de depósito de gorduras nas artérias começa bem cedo. Existe uma interação entre os fatores genéticos e ambientais, mas também depende do estilo de vida, se a criança se alimenta de forma adequada ou não”, explica.

Gebara esclarece que muitos fatores podem contribuir para o aumento do colesterol, como tendências genéticas ou hereditárias, obesidade e falta de atividade física. No entanto, um dos fatores mais influentes é a dieta. Cerca de 70% do excesso de colesterol LDL é produzido pelo fígado e o restante, 30%, vem da ingestão de alimentos ricos em gordura.

Como o excesso de colesterol LDL não apresenta sintomas, é indicado fazer exames com frequência, principalmente se a pessoa ingere muita gordura saturada, está acima do peso, é sedentária ou se tem histórico familiar de morte por infarto.

“Existem remédios para controlar o colesterol alto, mas só são indicados para pessoas com alto risco, quando as mudanças no estilo de vida não conseguiram controlar o problema”, explica o médico. Reduzir o estresse, praticar exercícios físicos, manter a pressão arterial estável, o peso adequado e fazer uma dieta balanceada são fundamentais para controlar o colesterol.

Ainda segundo o especialista, existem várias maneiras de manter o colesterol equilibrado:

– Praticar exercícios físicos;
– Não fumar;
– Evitar o estresse;
– Comer mais frutas e vegetais;
– Dar preferência a carnes brancas, grelhadas ou assadas;
– Comer uma variedade de alimentos ricos em fibras, como aveia, pães integrais e maçãs;
– Limitar a ingestão de gorduras saturadas, como gordura de derivados de leite;
– Limitar os alimentos ricos em colesterol, como gema de ovo e fígado;
– Utilizar derivados de leite pobres em gordura: leite desnatado, iogurte desnatado e sorvetes light;
– Evitar frituras;
– Fazer uma dieta com baixos níveis de gordura e colesterol.

 

Foto: Pixabay

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista