PUBLICIDADE

7.0 - MANUALtecnologia

Brasileiros consideram WhatsApp o app de mensagens mais confi√°vel e querem criptografia

Hoje, mais de 100 milh√Ķes de brasileiros confiam no WhatsApp para trocar mensagens, fazer liga√ß√Ķes, e enviar fotos e v√≠deos de maneira f√°cil e segura com amigos, fam√≠lia e outras pessoas. Uma pesquisa nacional conduzida pelo Datafolha sobre os h√°bitos dos brasileiros com aplicativos apresentou a raz√£o para essa enorme popularidade: as pessoas confiam no aplicativo.

A privacidade das mensagens, que no WhatsApp √© garantida pela criptografia de ponta a ponta, √© importante para 94% dos usu√°rios do app, segundo o Datafolha. E quase seis entre cada dez usu√°rios entrevistados (57%) disseram que acreditam que o WhatsApp tem o mais alto n√≠vel de seguran√ßa para troca de informa√ß√Ķes sens√≠veis como dados pessoais e financeiros. Sete entre cada 10 usu√°rios do WhatsApp no Brasil (71%) usam o app para enviar mensagens pessoais ou confidenciais, incluindo informa√ß√Ķes particulares ou familiares, conversas de neg√≥cios, assuntos √≠ntimos, informa√ß√Ķes sobre sa√ļde, documentos ou dados financeiros.

O WhatsApp implementou seu protocolo de criptografia de ponta a ponta que codifica as mensagens do telefone do usu√°rio imediatamente antes de serem enviadas e n√£o s√£o decifradas at√© chegarem ao dispositivo do destinat√°rio. O WhatsApp n√£o pode decifrar essas mensagens em tr√Ęnsito. O WhatsApp n√£o armazena o hist√≥rico de chat dos usu√°rios em seus servidores, e uma vez que a mensagem √© entregue para seu destinat√°rio, ela fica armazenada somente no telefone dessa pessoa. Isso permite que o WhatsApp entregue uma experi√™ncia segura, r√°pida e confi√°vel.

Al√©m do intenso uso do WhatsApp para se comunicar com a fam√≠lia e amigos, a pesquisa do Datafolha mostrou que 42% dos usu√°rios trocam mensagens com com√©rcios, prestadores de servi√ßo, de sa√ļde ou gerentes de banco, entre outros. Entre os que usam WhatsApp para neg√≥cios, 59% trocam mensagens com colegas de trabalho e 27% com clientes.

Ao mesmo tempo, 74% dos entrevistados se declararam contra os bloqueios da justiça contra o WhatsApp.

O Datafolha entrevistou 2.363 pessoas de 130 cidades em todas as regi√Ķes do Brasil.

Foto: Reprodução

PUBLICIDADE