6.3 // henrique narita

Vamos melhorar, vamos exigir!

Olá amigos! Estou muito feliz que essa coluna tem proporcionado uma interação que eu nem imaginava pudesse acontecer. Somos uma legião de mesatenistas querendo algo em comum, a popularização desse esporte e respeito por parte dos dirigentes.

Com esses dois passos fundamentais tudo seria consequência em um ciclo virtuoso. Vamos em frente que esse dia chegará em breve!

Aproveito aqui também para transmitir meus parabéns e meus agradecimentos aos que trabalharam na condução da Copa do Brasil de Maringá – PR, realizados agora no final de junho, muitos em trabalhos voluntários.

Não posso deixar de abordar um assunto que possivelmente intrigue boa parte dos mesatenistas no Brasil. Em um litigio, a Rede Record cobra da CBTM – Confederação Brasileira de tênis de Mesa uma dívida que pode ultrapassar os cinco milhões de reais segundo matéria publicada no UOL. Já houve decisão favorável a Record, com bloqueio dos valores disponíveis da CBTM, pouco mais que um milhão de reais.

Essa dívida, segundo noticiado é de 1999 e está ligada aos bingos, que sorteava dentre outros prêmios, muitos carros, inclusive uma Ferrari, que aliás, pelo que foi divulgado na mesma matéria, também está sendo cobrada judicialmente.

Não sei mais nada desse assunto, ou seja, tudo que sei é o que foi divulgado nos noticiários. Logo, não consigo ainda, fazer uma avaliação do mérito, mas claro, como atleta fico pensativo e torcendo para que, em se confirmando tal situação, seja um mal que venha para um bem maior.

Ouço vez ou outra que situação semelhante vivida em um passado recente pela CBVM – Confederação Brasileira de Vela e Motor, acabou por se tornar positiva ao esporte após tempos difíceis, tendo sido criada em seu lugar a CBVela, que dentre outros elogios, dizem que aproximou mais a entidade dos atletas. Se isso é verdade, não sei, mas quem sabe poderia se tornar uma verdade no tênis de mesa…

Há tempos clamo por participação maior dos atletas nas decisões da entidade, uma proximidade maior entre a CBTM e Federações e seus atletas. Quando digo proximidade, quero mencionar também respeito!

Talvez essa seja uma boa oportunidade de discutirmos o futuro de nosso esporte no Brasil. Há quem diga que nunca estivemos tão bem, em termos internacionais. Concordo, mas peço desculpas se não estou aqui para defender certas “panelinhas” e sim defender a modalidade como um todo.

A confederação, como entidade que se utiliza de recursos públicos tem seus gastos divulgados sim, mas essa divulgação não é tão clara muitas vezes e o senso comum é que há muito dinheiro gasto com fins que não tem tanta relevância com o esporte em si, para ser mais educado, falta eficiência.

Eu quero ajudar! Eu quero melhorar nosso esporte para todos nós e sei que muitos de vocês também querem!

Então, minha coluna hoje pretende humildemente deixar um recado a todos, para que não nos acomodemos e não deixemos que façam de nosso esporte o que bem entenderem como se fossem donos da modalidade.
Se você tem sugestão de melhoria ou reclamação sobre federações e sobre a CBTM, fiquem a vontade para me escreverem para soutenisdemesa@gmail.com ! Não tenho pretensão de resolver, mas tenho pretensão de organizar as insatisfações e tentar fazer com que nos ouçam.

Um abraço e até a próxima.

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista