PUBLICIDADE

esporte

Chapecoense é punida pela Conmebol e está eliminada da Libertadores

Na noite de ontem (23) a Chapecoense encerrou sua participação na fase de grupos da Libertadores com uma vitória em casa contra o venezuelano Zulia por 2 a 1 com gols de Arthur Caike e Andrei Girotto já nos acréscimos do segundo tempo.

Mesmo assim, o time terá que recorrer a justiça para tentar avançar na competição. Isso porque a Chapecoense foi punida pela escalação irregular de Luiz Otávio no jogo contra o Lanús, válido pela 5ª rodada da fase de grupos, que ocorreu no dia 17 de maio na Argentina, e teve sua vitória por 2 a 1 revertida em um W.O.Luiz Otávio teria sido suspenso por três partidas, além de multa, antes do compromisso na Argentina pela Conmebol. A Chapecoense alega, no entanto, que não foi informada formalmente da punição. “Estamos convictos da nossa decisão. O jogador que entrou em campo estava dentro do regulamento e não temos nada a declarar, além disso. Estamos tranquilos com essa decisão, que foi minha como presidente do clube”, afirmou o presidente da Chapecoense, Plínio David de Nês Filho.

Com a punição confirmada, o time tem até sete dias para recorrer ao Comitê de Apelações da Conmebol e já afirmou que irá. Por enquanto, a Chapecoense fica na terceira posição do Grupo 7 da Libertadores e garante a vaga na Copa Sul-Americana. Caso o clube consiga reverter a decisão da Conmebol no recurso, vai a 10 pontos e fica em segundo na chave, garantindo lugar nas oitavas de final da principal competição do continente.

 

Entenda o casoO zagueiro, autor justamente do gol do triunfo contra o Lanús, foi expulso contra o Nacional, do Uruguai, e sofreu uma punição de três partidas. Diante do time argentino, pouco antes de entrar em campo, o presidente do clube, Plínio David de Nês Filho, foi informado da punição, mas bancou a escalação do zagueiro alegando que não havia recebido uma comunicação oficial da Conmebol.

Por sua vez, a Conmebol garante que direcionou o comunicado da punição à CBF e à Federação Catarinense de Futebol. As duas entidades afirmam ter repassado à Chape o e-mail. Entretanto, o clube garante que não recebeu o comunicado nos e-mails habituais para este tipo de situação, chegando a dizer que poderia ter “caído no spam”. Ciente da atitude da Conmebol, a Chapecoense afirmou que vai recorrer da decisão.

 

Palavra do presidente“Vamos à cronologia dos fatos. Recebemos um e-mail da Conmebol sem assinatura em Medellín [em 10 de maio, dia da final da Recopa contra o Atlético Nacional]. O Rui Costa [diretor de futebol] solicitou ao departamento jurídico a avaliação do documento e constatou-se uma irregularidade, que era o destinatário incorreto do e-mail. Queríamos entender o e-mail, e às 17h a Conmebol nos informou que Rossi e Luiz Otávio não poderiam jogar na Recopa.

“Após a derrota, me foi dito que os meninos cumpriram a pena e poderiam jogar tranquilos na sequência da Libertadores. Fizemos nossas partidas, fomos à Argentina [para enfrentar o Lanús no dia 17] e o delegado da Conmebol relacionou o Luiz Otávio na súmula sem nenhuma objeção.

“Recebi a informação [de que Luiz Otávio estava suspenso por três jogos] no meu telefone, dois minutos antes [de o jogo começar], e tenho como provar. Assumi a responsabilidade pela escalação do Luiz Otávio. Estava consciente de que havíamos agido certo. Telefonei à Conmebol e pedi a razão de tudo isso. Na súmula da arbitragem, constatou-se que um diretor do Lanús entrou no vestiário dos árbitros para falar sobre o caso. Qual a razão disso?

“Começamos a vasculhar nossos e-mails, e um conjunto de erros foi constatado. Da Conmebol até nossa secretaria, não recebemos os e-mails nas nossas bases usuais. Quando houve a suspensão, sequer copiaram o nosso advogado. Tomei uma decisão em prol do bom futebol e da limpeza do futebol. Iremos até a última instância em busca dos nossos direitos. Temos 10 pontos conquistados no campo, e eu assumo a responsabilidade por isso.

“Esse erro aconteceu também dentro da Chapecoense. Assumo que recebemos [o e-mail], e não preciso dizer a quem foi. Mas não fomos comunicados da punição como devíamos, e também não fomos avisados do julgamento. Nós teremos que ter o mérito de mostrar o que o ocorreu, e o julgamento será da Conmebol.”

 

Fotos: Reprodução

Fontes: UOL, G1, Terra

PUBLICIDADE