EmpreendedorismoStartups

Startups afiam discurso de olho em investidores portugueses

15 startups brasileiras integrantes do Startout Brasil etapa Lisboa estiveram em treinamento intenso para afiar o discurso de venda de seus produtos e serviços e despertar o interesse de investidores portugueses que assistem, hoje (15), suas apresentações no DemoDay.

A agenda oficial do Startout Brasil etapa Lisboa foi aberta no início desta semana, com um seminário sobre o ambiente de negócios português e outras informações relevantes para um início estruturado no mercado português e europeu. Além do seminário, as empresas foram avaliadas por um consultor contratado pela Apex-Brasil.

As empresas que irão se apresentar hoje são: MOLEGOLAR,   RZ2 Sistemas de Gestão LTDA, Biosolvit, Asel Tech Automação e Tecnologia Ltda,  Sizebay, Outra Coisa, Rocket.chat, Labsoft Tecnologia Ltda. MVisia, Siteware Soluções AS, Conviso Application Security S.A., Implanta IT Solutions, Verde Ghaia, Shelfpix e Fastdezine.

O StartOut Brasil, que é um programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos promissores ecossistemas de inovação do mundo, é realizado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), Ministério das Relações Exteriores (MRE), SEBRAE e Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec). O programa já passou por Buenos Aires, Paris, Berlim e Miami e já recebeu 56 startups.

Entre as dicas que as empresas receberam para melhorar seu discurso, estão:

• apresentação apaixonada: contribui para sensibilizar o investidor;

• cuidado com cifras de mercado: para não desestimular investidores, potencial de mercado precisa ser cuidadosamente abordado, pois mercados pequenos não são tão atrativos ;

• falar sobre os integrantes da empresa, quem vai tocar o projeto (em startups, o empreendedor é que conta);

• destacar claramente o diferencial em relação à concorrência;

• detalhar o diferencial tecnológico;

• destacar claramente o que quer do mercado local (mais específico e menos geral);

• “entrar na dor” do seu cliente: mostrar porque o serviço/produto é relevante para quem o adquire.

Foto: Divulgação

saiba antes via instagram @maisinfluenterevista