PUBLICIDADE

brasilcarros & motos

Ford será a primeira a usar grafeno em seus veículos

A Ford ser√° a primeira na ind√ļstria automotiva a usar o grafeno em seus ve√≠culos. Esse novo material leve e incrivelmente resistente, 200 vezes mais forte que o a√ßo, come√ßar√° a ser aplicado no final do ano em pe√ßas do Mustang e da F-150, podendo equipar tamb√©m outros carros da marca.

Chamado de ‚Äúmaterial milagroso‚ÄĚ por alguns engenheiros, o grafeno j√° √© usado em telefones celulares e alguns artigos esportivos. Al√©m de extremamente fino e flex√≠vel, √© um dos melhores condutores do mundo e tamb√©m um √≥timo isolante de som.

Embora n√£o seja economicamente vi√°vel para todas as aplica√ß√Ķes, a Ford desenvolveu junto com a Eagle Industries e a XG Sciences uma maneira de usar esse nanomaterial bidimensional em pequenas quantidades. Ele ser√° aplicado na cobertura de linhas de combust√≠vel, bombas e motores, como um isolante ac√ļstico superpotente para tornar a cabine mais silenciosa.

‚ÄúA inova√ß√£o aqui n√£o est√° no material, mas na forma como ele √© usado‚ÄĚ, diz Debbie Mielewski, l√≠der t√©cnica de sustentabilidade e novos materiais da Ford. ‚ÄúCom uma quantidade muito pequena, de menos de 0,5%, conseguimos obter melhorias significativas em durabilidade, isola√ß√£o ac√ļstica e redu√ß√£o de peso ‚Äď aplica√ß√Ķes que n√£o t√™m sido focadas por outros estudos.‚Ä̬†

Prêmio Nobel

O grafeno foi isolado pela primeira vez em 2004, mas os avanços na sua aplicação são relativamente novos. O primeiro experimento para isolar o grafeno foi feito usando grafite de lápis e um pedaço de fita adesiva. Com a fita, foram retiradas camadas de grafite para criar o material. Esse experimento rendeu o prêmio Nobel em 2010 aos seus criadores, Andre Geim e Konstantin Novoselov.

Em 2014, a Ford começou a estudar com fornecedores o uso do material em peças automotivas. Geralmente, reduzir o ruído na cabine dos veículos significa adicionar mais material e peso, mas com o grafeno é o oposto.

‚ÄúUma pequena quantidade de grafeno tem um efeito significativo na qualidade de absor√ß√£o sonora‚ÄĚ, diz John Bull, presidente da Eagle Industries.

Em testes feitos pela Ford e fornecedores, a espuma misturada com grafeno trouxe uma redu√ß√£o de 17% no ru√≠do, uma melhoria de 20% nas propriedades mec√Ęnicas e de 30% na resist√™ncia ao calor comparado ao material sem grafeno.

‚ÄúEstamos entusiasmados com os ganhos de desempenho que nossos produtos podem oferecer √† Ford e √† Eagle Industries, mostrando o potencial do grafeno em m√ļltiplas aplica√ß√Ķes‚ÄĚ, diz Philip Rose, CEO da XG Sciences.

 Foto: Divulgação

PUBLICIDADE