PUBLICIDADE

1.0 - RADAR3.0 - NEG√ďCIOS

An√°lise mostra que √°gua no DF est√° cada vez mais impura

 

Localizada no centro do Brasil, a √°gua que deixa as nascentes brasilienses abastece algumas das principais bacias hidrogr√°ficas do pa√≠s. O recurso, que surge cristalino ao deixar a fonte, perde a pureza ao seguir o curso d‚Äô√°gua e, hoje, devido, principalmente, √† ocupa√ß√£o desordenada, chega aos c√≥rregos com qualidade cada vez pior. No Distrito Federal, estudo da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb) analisou os 23 mananciais superficiais utilizados para abastecimento h√≠drico e identificou que a proximidade com √°reas de parcelamento irregular do solo e com loteamentos urbanos resulta na queda no √ćndice de Qualidade da √Āgua (IQA). O ribeir√£o do Engenho das Lajes, pr√≥ximo ao Gama, faz parte da Bacia do Descoberto, e apresentou o pior n√ļmero. Al√©m do preju√≠zo ao meio ambiente, a polui√ß√£o significa aumento no custo do tratamento.

Nesta semana, com o fim da estiagem, a qualidade desses córregos tende a cair ainda mais. Isso ocorre porque o vento e a chuva carregam as mais diversas impurezas para os rios. Exemplo prático disso ocorreu em dezembro de 2009, quando o vazamento de um material tóxico utilizado na pavimentação de asfalto na BR-060 atingiu o ribeirão, interrompendo a captação por mais de três meses e causando falta de água na região.

A Caesb avalia a qualidade dos recursos e, por meio de um c√°lculo relacionado √†s vari√°veis pH, cor, turbidez, ferro total, nitrog√™nio amoniacal, carbono total, cloretos e coliformes totais, classifica o IQA de cada local. O √≠ndice varia entre 0 (totalmente impr√≥pria) a 100 (√≥tima). Engenho das Lajes registrou 61. Nenhuma das 23 capta√ß√Ķes do DF foi avaliada como √≥tima.

Segundo o gerente de Gest√£o Ambiental Corporativa da Caesb, Vladimir Puntel, a ocupa√ß√£o urbana em √°reas de bacias hidrogr√°ficas pode ser determinante para a queda na qualidade de um manancial. ‚ÄúEm Engenho das Lajes, h√° diversas propriedades agr√≠colas que contribuem, em fun√ß√£o dos usos e atividades desenvolvidas, para que o IQA tenha valores t√£o baixos. Estradas vicinais sem o devido controle do escoamento de √°guas pluviais tamb√©m contribuem significativamente para essa situa√ß√£o‚ÄĚ, alerta.

O professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Bras√≠lia (UnB) S√©rgio Koide conta que uma das causas da polui√ß√£o da √°gua √© o sedimento gerado pelas constru√ß√Ķes. ‚ÄúQuando voc√™ tem obras na cidade, voc√™ gera lixo e entulho, levados pelo vento ou pelas chuvas para os c√≥rregos. Ocorrem tamb√©m muitos problemas com infiltra√ß√Ķes de esgoto, o que faz aparecer coliformes fecais‚ÄĚ, explica o especialista em recursos h√≠dricos.

O professor ainda alerta sobre a qualidade final do recurso. ‚ÄúO tratamento feito hoje pela Caesb √© considerado muito bom, um exemplo para outras unidades da Federa√ß√£o. Mas ter √°gua bruta em pior qualidade, al√©m de gerar mais custos, significa que, independentemente dos processos de tratamento, o resultado n√£o ser√° t√£o bom quanto o de um manancial preservado‚ÄĚ, esclarece.

Reservatórios 

O Rio Descoberto tamb√©m apresentou um n√ļmero de alerta: 69,2. Em mar√ßo, o¬†Correio¬†mostrou invas√Ķes de luxo erguidas em cima das nascentes que abastecem o principal reservat√≥rio do DF. Seis meses depois, as edifica√ß√Ķes continuam de p√©. Santa Maria mostrou o cen√°rio ideal. Localizado dentro do Parque Nacional de Bras√≠lia, o reservat√≥rio registrou o melhor √≠ndice: 82,3. A Caesb n√£o tem c√°lculos que mostrem a diferen√ßa financeira entre tratar a √°gua do Santa Maria comparada com a do Descoberto.

S√©rgio Koide lembra que, na constru√ß√£o de Bras√≠lia, os engenheiros fizeram um estudo de capta√ß√£o de √°gua, constru√≠ram o reservat√≥rio de Santa Maria e criaram um parque ao redor para proteger as nascentes. ‚ÄúSanta Maria √© o quadro ideal. Algo imposs√≠vel de acontecer no Descoberto, que, como o pr√≥prio nome diz, n√£o √© coberto. Na cria√ß√£o da capital, ele foi designado para a produ√ß√£o de hortifr√ļtis e para abastecer as ch√°caras agr√≠colas da capital. Por√©m, com o crescimento urbano, come√ßou a ser utilizado para abastecimento do DF, mas a√≠ o parcelamento de terra havia dominado as margens da bacia‚ÄĚ, lamenta.

O levantamento da Caesb n√£o avaliou a qualidade da √°gua das capta√ß√Ķes do Lago Parano√° e do Bananal, previstas para serem inauguradas no pr√≥ximo m√™s. Segundo Ricardo Moreira, gerente do Laborat√≥rio Central da Caesb, os dados estar√£o no estudo do pr√≥ximo ano. ‚ÄúO relat√≥rio permite a compara√ß√£o entre diferentes mananciais, a avalia√ß√£o de poss√≠veis tend√™ncias ao longo do tempo e de poss√≠veis altera√ß√Ķes da qualidade da √°gua decorrentes de contamina√ß√£o ou de melhorias promovidas na bacia de drenagem, por exemplo‚ÄĚ, detalha.

Tendo em vista os preju√≠zos financeiros e ambientais, a Caesb informou que realiza monitoramento permanente nas √Āreas de Prote√ß√£o de Mananciais, al√©m de realizar pelo menos cinco programas de conscientiza√ß√£o e prote√ß√£o de nascentes.

 

Foto: Reprodução

Fonte: CorreioBraziliense

 

PUBLICIDADE