PUBLICIDADE

Gest√£o

Google deve enfrentar processo sobre assistente de voz, diz juíza dos EUA

Uma juíza federal dos Estados Unidos disse que o Google deve enfrentar grande parte de um processo que acusa a empresa de gravar e disseminar ilegalmente conversas privadas de pessoas que acidentalmente acionaram seu assistente de voz em seus smartphones.

strongO Google Assistant foi projetado para reagir quando os donos de dispositivos m√≥veis usam palavras chave, como ‚ÄúHey Google‚ÄĚ ou ‚ÄúOk Google‚ÄĚ/strong¬© Nur Photo/Getty Images¬†strongO Google Assistant foi projetado para reagir quando os donos de dispositivos m√≥veis usam palavras chave, como ‚ÄúHey Google‚ÄĚ ou ‚ÄúOk Google‚ÄĚ/strong

A ju√≠za distrital Beth Labson Freeman¬†permitiu que os reclamantes na a√ß√£o coletiva proposta prosseguissem com as alega√ß√Ķes de que o Google e sua controladora Alphabet violaram as leis de privacidade da Calif√≥rnia, algumas alega√ß√Ķes de que violaram as leis federais de privacidade e viola√ß√Ķes de quebra de contrato.

A ju√≠za rejeitou as reivindica√ß√Ķes de prote√ß√£o ao consumidor da Calif√≥rnia dos reclamantes, mas disse que elas poderiam ser reapresentadas.

O Google Assistant foi projetado para reagir¬†quando os donos de dispositivos m√≥veis usam palavras chave, como ‚ÄúHey Google‚ÄĚ ou ‚ÄúOk Google‚ÄĚ, semelhante ao Siri, da Apple.

Mas os reclamantes disseram que o Google n√£o tinha o direito de usar suas conversas para publicidade direcionada quando o Google Assistant interpretou erroneamente o que eles disseram como palavras chave, conhecidas como ‚Äúfalsas aceita√ß√Ķes‚ÄĚ.

Em uma decisão de 37 páginas, Freeman disse que os reclamantes mostraram que usavam dispositivos habilitados para o Google Assistant com frequência suficiente para ter uma expectativa razoável de privacidade ao falar.

Ela acrescentou que, embora o Google tenha divulgado em sua pol√≠tica de privacidade a forma como coleta informa√ß√Ķes para publicidade direcionada, ‚Äúele n√£o informa suficientemente os usu√°rios de que usar√° grava√ß√Ķes feitas na aus√™ncia de ativa√ß√£o manual ou express√£o de palavras‚ÄĚ.

Ao buscar o indeferimento, o Google disse que os reclamantes n√£o conseguiram demonstrar que foram prejudicados ou que a empresa violou quaisquer garantias contratuais. ‚ÄúO Google nunca promete que o assistente ser√° ativado apenas quando os reclamantes o fizerem‚ÄĚ, disse o documento.

O processo coletivo proposta busca danos n√£o especificados e inclui os compradores norte-americanos de dispositivos habilitados para o Google Assistant desde 18 de maio de 2016.

Hoje (2), Google e seus advogados n√£o responderam imediatamente aos pedidos de coment√°rios. Os advogados dos reclamantes n√£o responderam imediatamente a pedidos semelhantes.

*Com informa√ß√Ķes da Forbes

PUBLICIDADE