PUBLICIDADE

política

Saída de Teich repercute no cenário político

O min¬≠istro da Casa Civ¬≠il, Wal¬≠ter Bra¬≠ga Net¬≠to, afir¬≠mou que o min¬≠istro da Sa√ļde, Nel¬≠son Teich, pediu demis¬≠s√£o da pas¬≠ta por uma decis√£o de ‚Äúforo √≠nti¬≠mo‚ÄĚ. ‚ÄúO min¬≠istro Teich saiu por quest√Ķes de foro √≠nti¬≠mo. S√£o posi√ß√Ķes difer¬≠entes. O pres¬≠i¬≠dente n√£o igno¬≠ra a ci√™n¬≠cia, ele segue os pro¬≠to¬≠co¬≠los. Ele tem uma vis√£o difer¬≠ente [sobre] qual √© o pro¬≠to¬≠co¬≠lo a ser segui¬≠do e a quest√£o do min¬≠istro Teich √© uma quest√£o real¬≠mente de foro √≠nti¬≠mo‚ÄĚ, apon¬≠tou.

O min¬≠istro da Sec¬≠re¬≠taria do Gov¬≠er¬≠no, Luiz Eduar¬≠do Ramos, endos¬≠sou o moti¬≠vo da exon¬≠er¬≠a√ß√£o a pedi¬≠do.  ‚ÄúO gen¬≠er¬≠al Pazuel¬≠lo vai ficar interi¬≠no e est√° tocan¬≠do o min¬≠ist√©rio. Como disse o min¬≠istro Bra¬≠ga Net¬≠to, con¬≠ver¬≠sei com o min¬≠istro Nel¬≠son Teich e ele esta¬≠va sereno, decis√£o de foro √≠nti¬≠mo. Ali√°s, ele na cole¬≠ti¬≠va falou ‚Äėa vida √© fei¬≠ta de escol¬≠has‚Äô e ele escol¬≠heu sair, sim¬≠ples assim‚ÄĚ, disse Ramos.

Tam­bém pre­sente na cole­ti­va, o min­istro da Econo­mia, Paulo Guedes, disse que é nor­mal o pedi­do de demis­são quan­do ocor­rem divergên­cias entre o pres­i­dente e o min­istro.

‚ÄúSe tem um pres¬≠i¬≠dente que tem uma ori¬≠en¬≠ta√ß√£o e o min¬≠istro tem out¬≠ra, quem tem voto √© o pres¬≠i¬≠dente. Ent√£o, quem sai √© o min¬≠istro. Isso √© abso¬≠lu¬≠ta¬≠mente nat¬≠ur¬≠al, n√£o h√° nada de anor¬≠mal. O anor¬≠mal seria sair o pres¬≠i¬≠dente porque o min¬≠istro quer faz¬≠er o que o pres¬≠i¬≠dente n√£o quer‚ÄĚ. Segun¬≠do Guedes, a rota¬≠tivi¬≠dade no gov¬≠er¬≠no Bol¬≠sonaro √© muito menor do que a de ‚Äėgov¬≠er¬≠nos ante¬≠ri¬≠ores‚Äô.

Cen­trão

Um dos l√≠deres do Cen¬≠tr√£o, o dep¬≠uta¬≠do Paulo Pereira da Sil¬≠va (SP) divul¬≠gou uma nota crit¬≠i¬≠can¬≠do os ‚Äúimpul¬≠sos‚ÄĚ do pres¬≠i¬≠dente Jair Bol¬≠sonaro na con¬≠du√ß√£o da crise do novo coro¬≠n¬≠av√≠rus, que levaram ao pedi¬≠do de demis¬≠s√£o do min¬≠istro da Sa√ļde, Nel¬≠son Teich. No Con¬≠gres¬≠so, rep¬≠re¬≠sen¬≠tantes do grupo j√° afir¬≠mam, nos basti¬≠dores, que ser√° muito dif√≠¬≠cil apoiar Bol¬≠sonaro em meio √† que¬≠da de pop¬≠u¬≠lar¬≠i¬≠dade. Em out¬≠ra frente, no entan¬≠to, par¬≠tidos como o PL tam¬≠b√©m inten¬≠si¬≠ficaram as nego¬≠ci¬≠a√ß√Ķes para ocu¬≠par pas¬≠tas no Min¬≠ist√©rio da Sa√ļde.

‚ÄúSaiu quem n√£o tin¬≠ha entra¬≠do. Nes¬≠ta sex¬≠ta, 15, o min¬≠istro da Sa√ļde, Nel¬≠son Teich, pediu exon¬≠er¬≠a√ß√£o do car¬≠go, mas, n√£o sei se algu√©m perce¬≠beu, j√° n√£o fazia difer¬≠en√ßa‚ÄĚ, disse Paulin¬≠ho da For√ßa, como √© con¬≠heci¬≠do o dep¬≠uta¬≠do, que pre¬≠side o Sol¬≠i¬≠dariedade. Ap√≥s afir¬≠mar que Teich era con¬≠stan¬≠te¬≠mente desautor¬≠iza¬≠do por Bol¬≠sonaro, Paulin¬≠ho par¬≠tiu para o ataque ao chefe do Exec¬≠u¬≠ti¬≠vo. ‚ÄúDuvi¬≠do que algu√©m con¬≠si¬≠ga faz¬≠er o pres¬≠i¬≠dente apren¬≠der com a ci√™n¬≠cia e perce¬≠ber que reduzir o iso¬≠la¬≠men¬≠to social √© colo¬≠car mais brasileiros na fila de espera por uma vaga na UTI. O Brasil pre¬≠cisa de lid¬≠er¬≠an√ßa, mas vai ser dif√≠¬≠cil encon¬≠trar um min¬≠istro que seja capaz de lidar, ao mes¬≠mo tem¬≠po, com a crise san¬≠it√°ria e com os impul¬≠sos de Jair Bol¬≠sonaro.‚ÄĚ

PUBLICIDADE