2.5 // brasil2.6 // mundo

Thirty Seconds to Mars emenda três shows no Brasil

Jared Leto e o Thirty Seconds to Mars levaram fãs brasileiros a uma sensação de “eu já sabia” coletivo no palco do Rock in Rio, em 2017, após performance parecida com a feita no festival em 2013.

A partir desta quinta-feira (27), a banda americana emenda três shows no Brasil, mas garante que os fãs não vão ver uma fórmula copiada: além das novas músicas, Jared promete algo mais. Ou menos.

“Diferentemente do Rock in Rio, vai ser um show mais intimista”, diz o vocalista ao G1. Não deverá ter tirolesa, voo sobre a multidão ou degustação de açaí no palco, mas alguma estripulia típica do cantor de 46 anos pode ser esperada: “Nosso objetivo é fazer uma performance diferente em cada lugar”.

Assim como em outros anos, a banda espera dividir o palco com fãs para algumas canções. Além disso, Leto está animado para chamar um artista brasileiro para o show e diz que estuda quem são os cantores mais relevantes no momento:

“Ano passado, cantei com Projota e esse ano definitivamente vamos levar algum cantor brasileiro para o palco”.

Libera DJ

Em agosto do ano passado, após um hiato de quatro anos, o Thirty Seconds lançou música nova. “Walk on Water”, primeiro single pós jejum, dividiu os fãs. Alguns ficaram eufóricos, outros acharam que ficou a cara de bandas como o Imagine Dragons.

O álbum novo, “America”, saiu em abril deste ano. O rock alternativo característico dos primeiros trabalhos deu lugar a uma sonoridade entre o pop rock e o electropop. A banda convidou até produtores de música eletrônica, como Zedd e Yellow Claw.

“Nossas referências são as vidas que vivemos. Quando vamos para o estúdio, não buscamos por referências, nós só entramos e fazemos música e isso foi o que saiu”.

20 anos de banda

O ano de 2018 é especial para o grupo: a banda completa 20 anos. E Jared afirma que a maior aspiração é não demorar tanto tempo entre as gravações de álbuns, além de lançar singles com mais frequência.

Após a viagem pelos Estados Unidos para gravação do documentário “A Day in the life of America”, aumentar o número de turnês e viagens também está nos planos:

“Ao sair com a câmera, mudamos nossa perspectiva sobre o nosso país e as pessoas que o compõem. Agora queremos passar mais tempo em outros lugares que nos inspiram, como o Brasil”.

Os fãs que estiverem nos shows do Brasil verão trechos do documentário.

Político, mas nem tanto

Além do novo som, a banda assumiu um tom político. Apesar de o clipe oficial de “Walk on Water” revelar dados sobre imigração e prisões nos EUA e imagens de protestos, perseguições policiais e lançamentos nucleares norte-coreanos, ele não seria um protesto:

“Estamos vivendo um momento de complexidade e caos. Mas é perfeito para reconsiderar nosso futuro, que tipo de pessoa queremos ser e em que tipo de país queremos viver. E muitos países estão se fazendo essas questões. É maravilhoso ser artista nesse momento”.

Thirty Seconds to Mars

São Paulo

Quando: quinta (27/09), a partir de 21h30

Onde: Espaço das Américas, Rua Tagipuru, 795 – Barra Funda.

Ingressos: R$ 120 (meia) a R$ 480 (inteira) – à venda no site Livepass

Porto Alegre

Quando: sábado (29/09), a partir de 21h

Onde: Pepsi on Stage, Av. Severo Dullius, 1995 – Anchieta

Ingressos: R$ 85 (meia) a R$ 260 (inteira) – à venda no site Livepass

Curitiba

Quando: domingo (30/09), a partir de 20h30

Onde: Teatro Positivo, Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido

Ingressos: R$ 190 (meia) a R$ 380 (inteira) – à venda no site Diskingressos

Fonte: G1 

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista