PUBLICIDADE

7.0 - MANUALtecnologia

Oito dicas para lidar com a dispersão de redes

De acordo com o Relatório de tendências de TI da SolarWinds de 2016, quase todos os profissionais de TI brasileiros pesquisados (98%) disseram que adotar tecnologias de nuvem é importante para o sucesso comercial de longo prazo de suas organizações, embora 64% afirmem que é improvável que toda a infraestrutura de suas organizações seja migrada para a nuvem.

Dessa forma, a TI híbrida (em que alguns aplicativos e infraestruturas permanecem no local, enquanto outros fazem a transição para a nuvem) é a realidade do futuro. Isso levou a um novo fenômeno no gerenciamento da TI: a dispersão de redes.

A dispersão de redes ocorre quando o número de redes de que uma organização depende – não apenas as de sua propriedade, mas também as de propriedade de provedores de nuvem e de software como serviço (SaaS) – aumenta potencialmente de forma não supervisionada, à medida que mais da infraestrutura é movido para a nuvem e unidades de negócios implementam mais aplicativos de SaaS.

O pior efeito possível da dispersão de rede é não ser capaz de visualizar nem controlar os aplicativos baseados em nuvem (bem como as redes que dão suporte a eles) e, ainda assim, ser responsável pelo desempenho geral. Embora os fornecedores de WAN, nuvem e SaaS jamais transfiram a autoridade no sentido de proporcionar a terceiros o controle de suas redes, apresentamos aqui oito dicas para combater os efeitos da dispersão de redes:

  1. Reconheça que a nuvem e a TI híbrida são a nova realidade e que a dispersão de redes já pode representar um problema na organização. Lembre-se: admitir que um problema existe é sempre o primeiro passo para corrigi-lo.
  2. Pesquise quais fornecedores de nuvem e aplicativos de SaaS estão sendo utilizados pela organização e como. Isso é algo difícil de pôr em prática e pode envolver o contato com diversos departamentos e grupos de interesse.
  3. Determine quais requisitos de desempenho são exigidos desses fornecedores de nuvem e de SaaS e se eles estão cumprindo esses requisitos. Aviso: isso pode exigir a análise de SLAs.
  4. Reconheça abertamente que os profissionais de TI internos são responsáveis por garantir o bom desempenho não apenas das redes que possuem, mas também das que são essenciais para os fornecedores de nuvem e de SaaS da organização.
  5. Faça um levantamento do nível de confiança nos fornecedores de nuvem e SaaS e do modelo de confiança que está sendo empregado com eles na resolução de problemas: nenhuma confiança, confiança cautelosa ou confiança cega.
  6. Embora não seja possível contar com a autoridade prática sobre as redes dos fornecedores de nuvem e de SaaS, é possível obter a melhor alternativa, ou seja, visibilidade. Obtenha visibilidade de suas redes a partir de fora pelo uso de uma ferramenta de monitoramento do caminho de rede que mostra visualmente uma análise de cada salto dos caminhos críticos e dispositivos ao longo de todo o caminho de entrega da rede – local, na nuvem e em ambientes de TI híbrida.
  7. Independentemente do nível de confiança nos fornecedores de nuvem e de SaaS, use essa visibilidade para explorar as camadas de suas redes e ver dispositivos, latências e mudanças de rota a fim de identificar problemas com precisão. Isso proporciona uma nova abordagem à verdade no relacionamento com eles. As conversas com centrais de ajuda podem passar de, “Talvez haja um problema do seu lado”, seguido da resposta, “Não, tudo parece estar em ordem por aqui”, para “Vejo que o dispositivo XYZ da sua rede está causando o congestionamento. Pode dar uma olhada? Talvez seja preciso reiniciá-lo.”
  8. Antes de migrar mais infraestruturas para a nuvem ou confiar em outros aplicativos de SaaS, avalie atentamente a necessidade, as vantagens e o ROI realista em comparação com os riscos de introduzir mais redes e infraestruturas que estejam fora do controle do departamento de TI, mas que são essenciais para necessidades de missão crítica. Em seguida, estabeleça um plano de migração completo, incluindo um cronograma detalhado e o desempenho esperado com base nos SLAs.

A TI híbrida tornou-se a nova realidade. A dispersão de redes representa o novo desafio. Seguindo essas oito dicas, será possível recuperar a autoridade perdida para os provedores de nuvem por meio da visibilidade de suas redes, o que dará a você o controle sobre todo o ambiente e todas as redes essenciais para a sua organização.

Foto: Reprodução

PUBLICIDADE