PUBLICIDADE

corpo & fitness

Cirurgia bariátrica: mudanças do físico ao emocional

A cirurgia bari√°trica come√ßa muito antes da opera√ß√£o, tanto para o paciente quanto para os profissionais envolvidos. Isso porque s√£o muitos os fatores que, relacionados, levam √† decis√£o de realizar o procedimento, incluindo sa√ļde emocional e f√≠sica.

A psic√≥loga do Grupo S√£o Crist√≥v√£o, Aline Melo, explica que o objetivo da avalia√ß√£o psicol√≥gica √© identificar altera√ß√Ķes emocionais que possam prejudicar a ades√£o e acompanhamento p√≥s cir√ļrgico, al√©m de¬†identificar a disponibilidade do paciente para as mudan√ßas provenientes desse tipo de procedimento.

Acompanhamento psicológico e nutricional

Antes da cirurgia

Segundo ela, a cirurgia bari√°trica traz uma mudan√ßa que ir√° repercutir de maneira ampla na vida do paciente, e isso envolve diferen√ßas f√≠sicas e psicol√≥gicas. Nesse aspecto, o acompanhamento psicol√≥gico √© um grande aliado no pr√© e no p√≥s-cir√ļrgico. ‚ÄúO acompanhamento psicol√≥gico ir√° ajudar¬†o paciente a se adaptar √†s mudan√ßas f√≠sicas e de comportamento, al√©m de proporcionar melhor¬†reconhecimento de seus aspectos emocionais‚ÄĚ, explica.

Para a nutricionista Cintya Bassi, do Grupo S√£o Crist√≥v√£o, tamb√©m √© fundamental que o paciente tenha acompanhamento nutricional no per√≠odo pr√©-cir√ļrgico. O objetivo √© corrigir defici√™ncias de vitaminas e minerais decorrentes de uma alimenta√ß√£o desbalanceada que levaram √† obesidade. ‚ÄúNesta etapa, orientamos as mudan√ßas nos h√°bitos alimentares, que devem ser iniciadas com anteced√™ncia, como a mastiga√ß√£o correta e a escolha dos alimentos‚ÄĚ, comenta.

Depois da cirurgia

√Č a√≠ que se inicia o processo de reeduca√ß√£o alimentar, que vai ajudar o paciente a manter os resultados e a qualidade de vida ap√≥s a cirurgia. A psic√≥loga conta que a reeduca√ß√£o come√ßa com informa√ß√£o: o paciente aprender√° a associar a nova maneira de se alimentar a escolhas e n√£o a restri√ß√Ķes.

Aline frisa que trabalhar essas mudan√ßas em si e observar os pensamentos diante da perda de peso e sua rela√ß√£o com a comida pode levar¬†a pessoa a criar um padr√£o diferente para lidar com a alimenta√ß√£o. ‚ÄúQuando o c√©rebro compreende e se adapta a uma reeduca√ß√£o alimentar, o paciente n√£o se sente inibido a comer e sim melhorando as suas escolhas,¬†al√©m de dificultar o boicote de sua alimenta√ß√£o pois n√£o h√° uma dieta e sim a busca pelo¬†equil√≠brio”, diz.

No acompanhamento nutricional, que se faz essencial sobretudo na primeira fase do p√≥s-operat√≥rio, o paciente segue um esquema alimentar que mant√©m a reeduca√ß√£o iniciada no pr√©-cir√ļrgico, montada de acordo com a t√©cnica cir√ļrgica utilizada e suas individualidades. Cintya explica que esse programa alimentar prioriza o aporte de vitaminas e minerais para minimizar poss√≠veis defici√™ncias comuns nesta etapa.

Cuidados especiais 

Todos esses cuidados t√™m o objetivo de promover a sa√ļde f√≠sica e psicol√≥gica que ir√£o garantir o sucesso da cirurgia. Por isso, √© t√£o importante atuar diretamente na causa da obesidade, a qual levou o paciente a buscar a bari√°trica. Um dos casos frequentes que levam ao sobrepeso e que precisa ser identificado para um acompanhamento adequado √© a compuls√£o alimentar.

A psicóloga explica que a compulsão alimentar é um transtorno emocional que precisa de um acompanhamento mais aprofundado, visando a fornecer ao paciente recursos na percepção de tais comportamentos e em sua forma de agir. Cintya lembra que é essencial que a compulsão seja acompanhada desde antes da cirurgia, mas deve-se redobrar a atenção depois do procedimento, para que o paciente não volte a repetir os comportamentos que o colocaram em risco.

Além disso, os cuidados com a qualidade da alimentação devem ser intensificados após a cirurgia. Cintya conta que, durante todas as etapas da progressão da dieta, que evolui de líquida para pastosa e, finalmente, livre, a atenção com o valor nutricional é prioridade.

Segundo ela, a suplementa√ß√£o √© importante nessa fase, pois o organismo n√£o consegue absorver tudo o que recebe dos alimentos. ‚ÄúOs nutrientes que t√™m sua absor√ß√£o mais prejudicada ap√≥s a bari√°trica s√£o: ferro, c√°lcio, tiamina, √°cido f√≥lico, vitamina A, B12, D e E‚ÄĚ, refor√ßa.

De tal forma, antes da decisão juntamente com o médico para realização da bariátrica, é necessário analisar todos os cuidados que serão imprescindíveis para o sucesso do procedimento. A bariátrica implica em mudanças que vão muito além da estética e, por isso, é tão importante que sejam conduzidas por uma equipe multidisciplinar e competente.

Foto: Divulgação

PUBLICIDADE