PUBLICIDADE

3.0 - NEG√ďCIOS

Apesar do desemprego empresas de tecnologia est√£o contratando

Com a taxa de desemprego em mais de 12%, segundo o IBGE, muita gente acredita que em todos os setores da economia existe um grande déficit de vagas. Para um setor específico isso não é exatamente verdade. A área de tecnologia navega na contramão da crise e possui atualmente pelo menos cinco mil postos de trabalho somente em startups, de acordo com a Associação Brasileira de Startups (Abstartups).

De acordo com a entidade, as vagas n√£o est√£o sendo preenchidas porque os cursos est√£o com grades desatualizadas e fora de sintonia com as exig√™ncias do mercado atualmente. Al√©m disso, outra quest√£o levantada √© a falta de atualiza√ß√£o, com cursos, por exemplo, dos profissionais formados h√° algum tempo. Segundo a a Abstartups, o n√ļmero de vagas para o setor de tecnologia pode chegar a 70 mil at√© 2024. A preocupa√ß√£o, por√©m, √© se os cargos ser√£o plenamente preenchidos.

A empresária Sylvia Bellio, CEO e fundadora da it.line, empresa eleita quatro vezes consecutivas a maior revendedora da Dell no Brasil, pontua que além da defasagem no currículo, existe ainda no Brasil uma dificuldade em aliar o conhecimento teórico à prática nos espaços universitários.

Como exemplo, ela cita que nos Estados Unidos os programas de “internship”, como se fossem os est√°gios aqui no pa√≠s, s√£o muito comuns. O pa√≠s da Am√©rica do Norte tem ainda os est√°gios de ver√£o, que s√£o realizados durante as f√©rias e servem para complementar o conhecimento aprendido em sala de aula.

“Voc√™ n√£o consegue s√≥ com a faculdade complementar um conhecimento novo, isso para todas as √°reas. E quando se fala de TI, que √© uma √°rea que se atualiza muito mais rapidamente, requer mais aten√ß√£o. Existem v√°rias vertentes na √°rea que podem ser estudadas e se voc√™ n√£o se atualizar na pr√°tica com as novidades dos fabricantes e desenvolvedores, voc√™ acaba n√£o tendo o conhecimento necess√°rio para trabalhar com aquilo”, comenta.

Import√Ęncia do est√°gio

O Centro de Integra√ß√£o Empresa Escola (CIEE) reitera que o est√°gio √© fundamental para formar um profissional na integra. De acordo com dados da Associa√ß√£o Brasileira de Est√°gios (Abres), em 2017 somente 8,9% dos jovens universit√°rios estavam estagiando. Ou seja, mais dos 8,2 milh√Ķes de estudantes do Ensino Superior somente 740 mil estavam em programas de est√°gio.

 

O programa de estágio teve sequência e neste ano já houve mais quatro contratados depois da primeira fase de seleção. Além da parte de vendas, estão sendo procuradas pessoas para atuarem na área de especialização, como arquitetura de programas, instalação e implementação de softwares.

Sylvia, que é uma das mentoras do programa, explica que toda a formação complementar é realizada junto com os times de especialistas, marketing e vendas da it.line. A ação acabou virando uma parceria entre a it.line e a Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) na busca de novos talentos.

Investimento contínuo em qualificação

No mercado de TI, como em outros, al√©m de preparar os jovens talentos tamb√©m √© preciso se manter atualizado ao longo da vida profissional. De acordo com dados da 54¬ļ Pesquisa Salarial, realizada por uma empresa de classificados de empregos do Brasil, quem se mant√©m atualizado, seja com p√≥s-gradua√ß√Ķes ou cursos livres, chega a ganhar 118% a mais.

No mercado tecnologia isso √© mais v√°lido ainda porque as ferramentas est√£o em constante evolu√ß√£o. Por causa disso, para profissionais de ponta a exig√™ncia √© alta em rela√ß√£o a atualiza√ß√£o te√≥rica e conceitual. “Um bom profissional est√° sempre em desenvolvimento. Ele n√£o pode parar. Como ainda estamos em um per√≠odo p√≥s-crise, para se destacar nesse cen√°rio t√£o complicado √© preciso se especializar e buscar crescer profissionalmente cada vez mais”, finaliza.

Foto: Pixabay